Porto Velho (RO) segunda-feira, 13 de julho de 2020
×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Saiba como melhorar a gestão de estoque e lucrar mais

Consultor empresarial destaca os principais pontos em torno do assunto


Saiba como melhorar a gestão de estoque e lucrar mais - Gente de Opinião
Esse é um dos problemas mais recorrentes entre muitas empresas: estoque abarrotado ou o problema da falta de produtos. A gestão de estoque quando bem realizada é fundamental para prevenir prejuízos no negócio e aumentar os lucros.

Segundo artigo publicado pelo portal Fecomercio SP é orientado que pequenas ou novas empresas no mercado gerenciem os estoques com base na observação da média de vendas, e aqui entra uma questão fundamental que é o controle do fluxo de caixa, assim é possível para o negócio fazer uma estimativa do estoque ideal, para que não falte e nem sobre produtos.

O consultor empresarial, Marcelo Viana, da T4 Consultoria, esclarece as principais questões em torno desse tema.

Erros comuns a pequenas empresas

A gestão de estoque em si é um problema, principalmente para pequenas empresas ou porque ocorrem falhas na checagem de produtos no estoque, ou porque não têm a noção do valor e validade dos produtos. Esse desconhecimento pode gerar uma série de complicações para a empresa.

Em caso de mercadorias vencidas (perecíveis), por exemplo, acontece o descarte, e estoque parado é o mesmo que dinheiro parado, portanto, ao descartar produtos o gestor está jogando literalmente dinheiro fora. Mas há também os casos de produtos perto do período de vencimento, nessa situação, serão aplicados grandes descontos para esvaziar o estoque, e com isso, o negócio também perde.

O estoque parado gera uma série de outros problemas como: deterioração, roubo, perda, obsolescência, entre outros. É essencial saber quando reabastecer alguns itens; quando deve ocorrer a compra e produção; valor de compra, entre outros fatores. Na prática, a gestão de estoque é mais complexa do que se pensa.

Importância da Gestão de Estoque

O gerenciamento de estoque é uma peça-chave fundamental para o sucesso das empresas. A ideia é que o negócio tenha o estoque ideal, ou seja, se o cliente solicitar o produto, encontrará, mas isso não quer dizer ‘estoque abarrotado de produtos’, é preciso encontrar o equilíbrio, e essa é a parte mais complexa na gestão de estoque para muitas empresas.

Para as tomadas de decisões, inclusive, nesse momento de gestão de estoque é fundamental que o gestor conheça muito bem a empresa, que esteja profundamente envolvido com todas as atividades do negócio, que conheça de perto os processos de cada setor.

Dependendo do ramo de atividades da empresa, é preciso ter detalhada as oscilações de demandas que podem ocorrer durante o ano, há casos em que é necessário que se tenha um estoque de segurança, para garantir que haverá produtos no negócio e que o cliente o encontrará.

A boa gestão de estoque também é peça fundamental para nortear as decisões da empresa, faz com que o gestor evite erros, como por exemplo, comprar itens desnecessários apenas porque apresentam um bom “custo-benefício”.

Há alguns tipos de controle de estoque, dentre eles:

Permanente – Permite o acompanhamento em tempo real. A reposição de um item é feita sempre que o limite mínimo em estoque é atingido.

Temporário – Também é tratado como periódico, atua como um complemento da análise da gestão de estoque. O objetivo é prevenir a falta do produto.

Quando o assunto é mensuração, a divisão de estoque é realizada em dois tipos:

Físico – a mensuração é em relação à quantidade de produtos.

Valor monetário – é feita com base no cálculo de investimento dos custos de cada produto.

Alguns métodos de avaliação

PEPS

O princípio dessa metodologia (primeiro a entrar, primeiro a sair) é que as mercadorias mais antigas em estoque são as que devem vencer primeiro. É uma metodologia muito usada, por exemplo, pelo setor supermercadista.

UEPS

No UEPS (último a entrar, primeiro a sair) o produto que recentemente chegou ao estoque deve ser o primeiro a ser vendido.

Custo Médio

Esse método também é conhecido como Média Ponderada Móvel, em que é possível renovar os valores do estoque sempre que ocorre a entrada de novos itens, para isso, é realizado o cálculo de uma média ponderada.

Alguns métodos de gestão de estoque

Just in Time

Traduzida ao pé da letra como “no momento exato” esse método tem como finalidade promover a redução de custos, para isso, o nível de estoque é mantido na menor escala para atender as demandas do negócio. Esse método requer acompanhamento rigoroso por parte da gestão, para que não ocorra um dos principais problemas de estoque: falta de produtos.

Curva ABC

Três pilares fazem parte deste método: giro, faturamento e lucratividade. Os itens de estoque são categorizados em:

Tipo A – São produtos importantes e de alto valor. Mesmo em menor quantidade no estoque, geram muita lucratividade para a empresa;

Tipo B – São itens de valor médio, não demandam um controle tão rigoroso, mas é preciso tomar cuidado porque tendem a ser produtos em grande quantidade no estoque;

Tipo C – São itens menos valiosos e podem ser incorporados em pequenas quantidades no estoque, apenas para atender eventuais demandas.

Gerenciamento de estoque com a ajuda tecnológica

Há muitos sistemas “softwares”, disponíveis que ajudam na gestão de estoque e previnem muitos erros. É possível para o gestor utilizar um único sistema que ajude no controle mais eficiente de inventários (levantamento físico de todos os itens do estoque).

Os sistemas de gerenciamento de estoque disponíveis precisam cumprir com algumas funções como:
  • Automatização de processos;
  • Redução de erros;
  • Acompanhar a movimentação desde a entrada até a saída de produtos;
  • Controlar os insumos que são usados para a produção dos produtos;
  • Atuar no monitoramento dos níveis de estoque.

Por se tratar do patrimônio da empresa, é fundamental que o negócio se preocupe com a gestão de estoque e procure ajuda se não estiver conseguindo gerir adequadamente.

Marcelo Viana - Diretor da T4 Consultoria, especialista em finanças empresariais. Possui experiência de mais de 20 anos em Controladoria e Administração Financeira, tendo atuado em cargos executivos em inúmeras empresas como: Carrefour, Grupo Itavema, Grupo Vigorito, etc. Graduado em Ciências Contábeis; Consultoria Gestão Empresarial-PUC; MBA Controladoria Estratégica pela Fundação Alvares Penteado - FECAP e MBA Gestão Econômica e Financeiras de Empresas-FGV.

Mais Sobre Economia - Nacional

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Não há empregos sem empresasEm 1985, a inflação no Brasil atingiu o valor de 242,23%. Em 1986, com receio da aceleração descontrolada da inflação, o g

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

COVID19 no Brasil: cuidadosNa tentativa de conter a disseminação do novo Coronavírus (COVID19), diversos países do mundo reforçaram suas medidas de is

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Um documento enviado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) aos governadores brasileiros revela que o corte de 50%

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia informa que identificou a falta de prestação das informações sobre admissões