Porto Velho (RO) sexta-feira, 30 de outubro de 2020
×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Mercado de cartões movimentou R$ 10,3 bi em julho


Aguinaldo Novo - Agência O Globo SÃO PAULO - As compras pagas com cartão de crédito em todo o país somaram R$ 12,8 bilhões no mês de julho, 24% a mais do que o registrado no mesmo período em 2005. Na ocasião, o montante registrado foi de R$ 10,3 bilhões. O resultado, divulgado pela Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), demonstra que o mercado brasileiro de meios eletrônicos de pagamento inicia o segundo semestre apresentando o mesmo ritmo de crescimento dos primeiros seis meses do ano. Ao todo foram gastos R$ 20,6 bilhões em julho, que é um resultado 21% maior do que o de julho do ano passado, considerando as modalidades crédito, débito, loja e uso doméstico e regional. Este montante foi alcançado em 367 milhões de transações, realizadas por 362 milhões de plásticos em circulação.

Mais Sobre Economia - Nacional

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Não há empregos sem empresasEm 1985, a inflação no Brasil atingiu o valor de 242,23%. Em 1986, com receio da aceleração descontrolada da inflação, o g

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

COVID19 no Brasil: cuidadosNa tentativa de conter a disseminação do novo Coronavírus (COVID19), diversos países do mundo reforçaram suas medidas de is

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Um documento enviado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) aos governadores brasileiros revela que o corte de 50%

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia informa que identificou a falta de prestação das informações sobre admissões