Porto Velho (RO) terça-feira, 7 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

O melhor resultado fiscal para meses de março desde 2001



Stênio Ribeiro
 Agência Brasil


Brasília – A União, os estados e os municípios economizaram R$ 13,6 bilhões em março para o pagamento de juros da dívida pública, de acordo com Relatório de Política Fiscal divulgado hoje (29) pelo Banco Central (BC). É o melhor resultado para o mês desde o início da série, em 2001. O Governo Central (Tesouro Nacional, BC e Previdência) economizou R$ 9,676 bilhões e os governos regionais, 4,436 bilhões. Já as empresas estatais registraram déficit de R$ 511 milhões.

Essa economia, conhecida como superávit fiscal consolidado, foi 71,86% maior do que os R$ 7,913 bilhões de fevereiro, mas inferior aos R$ 17,748 bilhões registrados em janeiro. No ano, o superávit primário consolidado do setor público acumula R$ 39,262 bilhões, e nos últimos 12 meses soma R$ 121,9 bilhões, equivalentes a 3,23% do Produto Interno Bruto (PIB), soma das riquezas produzidas no país. A meta do governo é chegar ao fim de 2011 com superávit de R$ 117,9 bilhões.

O relatório do BC destaca, também, que as despesas com juros da dívida atingiram R$ 20,549 bilhões no mês, 7,5% a mais do que os R$ 19,115 bilhões de despesas com juros em fevereiro. No ano, os desembolsos com juros somam R$ 58,945 bilhões, contra R$ 40,490 bilhões em igual período do ano passado. Nos últimos 12 meses, o total de gastos com juros soma R$ 208,913 bilhões, equivalentes a 5,53% do PIB.

Descontados os gastos com juros da economia feita para o superávit primário, o país contabiliza déficit nominal de R$ 6,949 bilhões em março. Esse déficit sobe para R$ 19,683 bilhões no trimestre, e nos últimos 12 meses até março alcança R$ 87,055 bilhões, que correspondem a 2,31% do PIB, estimado pelo BC em R$ 3,736 trilhões.

A trajetória crescente das despesas com juros em relação ao superávit primário foi influenciada, principalmente, pelo aumento da inflação nos últimos seis meses e pela retomada do processo de altas da taxa básica de juros (Selic), que foi reajustada de 10,75% para 11,75% ao ano no primeiro trimestre, de acordo com nota técnica que acompanha o relatório do BC. Na reunião realizada na semana passada, o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC elevou a Selic para 12% ao ano.

 

Mais Sobre Economia - Nacional

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

COVID19 no Brasil: cuidadosNa tentativa de conter a disseminação do novo Coronavírus (COVID19), diversos países do mundo reforçaram suas medidas de is

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Um documento enviado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) aos governadores brasileiros revela que o corte de 50%

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia informa que identificou a falta de prestação das informações sobre admissões

Ajuda ao MEi será de R$600,  diz presidente Bolsonaro

Ajuda ao MEi será de R$600, diz presidente Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro afirmou hoje (26) que o auxílio emergencial para os trabalhadores informais durante a pandemia do novo coronavírus será de