Quarta-feira, 21 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Mantega diz que " daqui a pouco ninguém mais vai falar em juros "


Agência O Globo SÃO PAULO - A inflação nunca esteve tão sólida e controlada como atualmente. Por isso, não há razão para grandes preocupações com a taxa básica de juros, que embora esteja alta, está no caminho certo. Foi o que o ministro da Fazenda, Guido Mantega em São Paulo, após almoço em sua homenagem oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). "O mais importante é olhar para a inflação. Enquanto ela estiver sob controle, não se preocupe com juros. Daqui a pouco, ninguém mais vai falar em juros, porque vão caminhando para sua posição correta", analisou o ministro. Para ele, a taxa de juros não atrapalhará a produção, e sim estimulará. "Hoje existe crédito abundante na economia. As condições financeiras para o investimento e o crescimento estão dadas. Estamos no caminho certo, estamos indo na direção correta. Não se deve fazer nada de forma abrupta porque não é bom para a economia, mas estamos trilhando o caminho certo da redução do custo financeiro no Brasil", disse. Segundo ele, o governo continuará trabalhando para reduzir o custo financeiro e o que deve fazer neste momento é atacar o spread. Spread bancário é a diferença entre o que o banco paga na captação de recursos e a taxa cobrada na concessão do empréstimo. A taxa média caiu de 27,2% em fevereiro para 26,5% em março. Está em 38% ao ano para pessoa física e 13,4% para empresas. "O spread bancário é muito elevado no país. Esta é uma agenda que vamos colocar na ordem do dia porque não é possível que o spread seja mais elevado que a Selic", afirmou o ministro. Para ele, é preciso aumentar a competitividade do mercado financeiro, com aprovação do cadastro positivo, com a lei da defesa da concorrência. Mas preferiu não definir prazos para o cumprimento dessa agenda. O ministro disse também que não é contra os ganhos elevados dos bancos porque isso faz " parte do espírito do capitalismo " , mas desde que sejam obtidos a partir de um trabalho realizado ou de financiamentos concedidos. "O que não pode é ter muito lucro com spread e tarifa muito elevada. Isso não é bom e nós temos que rever". Mantega frisou também que o governo tem maneiras de aumentar a competitividade do setor, como a criação da conta -salário, que dá ao trabalhador a opção de receber seu pagamento no banco que bem entender - embora neste primeiro momento, o mecanismo só esteja disponível para uma parcela dos cidadãos. Na avaliação do ministro, o importante é que o correntista seja disputado e não precise procurar o banco para ter a conta. "Essa é a diferença. O cliente é o correntista. É ele que tem que ser cortejado pelo banco, que tem que oferecer vantagens para o cliente. É assim que se instaura a competitividade".

Gente de OpiniãoQuarta-feira, 21 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

Programa Social: Novo Bolsa Família cumprirá teto de gastos, diz ministro da Cidadania

Programa Social: Novo Bolsa Família cumprirá teto de gastos, diz ministro da Cidadania

O programa social que pretende substituir o Bolsa Família terá o maior valor possível para o benefício dentro do teto de gastos, disse hoje (9) o mi

Banco do Brasil lança dois programas de desligamento incentivado

Banco do Brasil lança dois programas de desligamento incentivado

O Banco do Brasil (BB) anunciou nesta segunda-feira (11) dois programas de desligamento incentivado. A expectativa é que a adesão chegue a 5 mil fun

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Não há empregos sem empresasEm 1985, a inflação no Brasil atingiu o valor de 242,23%. Em 1986, com receio da aceleração descontrolada da inflação, o g

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

COVID19 no Brasil: cuidadosNa tentativa de conter a disseminação do novo Coronavírus (COVID19), diversos países do mundo reforçaram suas medidas de is

Gente de Opinião Quarta-feira, 21 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)