Quinta-feira, 22 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Palestra mostra oportunidades de investimento


Para o governador Confúcio Moura, a industrialização é a alternativa para o pescado de Rondônia e o Estado vem buscando formas de garantir a comercialização do produto. O primeiro passo é a abertura de crédito a juros menores, pois todo o mundo tem interesse em conhecer o peixe da Amazônia e ele tendo certificação garante a procedência e qualidade.

“A partir desta reunião, vamos incentivar ainda mais o produtor de peixe rondoniense que anda esmorecido, para que acredite e produza ainda mais. Podemos também, com a recuperação de áreas degradadas, dobrar o rebanho do Estado em dez anos”, afirmou Confúcio.

Incrementos

De acordo com Álvaro Correa, chefe de Relações do BNDES com o governo, serão R$ 500 milhões investidos no Estado. “O foco principal são os piscicultores, mas há interesse também em vários segmentos do agronegócio”, comenta.

Há cerca de três anos foi realizado um estudo sobre as potencialidades do Estado, e nesta época a piscicultura já despontava como o melhor investimento. “A expectativa que temos aqui é fazer com que este potencial cresça”, conta Vitor Burns, gerente do Departamento de Relações com o Governo.

“Rondônia figurará nas próximas estatísticas como maior produtor de peixe do país. Serão 50 mil toneladas e a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam) possui mais de 3.000 produtores cadastrados para a atividade. Que continuem fazendo seu dever de casa da porteira de sua propriedade para dentro, porque o governo irá fazer o dele da porteira para fora”, afirmou o secretário da Sedes, Emerson Castro.

Empreendedorismo

Em Rondônia há 43 anos, Megumi Yakoyama, também conhecido como Pedrinho, da piscicultura Boa Esperança, em Pimenta Bueno, conta que começou a trabalhar com tambaqui em tanques há 32 anos. “Na época me chamaram de japonês louco”, brinca, “mas hoje, se tornou realidade. Nossa visão era para 30 anos e tínhamos que estar preparados”, afirma.

Pedrinho conta que há dez anos eles começaram a desenvolver um projeto de melhoramento genético da produção. “Para que sejamos não só os maiores, mas também os melhores em qualidade é preciso muito trabalho”, ressalta.

Fonte: Romeu Noé / Decom

 

Gente de OpiniãoQuinta-feira, 22 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

Programa Social: Novo Bolsa Família cumprirá teto de gastos, diz ministro da Cidadania

Programa Social: Novo Bolsa Família cumprirá teto de gastos, diz ministro da Cidadania

O programa social que pretende substituir o Bolsa Família terá o maior valor possível para o benefício dentro do teto de gastos, disse hoje (9) o mi

Banco do Brasil lança dois programas de desligamento incentivado

Banco do Brasil lança dois programas de desligamento incentivado

O Banco do Brasil (BB) anunciou nesta segunda-feira (11) dois programas de desligamento incentivado. A expectativa é que a adesão chegue a 5 mil fun

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Não há empregos sem empresasEm 1985, a inflação no Brasil atingiu o valor de 242,23%. Em 1986, com receio da aceleração descontrolada da inflação, o g

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

COVID19 no Brasil: cuidadosNa tentativa de conter a disseminação do novo Coronavírus (COVID19), diversos países do mundo reforçaram suas medidas de is

Gente de Opinião Quinta-feira, 22 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)