Porto Velho (RO) quinta-feira, 28 de maio de 2020
×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Mantega prevê déficit nominal zero em 4 anos e PIB de 5%


Agência O Globo RIO - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou ontem (16) que o déficit nominal do setor público pode ser zerado em quatro anos, com o recuo das taxas de juros e um crescimento mais forte da economia. O déficit nominal do setor público corresponde aos gastos dos governos municipais, estaduais e o federal, acima do que arrecadam, incluindo despesas com juros. Segundo o ministro, o déficit poderia cair a zero, frente aos atuais 3,4% do Produto Interno Bruto (PIB), correspondentes a cerca de R$ 69 bilhões. A estimativa leva em conta a manutenção do superávit primário em 4,25% do PIB e um crescimento anual de 5%. - Nos próximos quatro anos, isso é perfeitamente possível (zerar o déficit) - disse o ministro, a jornalistas. Para Mantega, o crescimento mais robusto, próximo de 5% ao ano, será possível porque as travas se foram. - Como você já alcançou inflação baixa, não precisa de juros altos, pode-se baixar os juros - explicou. O ministro reiterou que, no passado, a elevação das taxas de juros ocorreu para conter os preços, o que agora é desnecessário. - Hoje, nós estamos nos beneficiando da taxa de juros de seis meses atrás. Como ela continua numa descendente, isso é estimulante para a economia - disse. Desde setembro do ano passado, o Comitê de Política Monetária (Copom) vem realizando cortes sucessivos da Selic. Naquela época, a taxa era de 19,50% ao ano e, atualmente, está em 14,25% anuais. Na quarta-feira, o Copom anuncia sua nova decisão para o juro primário. O consenso no mercado é de que haverá um novo corte de 0,5 ponto percentual, para 13,75%. Mantega declarou ainda que não há qualquer risco de o governo não cumprir o superávit primário. - Se tivermos que reduzir os gastos, vamos reduzir - garantiu.

Mais Sobre Economia - Nacional

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Não há empregos sem empresasEm 1985, a inflação no Brasil atingiu o valor de 242,23%. Em 1986, com receio da aceleração descontrolada da inflação, o g

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

COVID19 no Brasil: cuidadosNa tentativa de conter a disseminação do novo Coronavírus (COVID19), diversos países do mundo reforçaram suas medidas de is

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Um documento enviado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) aos governadores brasileiros revela que o corte de 50%

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia informa que identificou a falta de prestação das informações sobre admissões