Porto Velho (RO) terça-feira, 7 de julho de 2020
×
Gente de Opinião

Economia

Rondônia tem indicadores positivos

Levantamento possibilita identificar os pontos fortes na classificação final do estado


Rondônia tem indicadores positivos - Gente de Opinião

O Centro de Liderança Pública (CLP) desenvolve líderes públicos empenhados em promover mudanças transformadoras por meio da eficácia da gestão e da melhoria da qualidade das políticas públicas. De acordo com Luana Tavares, diretora executiva do CLP, o Ranking de Competitividade dos Estados foi concebido pelo Centro em 2011, com o desenvolvimento técnico a cargo da Economist Intelligence Unit (EIU)[1], a fim de gerar diagnósticos e direcionamentos para a atuação dos líderes públicos estaduais. Em 2015, em sua quarta edição, o trabalho passou a contar também com a contribuição técnica da Tendências Consultoria Integrada[2].

 

Para a diretora, em sua concepção atual, o ranking possibilita identificar, dentro de cada um de seus 10 pilares temáticos, quais são os pontos fortes e fracos que influenciam a classificação de um estado em um dos 69 indicadores contemplados. Os pilares são: Infraestrutura, Sustentabilidade Social, Segurança Pública, Educação, Solidez Fiscal, Eficiência da Máquina Pública, Capital Humano, Sustentabilidade Ambiental, Potencial de Mercado e Inovação. De acordo com a estrutura e metodologia do ranking, as informações utilizadas para sua elaboração são provenientes de referências de dados públicas, ou então calculadas com base em informações primárias públicas. Os especialistas empregam os melhores esforços para a coleta dos dados, visando que estes sejam atualizados e precisos.

 

A competitividade de um estado está diretamente ligada à capacidade de ação dos seus líderes públicos. Dessa maneira, o Ranking de Competitividade dos Estados oferece os critérios para a construção do legado de competitividade para aqueles governos que assim desejam fazer. Os estados mais bem posicionados no ano de 2019 são: São Paulo em primeiro; Santa Catarina, em segundo; Distrito Federal, em terceiro; e Paraná em quarto lugar.

 

Rondônia, que estava em 14º, em 2018, caiu para 18º este ano, mas obteve alguns indicadores que melhoraram muito, sobretudo, os contidos nos pilares de Solidez Fiscal e de Inovação. Em relação a Solidez Fiscal, ganhou 14 posições, passando para a 3ª posição. A solidez fiscal é premissa básica para o crescimento sustentado de longo prazo. Se as receitas governamentais permanecem abaixo das suas despesas, o Executivo tem resultados fiscais negativos (déficits), o que acarreta endividamento e baixa capacidade de investir na execução dos serviços públicos. Quando o governo não consegue honrar os compromissos sociais e financeiros, ele perde a confiança das pessoas, das empresas e dos investidores. Sem a credibilidade do poder público, o capital empresarial não aporta recursos para investir no mercado, fazendo com que aconteça queda na produção de produtos e serviços, gerando o desemprego. O pilar da Solidez Fiscal teve seu crescimento no ranking como resultante da política fiscal do governo estadual e o Sebrae tem grande papel nesse incremento por conta da parceria que tem com o Tribunal de Contas do Estado no Programa de Modernização e Governanças de Fazendas Municipais e Desenvolvimento Econômico-Sustentável dos Municípios de Rondônia (Profaz). O Profaz é um programa de vanguarda que visa fomentar a governança fiscal sem o arrocho tributário junto aos contribuintes.

 

No tocante à Inovação, o Estado de Rondônia avançou 11 posições (da última para 16ª colocação) graças à boa posição (4º lugar) no novo indicador utilizado de Empreendimentos Inovadores contido na avaliação do pilar da Inovação. Inovação envolve a introdução de novas técnicas e métodos que transformam positivamente os processos existentes no interior das empresas, organizações e da sociedade em geral. A teoria econômica moderna considera a inovação peça-chave para o crescimento e desenvolvimento econômico de longo prazo, pois ela promove ganhos de produtividade que permitem às pessoas e organizações produzirem mais, novos e melhores produtos e serviços a custos menores. Rondônia também teve melhor posição neste pilar devido a oferta de cursos de doutorado nas instituições de ensino superior e essa mudança de patamar em grande parte foi derivada das ações do Sebrae em Rondônia no apoio às startups e ao incentivo aos empreendimentos inovadores.


[1] EIU é uma empresa britânica do Economist Group que fornece serviços de previsão e consultoria por meio de pesquisa e análise, como pareceres sobre as tendências nos países, previsões econômicas e relatórios do serviço de risco, além de avaliações setoriais.

2 A Tendências Consultoria Integrada, de São Paulo, trabalha com soluções que aliam expertises em diversas áreas, é especializada em pareceres econômicos, cenários macroeconômicos, análises de conjuntura política e setorial.

Mais Sobre Economia

Muito blá blá blá mas as “ajudas” do governo não chegam a pequena empresa + Bolsonaro sanciona MP que criou programa de manutenção do emprego

Muito blá blá blá mas as “ajudas” do governo não chegam a pequena empresa + Bolsonaro sanciona MP que criou programa de manutenção do emprego

Muito blá blá blá mas as “ajudas” do governo não chegam a pequena empresaDesde o início da pandemia consegue se perceber as dificuldades que viriam

Abertas inscrições para Inovativa Brasil, maior programa de aceleração de startups da América Latina

Abertas inscrições para Inovativa Brasil, maior programa de aceleração de startups da América Latina

Estão abertas as inscrições para o segundo ciclo do ano do InovAtiva Brasil, maior programa de aceleração de startups da América Latina. De 29 de junh

Experiência do TCE junto ao Gaepe-RO é apresentado à entidade nacional dos TCs

Experiência do TCE junto ao Gaepe-RO é apresentado à entidade nacional dos TCs

A reunião semanal do Comitê de Comunicação dos Tribunais de Contas, nessa segunda-feira (6/7), contou com a participação do conselheiro Paulo Curi Net

Com o novo decreto a maioria dos municípios de Rondônia está na segunda fase

Com o novo decreto a maioria dos municípios de Rondônia está na segunda fase

Depois que o Grupo de Trabalho Técnico-Científico de enfrentamento à Covid-19, estabeleceu novos critérios para enquadramento dos municípios nas fas