Porto Velho (RO) terça-feira, 2 de junho de 2020
×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Mercados: Petrobras e Vale garantem alta de 0,25% do Ibovespa


Agência O Globo SÃO PAULO - Na última hora de pregão, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) retomou o rumo ascendente da abertura e fechou com o seu principal índice em alta. A melhora local resultou da valorização das principais ações do Ibovespa: Petrobras PN e Companhia Vale do Rio Doce PNA, que foram beneficiadas pelo avanço nos preços de commodities como petróleo e metais. O resultado positivo no mercado local teve ainda como pano de fundo a recuperação dos pregões em Wall Street. O Ibovespa terminou o dia com alta de 0,25%, aos 45.644 pontos, após oscilar da mínima de 44.965 pontos à máxima de 45.711 pontos. O volume financeiro somou R$ 2,69 bilhões. A bolsa paulista mostrou ganhos no início desta segunda-feira, mas logo passou a operar no vermelho com a reação pessimista de Wall Street à queda na comercialização de residências novas nos Estados Unidos. Uma vez que muitos analistas aguardavam aumento nessa atividade, o declínio reavivou temores sobre os efeitos de uma desaceleração neste setor na economia norte-americana. A informação foi o pretexto que os investidores - tanto em Nova York como no Brasil - precisavam para realizar os lucros sobre a alta acumulada na última semana. De acordo com o Departamento de Comércio dos EUA, a venda de moradias novas naquele país caiu 3,9% no mês passado, para uma taxa anual de 848 mil unidades ante as 882 mil casas de janeiro (revisado). Foi o menor nível desde junho de 2000. O resultado contrariou as expectativas de muitos economistas, que aguardavam a venda de 1,01 milhão de residências para fevereiro - o que significaria um acréscimo de 8% sobre janeiro antes da revisão. Em Nova York, o índice Dow Jones e S e P 500 registraram quedas de 0,9% e 0,89%, respectivamente, nas mínimas do dia, mas apresentaram recuperação no final. O Dow reduziu a queda para 0,10%, enquanto o S e P 500 reverteu a baixa e fechou com alta de 0,10%. A melhora em Wall Street reforçou o viés positivo gerado pelo avanço nos preços de commodities, que beneficiaram Petrobras PN e Vale PNA - responsáveis por quase 30% do Ibovespa. As ações preferenciais da estatal fecharam o dia com alta de 1,17%, a R$ 44,60, beneficiadas pela alta dos preços do petróleo no ambiente internacional. Em NY, o WTI para maio subiu 1%, a US$ 62,91. No caso das preferenciais de classe A da mineradora, ajudadas pela aumento dos metais, o acréscimo foi de 1,26%, a R$ 64,71. Do lado negativo, as ações PN da TAM e da Gol destacaram-se entre as principais perdas do Ibovespa. Dois bancos de investimento - Morgan Stanley e Bear Stearns - rebaixaram a recomendação para os papéis da TAM, alegando a pesada competição no mercado aéreo doméstico. A recomendação das ações da Gol também foi reavaliada para baixo pelo Bear Stearns. No fechamento, TAM PN recuou 5,44%, a R$ 52,95 - a maior baixa do índice paulista. Os papéis PN da Gol caíram 3,15%, a R$ 53,70 - terceira maior queda. (Paula Laier | Valor Online)

Mais Sobre Economia - Nacional

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Não há empregos sem empresasEm 1985, a inflação no Brasil atingiu o valor de 242,23%. Em 1986, com receio da aceleração descontrolada da inflação, o g

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

COVID19 no Brasil: cuidadosNa tentativa de conter a disseminação do novo Coronavírus (COVID19), diversos países do mundo reforçaram suas medidas de is

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Um documento enviado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) aos governadores brasileiros revela que o corte de 50%

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia informa que identificou a falta de prestação das informações sobre admissões