Porto Velho (RO) sexta-feira, 26 de abril de 2019
×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Nakano volta a propor cortes de 3,4% do PIB. Ministro duvida e Alckmin rechaça


Agência O GloboRIO - O economista Yoshiaki Nakano, professor da Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP), e um dos elaboradores do programa econômico do candidato à presidência Geraldo Alckmin (PSDB), voltou a defender, nesta terça-feira, uma redução drástica dos gastos públicos, da ordem de 3,4% do Produto Interno Bruto (PIB, conjunto de todas as riquezas geradas pelo país).- Não vai, não vai cortar. Isso não consta do meu programa e não tem nada disso não. Do meu governo só falo eu - disse Alckmin antes de um encontro com políticos e prefeitos do PSDB na capital mineira.Ao participar de seminário nesta terça-feira, no Rio, Nakano tentou explicar sua proposta, afirmando que a redução de gastos viria da eficiência da eficiência na administração.Nakano também defendeu intervenções no câmbio para conter a alta do dólar e fez mais uma proposta polêmica. Ele disse que o país deve copiar, imitar e aprender tecnologias, e não apenas incentivar inovação.Na véspera, a proposta de cortes de gastos feita por Nakano - cotado para ser o ministro da Fazenda em um governo Alckmin - foi duramente criticada pelo coordenador da campanha de Lula, Marco Aurélio Garcia, que acusou Alckmin "de propor recessão e inoperância". Nesta terça-feira, o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, reagiu com surpresa à proposta de Nakano, mea em tom mais ameno.- Olha, eu até li uma notícia, mas com toda sinceridade, acho que deve ser um mal-entendido porque o doutor Nakano é uma pessoa da maior qualificação técnica. Ele tem preparo, é um grande técnico. Eu duvido que ele tenha falado isso. Porque 3% do PIB, se nós pegarmos PIB de R$ 2,2 trilhões no ano que vem, vai dar em torno de R$ 70 bilhões de corte, nós temos previsto de despesas discricionárias, fora as despesas obrigatórias, R$ 91 bilhões, portanto, o doutor Yoshiaki Nakano com certeza não falou isso, porque tenho certeza que ele sabe que não é assim que se faz - disse o ministro.Paulo Bernardo ponderou ainda que uma redução de despesas é possível, mas não de forma brusca.

Mais Sobre Economia - Nacional

10 direitos dos trabalhadores em caso de demissões depois da reforma trabalhista

10 direitos dos trabalhadores em caso de demissões depois da reforma trabalhista

Apesar da economia já apresentar melhoras, ainda é grande o temor de muitos trabalhadores em relação a possibilidade de serem os próximos demitidos e

Obrigações do MEI - Empréstimo para MEI: Linhas de crédito disponíveis - eSocial começa a receber informações do MEI

Obrigações do MEI - Empréstimo para MEI: Linhas de crédito disponíveis - eSocial começa a receber informações do MEI

*Obrigações do MEI* O Microempreendedor Individual (MEI) é um enquadramento empresarial previsto no SIMPLES Nacional e, por isso, fica isento dos trib

Economia: LDO de 2020 não prevê concursos nem reajuste para servidores

Economia: LDO de 2020 não prevê concursos nem reajuste para servidores

A proposta de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2020, apresentada hoje (15) pelo Ministério da Economia, não prevê concursos não autorizados ne

Equipe econômica do governo Bolsonaro propõe salário mínimo de R$ 1.040 para o próximo ano

Equipe econômica do governo Bolsonaro propõe salário mínimo de R$ 1.040 para o próximo ano

Pela primeira vez, o valor do salário mínimo ultrapassará R$ 1 mil. O governo propôs salário mínimo de R$ 1.040 para 2020, o que representa alta de 4,