Porto Velho (RO) quinta-feira, 29 de outubro de 2020
×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Mantega prevê PIB de 1,4% no terceiro trimestre


Lino Rodrigues - Agência O Globo SÃO PAULO - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou nesta segunda-feira que o corte de R$ 1,6 bilhão no Orçamento da União é um ajuste necessário nas contas do governo, pois refletiria a queda nas previsões da inflação. - Com a revisão das projeções de inflação para o ano, a receita nominal será menor e a expansão do PIB está sendo revista de 4,5% para 4% - disse Mantega. Essa readequação no crescimento da economia, segundo Mantega, já vinha sendo admitida por ele ao longo deste segundo semestre. - Ao longo do ano vai se tendo uma visão mais precisa do PIB. É difícil acertar na mosca. Hoje está mais para 4% do que para 4,5% - minimizou ele, acrescentando que o PIB do terceiro trimestre deve fechar com aumento entre 1,2% e 1,4%, garantindo um PIB de 4% para este ano. A previsão contraria as estimativas do mercado divulgadas pelo Boletim Focus, do Banco Central, que reduziu sua previsões de crescimento para o PIB de 3,11% para 3,09%. Para o ministro, as previsões do Focus são refeitas toda semana e o pífio resultado do PIB no segundo trimestre, de 0,5%, foi um acidente de percurso que acontece todos os anos. - Todo ano tem um trimestre que é a ovelha negra, mas isso não vai impedir que a economia cresça 4% este ano - insistiu Mantega. O ministro voltou a afirmar que a tensão política causada pelas denúncias de compra de dossiê contra o PSDB não afetou nem vai afetar a economia. - A economia brasileira ganhou solidez e se tornou imune a certos conflitos políticos - disse o ministro, acrescentando que todo esse conflito político, que classificou de "bobagem", acaba quando saírem os resultados das urnas. Mantega disse ainda que a crise também não irá impedir as reformas previstas para o próximo ano, independentemente de quem ganhar a eleição para presidente da República.

Mais Sobre Economia - Nacional

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Não há empregos sem empresasEm 1985, a inflação no Brasil atingiu o valor de 242,23%. Em 1986, com receio da aceleração descontrolada da inflação, o g

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

COVID19 no Brasil: cuidadosNa tentativa de conter a disseminação do novo Coronavírus (COVID19), diversos países do mundo reforçaram suas medidas de is

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Um documento enviado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) aos governadores brasileiros revela que o corte de 50%

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia informa que identificou a falta de prestação das informações sobre admissões