Porto Velho (RO) sábado, 15 de agosto de 2020
×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Volume de vendas do varejo cresceu 2,32% em agosto, diz IBGE


Agência O Globo Nas comparações sem ajuste, o volume de vendas cresceu 6,27% sobre agosto de 2005. A alta foi de 5,30% no acumulado do ano de 2006 e de 5,10% no acumulado dos últimos 12 meses. Já a receita nominal avançou 7,46% ante igual mês de 2005, 6,96% na relação janeiro-agosto 2006/ janeiro-agosto 2005 e 7,47% no acumulado dos últimos 12 meses. Na comparação com agosto de 2005, sete das oito atividades do varejo obtiveram aumento no volume de vendas. Tiveram resultado positivo hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (7,48%); móveis e eletrodomésticos (10,65%); outros artigos de uso pessoal e doméstico (19,04%); equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (26,57%); artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (2,36%); tecidos, vestuário e calçados (1,15%); livros, jornais, revistas e papelaria (4,28%); e combustíveis e lubrificantes (-6,58%). A atividade de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (7,48%) respondeu por quase metade da taxa global do varejo. O desempenho reflete basicamente a melhoria do rendimento médio do trabalho, bem como o aumento do emprego com carteira assinada, de 3,5% e de 5,9%, respectivamente, segundo a Pesquisa Mensal de Emprego (PME). Com esse resultado, a atividade alcança, nos oito primeiros meses do ano, taxa de 7,23% em relação ao mesmo período do ano anterior, acumulando, nos últimos 12 meses, taxa de crescimento de 5,48%. O segundo maior impacto em agosto veio do segmento de móveis e eletrodomésticos (10,65%). Beneficiada basicamente pela permanência de condições favoráveis de crédito ao consumo e pela queda nos preços derivada da concorrência dos importados, a atividade registrou taxas de crescimento de 8,28% e de 9,46% nos acumulados do ano e dos últimos 12 meses respectivamente. Apenas a Bahia (-0,42%) teve queda no volume de vendas entre julho e agosto. As outras 26 unidades da federação registraram alta. Os resultados mais expressivos vieram de Tocantins (8,46%); Maranhão (7,76%); Alagoas (6,21%); Amazonas (5,12%) e Goiás (4,78%).

Mais Sobre Economia - Nacional

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Não há empregos sem empresasEm 1985, a inflação no Brasil atingiu o valor de 242,23%. Em 1986, com receio da aceleração descontrolada da inflação, o g

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

COVID19 no Brasil: cuidadosNa tentativa de conter a disseminação do novo Coronavírus (COVID19), diversos países do mundo reforçaram suas medidas de is

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Um documento enviado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) aos governadores brasileiros revela que o corte de 50%

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia informa que identificou a falta de prestação das informações sobre admissões