Porto Velho (RO) domingo, 25 de outubro de 2020
×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Mercado prevê agora inflação de 3,23% em 2006


Agência O Globo RIO - Mais uma vez, o mercado reduziu a estimativa de inflação para 2006. Segundo pesquisa semanal do Banco Central junto a 100 instituições financeiras, a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve fechar o ano em 3,23%, contra 3,32% da sondagem anterior. Esse resultado está bem abaixo do centro da meta estipulada para este ano, de 4,5%. Para 2007, a previsão também foi reduzida, passando agora para 4,34%, contra 4,4% da semana anterior. De acordo com o Relatório de Mercado do BC, o IPCA deve fechar o mês de setembro em 0,23%, previsão menor que a da semana anterior. Houve redução também na estimativa para outubo, que agora é de 0,33% (0,35%). O mercado acredita ainda que a inflação oficial nos próximos 12 meses deve ficar em 4,29%, contra 4,39% da pesquisa divulgada na semana passada.

Mais Sobre Economia - Nacional

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Não há empregos sem empresasEm 1985, a inflação no Brasil atingiu o valor de 242,23%. Em 1986, com receio da aceleração descontrolada da inflação, o g

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

COVID19 no Brasil: cuidadosNa tentativa de conter a disseminação do novo Coronavírus (COVID19), diversos países do mundo reforçaram suas medidas de is

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Um documento enviado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) aos governadores brasileiros revela que o corte de 50%

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia informa que identificou a falta de prestação das informações sobre admissões