Porto Velho (RO) sábado, 18 de agosto de 2018
×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Plano fiscal deverá incluir redução do IPI e PIS/Cofins sobre bens de capital


Martha Beck - Agência O GloboBRASÍLIA - Os ministros da Fazenda, Guido Mantega, e do Planejamento, Paulo Bernardo, passaram a segunda-feira em reuniões para fechar as propostas de um plano fiscal e de desoneração tributária que será apresentado ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta terça-feira.Entre as medidas que devem ser apresentadas pela equipe econômica, estão a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e PIS/Cofins para bens de capital considerados importantes para estimular os investimentos no país. Além disso, o governo planeja reduzir de 24 meses para 18 ou 12 meses o prazo para o aproveitamento de créditos de PIS/Cofins para o setor produtivo.Além disso, está nos planos da equipe econômica a desoneração da folha de pagamentos das empresas. Atualmente, elas são obrigadas a recolher 20% do valor da folha de pagamentos a título de contribuição ao INSS.No entanto, muitas delas alegam que isso acaba sendo um encargo muitogrande pois a cada contratação de funcionário, a folha fica maior e, conseqüentemente o peso da contribuição para os empregadores. Por isso, uma solução encontrada pelo governo seria reduzir o percentual de contribuição para 15%.Mas esse benefício seria compensado por outro lado: a alíquota de PIS/Cofins das empresas subiria em torno de 1,5 ponto percentual, passando dos atuais 9,25% para 10,75%.O ministro Paulo Bernardo não quis adiantar ou confirmar as medidas que serão adiantadas. Afirmou, apenas, que a idéia é criar mecanismos que permitam que as despesas do governo subam menos que o Produto Interno Bruto (PIB), dando espaço para mais investimentos públicos e para a redução da carga tributária.Já o ministro Mantega informou que o plano não trará medidas de intervenção no câmbio ou na política de juros para conter a inflação. Segundo ele, as taxas cairão à medida que houver condições para isso ocorra:- Continuaremos com a política que vem sendo praticada nos últimos tempos, que é a política de perseguir a meta de inflação.Também não há nada em relação a câmbio. O câmbio é flutuante e vai flutuar ao sabor da oferta e da demanda de divisas, da compra que é praticada pelo Banco Central e assim por diante.

Mais Sobre Economia - Nacional

Pagamento dos servidores estaduais é antecipado e injetará R$ 185 milhões na economia de Rondônia

Pagamento dos servidores estaduais é antecipado e injetará R$ 185 milhões na economia de Rondônia

O pagamento dos servidores estaduais programado para o próximo dia 28 será antecipado para este sábado (18). Segundo a Secretaria de Finanças (Sefin),

Inflação do aluguel avança e atinge 0,67% na segunda prévia de agosto

Inflação do aluguel avança e atinge 0,67% na segunda prévia de agosto

O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M), usado para reajustar aluguéis, avançou 0,14 ponto percentual na segunda prévia de agosto e fechou em 0,67%.

Caos gerencial de Temer: socorro financeiro é o dobro dos investimentos

Caos gerencial de Temer: socorro financeiro é o dobro dos investimentos

o socorro financeiro do governo federal ao pagamento de dívidas de estados e municípios com a União vai gerar um impacto de R$ 90,3 bilhões nas contas

Dia dos pais tem 2º ano de crescimento das vendas

Dia dos pais tem 2º ano de crescimento das vendas

A EXPECTATIVA PARA AS VENDAS DE RONDÔNIA SÃO MELHROES QUE A MÉDIA NACIONALA Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo-CNC estima q