Porto Velho (RO) segunda-feira, 26 de outubro de 2020
×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Rendimento médio do trabalhador, no ano, subiu 4,1%


Cássia Almeida - Agência O Globo RIO - Apesar da leve alta na taxa de desemprego, o rendimento médio real do trabalhador nas seis regiões metropolitanas acompanhadas pela Pesquisa Mensal de Emprego, divulgada nesta quinta-feira pelo IBGE, subiu 4,1% na média de janeiro a outubro, alcançando R$ 1.029,10. A alta foi bem superior ao 1,4% de 2005 frente a 2004, no mesmo período do ano: - O aumento do emprego com carteira assinada, que costuma ter salários maiores, o reajuste do salário mínimo e a inflação controlada ajudaram a elevar o rendimento do trabalhador este ano - explicou o gerente da Pesquisa, Cimar Azeredo. O técnico do IBGE, diante do comportamento da pesquisa nos últimos anos, acredita que a taxa de desemprego deve baixar nos próximos, com o aumento da contratação temporária para o Natal e a queda na procura, natural na semana entre Natal e Ano Novo.

Mais Sobre Economia - Nacional

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Não há empregos sem empresasEm 1985, a inflação no Brasil atingiu o valor de 242,23%. Em 1986, com receio da aceleração descontrolada da inflação, o g

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

COVID19 no Brasil: cuidadosNa tentativa de conter a disseminação do novo Coronavírus (COVID19), diversos países do mundo reforçaram suas medidas de is

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Um documento enviado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) aos governadores brasileiros revela que o corte de 50%

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia informa que identificou a falta de prestação das informações sobre admissões