Porto Velho (RO) domingo, 24 de junho de 2018
×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

País economizou R$ 13,182 bi em agosto para pagamento de juros da dívida


Patrícia Duarte - Agência O GloboBRASÍLIA - As estatais e o governo central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) foram responsáveis pelo recorde de superávit primário - economia para pagamento de juros - do setor público em agosto: R$ 13,182 bilhões, melhor performance para meses de agosto da série histórica (1991) e mais do que o dobro dos R$ 5,615 bilhões registrados no mês anterior.No acumulado do ano, o superávit já está em R$ 75,951 bilhões, o que representa 5,69% do Produto Interno Bruto (PIB). O resultado dos primeiros oito meses de 2006 é inferior ao apurado em igual período de 2005, que ficou em R$ 78,931 bilhões, equivalente a 6,32% do PIB.A meta do governo para este ano é de 4,25% do PIB. No fluxo dos últimos 12 meses, a economia é de 4,47% do PIB. Na avaliação do chefe do Departamento Econômico do BC, Altamir Lopes, apesar de as despesas do governo crescerem mais do que as receitas, a meta será cumprida.De acordo com os dados do Banco Central, as empresas estatais foram as que mais esforço fiscal fizeram neste período, acumulando saldo positivo de R$ 5,122 bilhões em agosto, frente aos R$ 337 milhões de julho. O BC destacou o superávit recorde das empresas estatais estaduais, de R$ 2,341 bilhões em agosto - resultado que "decorreu, basicamente, de capitalização de empresa do setor de energia elétrica (a Cesp), via emissão primária de ações".De acordo com Lopes, sem essa operação - envolvendo a Cesp - o resultado das estatais estaduais no mês passado seria deficitário.O governo central (governo federal, BC e INSS) teve superávit primário de R$ 7,228 bilhões em agosto, contra 3,601 bilhões em julho. Os governos regionais (estados e municípios) apresentaram superávit de R$ 833 milhões em agosto, sendo que no mês anterior ele havia ficado em R$ 1,677 bilhão.Economista Guilherme Loureiro, da Tendências Consultoria, no entanto, ressaltou que, apesar da expectativa de que a meta seja alcançada, houve uma piora na economia de recursos.- Veio acima do esperado, é um número mais positivo. O problema é quando você olha a composição. Embora o primário deva ser cumprido no final do ano, o que está acontecendo é uma piora da construção (do superávit) - afirmou.A dívida mobiliária federal somou R$ 1,039 trilhão, o que corresponde a 50,5% do PIB. Lopes adiantou que a previsão para o fim do ano é de manter essa relação estável, e reconheceu que, por conta da mudança do perfil da dívida, a redução desse percentual pode ser mais lento, apesar das reduções da taxa básica de juros nos últimos meses. Os títulos indexados à Selic, hoje em 14,25% ao ano, estão sendo substituídos por papéis prefixados ou indexados à inflação. Os juros nominais pagos em agosto somaram R$ 15,569 bilhões, acima dos R$ 13,455 bilhões de julho. O crescimento veio com a apreciação cambial de 1,7% no período e por agosto ter três dias úteis a mais. Por isso o déficit nominal de R$ 2,387 bilhões no mês passado, acumulando no ano R$ 34,713 bilhões.

Mais Sobre Economia - Nacional

BC anuncia mais injeção de dólares no mercado de câmbio

BC anuncia mais injeção de dólares no mercado de câmbio

O Banco Central informou hoje (22) que continuará ofertando contratos de swap cambial, equivalente à venda futura de dólares, ao longo da próxima sema

IBGE: Golpistas fecharam 14 mil indústrias

IBGE: Golpistas fecharam 14 mil indústrias

Com a colossal colaboração do Judge Murrow!

Greve dos caminhoneiros ainda impacta estoques do varejo

Greve dos caminhoneiros ainda impacta estoques do varejo

Levantamento da CNC aponta demora na normalização do abastecimento em 17 estados

Publicada lei que altera juros de fundos constitucionais

A lei que altera o cálculo dos juros dos fundos constitucionais de financiamento foi publicada na edição de hoje (20) do Diário Oficial da União.