Sexta-feira, 1 de março de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Poda dos cafeeiros ‘Conilon’ e ‘Robusta’


 Poda dos cafeeiros ‘Conilon’ e ‘Robusta’ - Gente de Opinião

Marcelo Curitiba Espindula*

Pesquisador Embrapa Rondônia (Porto Velho), doutor em Produção Vegetal, e-mail: [email protected]

Terminado o período de colheita do café Coffea canephora (‘Conilon’ ou ‘Robusta’), é hora de fazer a poda para preparar as plantas para as próximas safras. A técnica deve ser realizada no período de estiagem entre o término da colheita e, quando possível, o primeiro florescimento. Nos cafeeiros da espécie C canephora, os ramos horizontais e os verticais que estiverem esgotados devem ser eliminados pela poda, permitindo-se assim, a renovação parcial ou total do cafezal para novos ciclos de produção.

Os ramos horizontais, também conhecidos como ramos produtivos, guias ou plagitrópicos, são os responsáveis pela produção dos frutos de café, enquanto que os ramos ou hastes verticais, conhecidos tecnicamente como ortotrópicos, são os responsáveis pela sustentação dos ramos produtivos. As hastes ortotrópicas devem ser podadas de acordo com o tipo de manejo de ortotrópicos proposto, enquanto que a poda ramos produtivos deve ser realizada todo ano, a partir da primeira safra, independentemente do manejo de ortotrópicos recomendado.

Para a poda dos ramos horizontais, devem ser eliminados todos aqueles da parte inferior da planta, que já produziram frutos em pelo menos 70% de sua extensão. Esse procedimento também é conhecido como derrama ou retirada da “saia” do cafeeiro. De maneira geral, a planta é visualmente dividida em três partes, sendo eliminados os ramos do terço inferior. Na prática, esses valores podem ser diferenciados, ou seja, em anos em que houve baixa produtividade, deve-se eliminar menos plagiotrópicos, enquanto que nas safras de alta produtividade podem ser eliminados mais ramos.

As hastes ortotrópicas devem ser eliminadas sempre que atingirem altura que dificulte os tratos culturais, tais como aplicação de produtos químicos (fungicidas, inseticidas, acaricidas e adubos foliares) e colheita. Na prática, esses ramos devem ser mantidos por três ou quatro colheitas, dependendo do manejo adotado. Em Rondônia, existem três tipos de podas de ramos ortotrópicos praticadas atualmente: poda tradicional, recepa parcial e recepa total.

O sistema de poda de produção tradicional (anual) consiste na renovação anual de 1/3 a 1/4 das hastes verticais da planta. Após completar um ciclo de poda, a planta apresenta hastes podadas com um, dois, três e quatro anos de idade dependendo da quantidade eliminada por ano.

No sistema de “recepa parcial”, o número de hastes ortotrópicas é definido durante a formação da lavoura, preferencialmente após indução para formação de copa (envergamento ou capação) dos cafeeiros. Estas hastes, em número de três ou quatro, são conduzidas pelo período de quatro a cinco anos (três a quatro produções), após os quais há a eliminação de 3/4 dos mesmos, restando apenas uma ou duas hastes por planta, que funcionam como “pulmão”, permitindo o crescimento mais rápido dos novos ramos, além de manter a produção da lavoura, uma vez que podem produzir até 40% da colheita anterior. No ano seguinte à recepa parcial, após a seleção de brotos para substituição das hastes antigas, promove-se a eliminação dos ortotrópicos remanescentes depois da safra. Essa poda é semelhante à Poda Programada de Ciclo (PPC), realizada por agricultores do estado do Espírito Santo.

A recepa total consiste em conduzir o número de hastes verticais desejado, três a quatro, por um período de cinco anos (quatro anos de produção), após os quais é realizada a poda drástica, em que todos os ortotrópicos são eliminados à altura de 20 a 40 cm do solo. A principal diferença entre as recepas parcial e total é a manutenção do ramo “pulmão”, que tem como função fornecer energia para as novas brotações, além de possibilitar colheita de frutos, embora pequena, na produção do ano seguinte à poda dos ortotrópicos.

Tabela 1.Cronograma para poda de ramos plagiotrópicos e ortotrópicos de cafeeiros ‘Conilon’ e ‘Robusta’ pelos três principais métodos de poda utilizados na Amazônia Ocidental brasileira, durante um ciclo de 10 colheitas.

Tipo de poda

Eliminação de ramos

Colheitas

10ª

Anual

ortotrópicos

 

×

×

×

×

×

×

×

×

×

Plagiotrópicos

Recepa parcial

ortotrópicos

 

 

 

×

×

 

 

 

×

×

Plagiotrópicos

 

 

Recepa total

ortotrópicos

 

 

 

×

 

 

 

 

×

 

Plagiotrópicos

 

 

 

 

1Lavouras formadas por mudas clonais com produção a partir do segundo ano.

 

        


Tabela 2.Vantagens e desvantagem dos principais tipos de podas de cafeeiros ‘Conilon’ e ‘Robusta’.

Tipos de podas

Vantagens

Desvantagens

Tradicional

(Anual)

Renovação anual da lavoura;

Estabilidade de produção (redução da bienalidade).

Maior demanda de mão de obra;

Maior complexidade de execução devido a constante seleção de ramos (necessidade de mão de obra especializada).

Maior complexidade de execução da desbrota e tratos culturais;

Recepa Parcial

Redução de mão de obra;

Redução na complexidade de execução;

Padronização dos tratos culturais

Um ano com baixa produção a cada cinco colheitas

Recepa Total

Menor gasto com mão de obra;

Menor complexidade de execução;

Maior padronização dos tratos culturais.

Um ano com produção zero a cada ciclo de cinco colheitas;

Maior probabilidade de morte de plantas devido à poda drástica

Gente de OpiniãoSexta-feira, 1 de março de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

Programa Social: Novo Bolsa Família cumprirá teto de gastos, diz ministro da Cidadania

Programa Social: Novo Bolsa Família cumprirá teto de gastos, diz ministro da Cidadania

O programa social que pretende substituir o Bolsa Família terá o maior valor possível para o benefício dentro do teto de gastos, disse hoje (9) o mi

Banco do Brasil lança dois programas de desligamento incentivado

Banco do Brasil lança dois programas de desligamento incentivado

O Banco do Brasil (BB) anunciou nesta segunda-feira (11) dois programas de desligamento incentivado. A expectativa é que a adesão chegue a 5 mil fun

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Não há empregos sem empresasEm 1985, a inflação no Brasil atingiu o valor de 242,23%. Em 1986, com receio da aceleração descontrolada da inflação, o g

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

COVID19 no Brasil: cuidadosNa tentativa de conter a disseminação do novo Coronavírus (COVID19), diversos países do mundo reforçaram suas medidas de is

Gente de Opinião Sexta-feira, 1 de março de 2024 | Porto Velho (RO)