Porto Velho (RO) sexta-feira, 18 de setembro de 2020
×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Mercados: DIs fecham em queda, após fala tranqüila de presidente do Fed e IGP-10


Agência O Globo SÃO PAULO - As taxas dos contratos de Depósito Interfinanceiro (DI), negociados na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM e F), deram continuidade ao viés de baixa nesta quarta-feira. Após novo dado de inflação doméstica favorável, a tendência de queda dos juros futuros ainda foi ajudada pela repercussão positiva dos investidores às declarações do presidente do Federal Reserve (Fed), Ben Bernanke, sobre a economia dos Estados Unidos. O contrato de DI para abril marcou 12,74% anuais, com queda de 0,01 ponto percentual. O ativo para julho caiu 0,04 ponto, a 12,47% anuais. Janeiro de 2008 projetou 12,13% anuais, com baixa de 0,05 ponto. Julho do próximo ano recuou 0,07 ponto, a 12% ao ano. A taxa para janeiro de 2009 indicou 11,94% anuais, com declínio de 0,07. Janeiro de 2010 registrou 11,92% ao ano, com queda de 0,11 ponto. Até as 16 horas, antes do ajuste final de posições, foram negociados 1,211 milhão de contratos, equivalentes a R$ 106,39 bilhões (US$ 50,45 bilhões). Ontem, foram fechados negócios com 923,448 mil ativos. O vencimento de janeiro de 2008 era o mais negociado, com 243,88 mil contratos registrados, equivalentes a R$ 22,08 bilhões (US$ 10,47 bilhões). No último pregão, foram negociados 128,783 mil contratos para esse vencimento. Na avaliação do economista-chefe da Fidúcia Asset Management, Marcelo Castello Branco, o discurso de Bernanke mais ameno quando comparado às últimas declarações de outros diretores Fed. O titular do banco central norte-americano disse que o crescimento econômico nos Estados Unidos tem moderado, avaliou que a inflação deve convergir para a zona de conforto e considerou que a produtividade continua positiva, observou Castello Branco. "Por ora, os dados recebidos apóiam a visão de que a posição de política monetária atual deve alimentar o crescimento econômico sustentável e reduzir gradualmente o núcleo da inflação", destacou Bernanke. Ele ainda disse, no discurso preparado para ser apresentado ao Congresso, que existem indícios de que as pressões inflacionárias começam a ceder nos EUA, mas ressalvou que ainda é preciso algum tempo para que o Fed esteja confiante de que o núcleo da inflação esteja moderando conforme o previsto. Para o economista-chefe da Up Trend Consultoria Econômica, Jason Vieira, o discurso de Bernanke foi em linha com a perspectiva de manutenção dos juros norte-americanos por um período relativamente longo. "A inflação continua sendo apontada como principal preocupação, mas, pelas palavras do titular do Fed, outros indicadores econômicos têm respondido bem à política monetária aplicada pela instituição", acrescentou o profissional. O teor do discurso de Bernanke foi conhecido logo após o início de seu testemunho no comitê de bancos do Senado. Os investidores, entretanto, continuam atentos ao evento, uma vez que o presidente do BC norte-americano responde agora a perguntas dos parlamentares nos EUA. Na pauta doméstica, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) informou que o Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) apontou inflação de 0,28% em fevereiro, após uma alta de 0,39% no primeiro mês de 2007. O resultado de fevereiro ficou abaixo da mediana de projeções do mercado financeiro, reforçando ainda mais o prognóstico favorável em relação aos preços. No acumulado do ano, o indicador subiu 0,67% e, em 12 meses, apresentou incremento de 3,70%. (Paula Laier | Valor Online)

Mais Sobre Economia - Nacional

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Não há empregos sem empresasEm 1985, a inflação no Brasil atingiu o valor de 242,23%. Em 1986, com receio da aceleração descontrolada da inflação, o g

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

COVID19 no Brasil: cuidadosNa tentativa de conter a disseminação do novo Coronavírus (COVID19), diversos países do mundo reforçaram suas medidas de is

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Um documento enviado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) aos governadores brasileiros revela que o corte de 50%

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia informa que identificou a falta de prestação das informações sobre admissões