Domingo, 25 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Mantega diz que Brasil cresce a 4,5% anuais e que câmbio não afeta expansão


Agência O Globo BRASÍLIA - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou hoje que apesar da queda contínua no preço do dólar, o câmbio não está afetando o crescimento da economia brasileira, que está já evoluindo no ritmo de 4,5% . Segundo Mantega, todos os indicadores estão favoráveis e os investimentos estão crescendo 10% sobre 2006, quando foi registrada alta de 8,7%.Segundo Mantega, o que aconteceu na semana passada com o câmbio foi uma pressão forte que não se deu somente sobre o Brasil . Segundo ele, a questão é que o dólar americano está desvalorizando porque a economia nos EUA está crescendo menos que o esperado . O ministro explicou ainda que pelo menos 15 moedas se valorizaram sobre o dólar na semana passada, mas isso não ocorreu com o real.O ministro admitiu, em entrevista no Palácio do Planalto, que a excessiva valorização do real frente ao dólar pode prejudicar um ou outro setor, mas não no geral . Mesmo os setores prejudicados, como o de calçados, de acordo com o ministro, estão conseguindo certa recuperação produzindo com mais qualidade do que a China . Ele citou também que o setor têxtil está compensando perdas com exportação virando-se para o mercado interno. Entre os exemplos de indicadores recentes que estão sustentando o crescimento, Mantega citou o aumento de 36,7% nas vendas do setor automobilístico em dado de abril deste ano sobre abril de 2006, divulgados hoje pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).Mantega também justificou que apesar da revisão do Produto Interno Bruto (PIB) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), foram mantidas as projeções para variação do PIB no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) no primeiro balanço quadrimestral divulgado hoje. As taxas do PIB continuam em 4,5% para 2007 e 5% de 2008 a 2010. Não houve necessidade de revisão porque as minhas previsões eram as corretas, mesmo antes da mudança pelo IBGE. Quem teve que revisar foram os analistas do mercado, que agora estão apontando para mais de 4% . (Azelma Rodrigues | Valor Online)

Gente de OpiniãoDomingo, 25 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

Programa Social: Novo Bolsa Família cumprirá teto de gastos, diz ministro da Cidadania

Programa Social: Novo Bolsa Família cumprirá teto de gastos, diz ministro da Cidadania

O programa social que pretende substituir o Bolsa Família terá o maior valor possível para o benefício dentro do teto de gastos, disse hoje (9) o mi

Banco do Brasil lança dois programas de desligamento incentivado

Banco do Brasil lança dois programas de desligamento incentivado

O Banco do Brasil (BB) anunciou nesta segunda-feira (11) dois programas de desligamento incentivado. A expectativa é que a adesão chegue a 5 mil fun

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Não há empregos sem empresasEm 1985, a inflação no Brasil atingiu o valor de 242,23%. Em 1986, com receio da aceleração descontrolada da inflação, o g

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

COVID19 no Brasil: cuidadosNa tentativa de conter a disseminação do novo Coronavírus (COVID19), diversos países do mundo reforçaram suas medidas de is

Gente de Opinião Domingo, 25 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)