Sábado, 24 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Procura por crédito diminui em novembro


Marli Moreira
Agência Brasil

São Paulo – A procura por crédito no mês de novembro foi 7,6% menor do que em outubro, mas superou em 5,3% o movimento registrado no mesmo período do ano passado. No acumulado do ano, houve queda de 3,4%. Os dados são da pesquisa mensal Indicador Serasa Experian da Demanda do Consumidor por Crédito, divulgada hoje (11).

Na avaliação dos economistas da Serasa, o fato de ter ocorrido três feriados – dois dos quais emendados com dias úteis, levou a esse resultado. Eles consideram que está ocorrendo um processo de recuperação na procura por crédito, apesar de a demanda ter sido negativa no acumulado do ano na maioria das regiões pesquisadas. Ocorreu alta apenas no Norte do país (3,4%) e no Nordeste (0,3%). A maior retração foi constatada no Sul (-5,8%), seguido do Centro-Oeste (-4,4%) e do Sudeste (-4,3%).

Na comparação de novembro com outubro, a busca por crédito registrou forte recuo no Sudeste (-14,8%). Segundo os economistas da Serasa, o resultado pode ser associado ao fato de que nesta região estão localizadas as capitais São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, onde comemora-se o feriado de 20 de novembro (Dia da Consciência Negra). Foi registrado queda também no Nordeste (-1,7%) e alta nas demais regiões com 3%, no Centro-Oeste; 0,8% no Norte e 3,1 % no Sul.

Nas análises por faixa de renda, houve redução na procura por crédito em todos os níveis. A queda com menor intensidade foi entre os de baixa remuneração. Entre os que têm renda de até R$ 500, a demanda por crédito caiu 2,6%. Entre os que recebem de R$ 500 a R$ 1 mil, a taxa foi negativa em 9,6%. O grupo com rendimento entre R$ 1 mil e R$ 2 mil foi o que registrou maior recuo entre as classes analisadas: de 9,6%. Nos grupos com renda de R$ 2 mil a R$ 5 mil e de R$ 5 mil a R$ 10 mil, a demanda por crédito caiu 8%; e para os que recebem acima de R$ 10 mil, a queda foi de 4,2%.

De janeiro a novembro, apenas o grupo com menor renda aumentou a procura em 4,7%. Entre os demais grupos, a queda mais expressiva foi a dos que têm rendimentos entre R$ 5 mil e R$ 10 mil (-5,8%).
 

Gente de OpiniãoSábado, 24 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

Programa Social: Novo Bolsa Família cumprirá teto de gastos, diz ministro da Cidadania

Programa Social: Novo Bolsa Família cumprirá teto de gastos, diz ministro da Cidadania

O programa social que pretende substituir o Bolsa Família terá o maior valor possível para o benefício dentro do teto de gastos, disse hoje (9) o mi

Banco do Brasil lança dois programas de desligamento incentivado

Banco do Brasil lança dois programas de desligamento incentivado

O Banco do Brasil (BB) anunciou nesta segunda-feira (11) dois programas de desligamento incentivado. A expectativa é que a adesão chegue a 5 mil fun

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Não há empregos sem empresasEm 1985, a inflação no Brasil atingiu o valor de 242,23%. Em 1986, com receio da aceleração descontrolada da inflação, o g

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

COVID19 no Brasil: cuidadosNa tentativa de conter a disseminação do novo Coronavírus (COVID19), diversos países do mundo reforçaram suas medidas de is

Gente de Opinião Sábado, 24 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)