Quarta-feira, 21 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Rebanho bovino diminui 3% no país



Flávia Villela
Agência Brasil


Rio de janeiro - A Pesquisa da Pecuária Municipal (PPM) 2007, divulgada hoje (26) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostra que a quantidade de bois no país diminuiu 3%, entre 2006 e 2007. O número que era de aproximadamente de 205,886 milhões caiu para quase 200 mil cabeças de gado. A redução é conseqüência, pirncipalmente, da descapitalização dos produtores e do abatimento de matrizes.

Na região da Amazônia Legal (que abrange toda a região Norte e parte do Maranhão e de Mato Grosso) a queda foi de 5%. Entretanto a quantidade de cabeças de gado nessa área cresceu 78% na comparação 2007-1997, com destaque para o Sul do Pará, o Norte de Mato Grosso e Rondônia. Em 2007, 35% do rebanho bovino nacional estava na Amazônia Legal.

O rebanho bovino brasileiro tem se deslocado em direção ao Norte do país, em parte, devido à disputa por área com as lavouras de cana, soja e milho no Centro-Sul. Entretanto, houve uma redução no ritmo de crescimento do rebanho bovino na região, de 46%, de 1997 a 2002, para 22% entre 2002 e 2007. De 2006 para 2007, houve uma queda de 5% na quantidade de bovinos na Amazônia Legal, que chegou a 69,575 milhões de cabeças, o equivalente a 34,8% do rebanho nacional.

Segundo o IBGE, a diminuição do rebanho bovino brasileiro ocorreu em razão da descapitalização dos produtores em 2006, o que levou à falta de investimento no ano seguinte, e à reavaliação das estimativas após o Censo Agropecuário 2006. O abate de matrizes, por sua vez, resultou numa menor oferta de carne, o que contribuiu, ao lado da demanda aquecida, para a manutenção dos preços elevados em 2007.

Os maiores rebanhos bovinos estão no Mato Grosso (representando 12,9% do gado nacional), seguido de Minas Gerais (11,3%) e Mato Grosso do Sul (10,9%). A participação no valor total dos produtos da agropecuária (leite, ovos de galinha e de codorna, mel, casulos de bicho-da-seda e lã) foi de R$ 20,2 milhões em 2007, tendo Minas como líder (26,1%), seguida de São Paulo (10,8%) e Rio Grande do Sul (10,0%).

Durante o período analisado, Minas Gerais, que ao contrário da maioria das outras regiões apresentou crescimento no rebanho do gado bovino (1,7%), deixou a posição de 3º lugar em rebanhos de bois e ultrapassou o Mato Grosso do Sul, estado que segundo dados das pesquisas anteriores vem perdendo cabeças de gado nos últimos três anos.


 

Gente de OpiniãoQuarta-feira, 21 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

Programa Social: Novo Bolsa Família cumprirá teto de gastos, diz ministro da Cidadania

Programa Social: Novo Bolsa Família cumprirá teto de gastos, diz ministro da Cidadania

O programa social que pretende substituir o Bolsa Família terá o maior valor possível para o benefício dentro do teto de gastos, disse hoje (9) o mi

Banco do Brasil lança dois programas de desligamento incentivado

Banco do Brasil lança dois programas de desligamento incentivado

O Banco do Brasil (BB) anunciou nesta segunda-feira (11) dois programas de desligamento incentivado. A expectativa é que a adesão chegue a 5 mil fun

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Não há empregos sem empresasEm 1985, a inflação no Brasil atingiu o valor de 242,23%. Em 1986, com receio da aceleração descontrolada da inflação, o g

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

COVID19 no Brasil: cuidadosNa tentativa de conter a disseminação do novo Coronavírus (COVID19), diversos países do mundo reforçaram suas medidas de is

Gente de Opinião Quarta-feira, 21 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)