Porto Velho (RO) sábado, 19 de junho de 2021
×
Gente de Opinião

Economia

Vice-presidente da República, Hamilton Mourão no Simpi


Vice-presidente da República, Hamilton Mourão no Simpi  - Gente de Opinião

Área econômica - “O Brasil tem dois grandes problemas: o desequilíbrio fiscal provocado pelo excesso de gastos com pessoal, em detrimento da saúde, educação e segurança pública; e a baixa produtividade em função do custo no Brasil para produzir e contratar mão de obra. Temos excesso de burocracia e de regulamentação, e um sistema tributário caótico”, afirma o general Hamilton Mourão, vice-presidente da República, em entrevista exclusiva ao programa “A Hora e a Vez da Pequena Empresa”  

 

Social - O vice-presidente acredita ainda que a questão social no Brasil está muito ligada à disputa política. “A população tem demandas urgentes que os governos não conseguem suprir, gerando insatisfação. Além disso, estamos saindo de um modelo econômico de produção em massa para a era da economia do conhecimento, onde muitos postos de trabalho tradicionais estão desaparecendo. 

 

Sistema político - “É muito segmentado no Brasil pela quantidade de partidos e alguns embates são desproporcionais. Os políticos precisam recuperar o respeito da população”, pondera. Entretanto, ele descarta crise institucional. “Quando o ponto da possível ruptura se aproxima, os envolvidos recuam”. Para ele, algumas pessoas perderam o limite do bom senso entre a crítica e a raiva, citando a recente polêmica envolvendo a realização da Copa América no Brasil. Para ele debates assim refletem a disfuncionalidade que tomou conta da disputa política. 

 

Área ambiental - Mourão avalia que os problemas do Brasil são menores em comparação a outros países industrializados. “Discussões globais ficam apenas em torno da Amazônia. A região tem mais de 25 milhões de pessoas com os piores índices de desenvolvimento e problemas como ocupação do território. Precisamos de políticas públicas para proteger, preservar e assegurar o desenvolvimento econômico e social”, alerta. Ele adverte que é preciso atrair investimentos da iniciativa privada em áreas como agropecuária, exploração mineral, bioeconomia e psicultura. 

Assista: https://youtu.be/LcYHx6CK4a4  

 

Michel Temer no Simpi - “Antecipar a disputa eleitoral não é útil para o Brasil” 

Recentemente a imprensa tem noticiado a intenção de alguns candidatos às eleições presidenciais de 2022. Para o ex-presidente da República, Michel Temer, é inaceitável a postura política de quem já anunciou candidatura e deu início à campanha eleitoral. Revela falta de interesse pelas questões do Brasil, acredita. “O clima hoje é de candidaturas e não de planos para o país. Não podemos antecipar 2022 porque ainda em 2021 temos de enfrentar o combate à pandemia e recuperar da economia. Quando se antecipa a questão eleitoral, estamos tumultuando essa recuperação”, afirmou Temer em entrevista exclusiva ao programa “A Hora e a Vez da Pequena Empresa”. O ex-presidente descarta uma crise institucional. “Pelo que sei, as Forças Armadas são cumpridoras da Constituição Federal, que estabelece um Estado participativo, o chamado Estado Democrático de Direito. O que vejo é uma crise de natureza política”, afirma. “Quando o governo atual assumiu, reformas importantes haviam sido realizadas pouco antes e, de certa forma, Bolsonaro deu continuidade. Mas com a pandemia tudo voltou a zero, com problemas na economia e na saúde, em consequência da pandemia”, ressalta. Entretanto, Temer acredita na capacidade de recuperação rápida do Brasil.  Com relação à reforma tributária, o ex-presidente acredita na simplificação ou desburocratização, mas precisa ser neste ano. “Não é possível diminuir a carga tributária”. Sobre a reforma administrativa, Temer considera mais complicada. “As corporações funcionais têm muito poder no Congresso”, finaliza. 

Assista: https://youtu.be/sBepXZs_Lps  

 

 

Marco Legal das startups é sancionado e entra em vigor 

O presidente Jair Bolsonaro sancionou o projeto de lei complementar que institui o Marco Legal das Startups e do Empreendedorismo Inovador. A medida tem o objetivo de fomentar a criação de empresas inovadoras no seu modelo de negócio, produto ou serviço. Prevê, o incentivo para que grandes empresas, o Estado e pessoas físicas invistam em startups, como forma de fomentar a inovação no mercado brasileiro. Entre as novidades da nova lei está a criação do “ambiente regulatório experimental”,  e a previsão da figura do investidor-anjo. O texto cria também a modalidade especial de licitação pública para contratação de startups. Pela medida, a administração pública poderá contratar pessoas físicas ou jurídicas para o teste de soluções inovadoras. A partir de agora também ficam as empresas desobrigadas a divulgarem seus balanços em jornal impresso de grande circulação, o que dará as empresas economia  de até 150 milhões. 

 

 

Lojista poderá registrar recebíveis de cartão a partir desta segunda 

Banco Central (BC) confirmou que começará a funcionar o registro centralizado das receitas de lojistas com as vendas realizadas por cartão. Segundo a instituição financeira, a medida deve beneficiar principalmente micro e pequenas empresas, que poderão ter acesso a créditos com juros mais baixos ao oferecerem parte do que têm a receber aos bancos. O comerciante poderá dividir as agendas de recebíveis, em lotes de dezenas ou centenas de transações, e negociar com várias instituições financeiras ao mesmo tempo, até conseguir o melhor empréstimo. Os recebíveis valem tanto para as vendas com cartão de crédito e de débito. Como as empresas credenciadoras vão registrar essas transações, os comerciantes poderão conseguir empréstimos ao oferecer os recebíveis para cobrir eventuais inadimplências ou até revender as receitas que têm direito a receber nas vendas com maquininhas. A autarquia estima que os recebíveis de cartões têm potencial para movimentar até R$ 1,8 trilhão por ano. 

 

Certificação Digital, no Simpi agora faz  

O Certificado Digital é um documento de identidade eletrônico tanto para pessoas (e-CPF) quanto para empresas (e-CNPJ) que possibilita o envio seguro de documentos e a sua assinatura com validade jurídica. Permite também o envio seguro de obrigações fiscais, dentre outras aplicações. A autenticidade de quem está enviando o documento é garantida por um sistema de criptografia de chaves. Além desses dois tipos de Certificados Digitais é possível também emitir outro para a emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e). O Certificado Digital é muito útil e reduz custos com burocracia, cartório e impressão. Além da economia o usuário ganha com a segurança. Agora, através da parceria  com a Cenin/Serasa  os MEi’s, as micro e as pequenas empresas poderão fazer  a sua certificação, ou da empresa no Simpi com preços até 40%  mais baixos e forma personalizada pois será feita em sua casa. Simpi, a casa da  micro e da pequena empresa. 

Mais Sobre Economia

Parceria entre Governo Federal e Sebrae oportuniza empresas a aumentar a produtividade e competitividade

Parceria entre Governo Federal e Sebrae oportuniza empresas a aumentar a produtividade e competitividade

O Brasil Mais é uma iniciativa do Governo Federal, que visa aumentar a produtividade e competitividade das empresas brasileiras com acompanhamento p

Governo regulamenta Plano Anual de Contratações para otimizar gastos públicos

Governo regulamenta Plano Anual de Contratações para otimizar gastos públicos

O Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão (Sepog) institui o Plano Anual de Contratações (PAC) com o

Banco da Amazônia é um dos maiores financiadores de energia sustentável no estado de Rondônia

Banco da Amazônia é um dos maiores financiadores de energia sustentável no estado de Rondônia

Na última quarta-feira (16), ocorreu a live Fomento e Desenvolvimento, realizada pelo SEBRAE de Rondônia e Agrolab Amazônia, com o tema a importância

Micro e Pequenas Empresas contam com Agentes Locais de Inovação para aumentar a produtividade

Micro e Pequenas Empresas contam com Agentes Locais de Inovação para aumentar a produtividade

A nova metodologia do Programa ALI em Gestão da Inovação foi estruturada para atender Micro Empresas (ME) e Empresas de Pequeno Porte (EPP) para que