Quinta-feira, 22 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Lula diz que preços dos produtos e taxa de juros vão cair



Paula Laboissière
Agência Brasil


Brasília - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou hoje (12) que, diante das novas medidas tomadas pelo governo na tentativa de conter os efeitos da crise financeira internacional, os preços dos produtos e a taxa de juros vão cair e o consumidor vai sentir mais facilidade na hora de comprar.

"Muitas vezes, um trabalhador estava com medo de comprar um carro, uma geladeira, um fogão ou uma televisão porque ele não queria fazer o endividamento com medo de ser mandado embora. Quando nós tomamos essas medidas, certamente o preço desses produtos vai baixar e ele vai poder fazer essa compra com uma certa tranqüilidade."

Em seu programa semanal de rádio Café com o Presidente, Lula falou sobre o encontro com um grupo de empresários na semana passada. Ele avaliou o encontro como "a mais importante reunião da empresários" da qual já participou e afirmou ainda que o setor está "preocupado" e "cheio de disposição" para ajudar o país a enfrentar a instabilidade dos mercados internacionais "de cabeça erguida".

"Discutimos para que nenhum empresário dispense trabalhador porque é importante manter o nível de emprego. Eu assumi o compromisso de conversar com os dirigentes sindicais para saber da possibilidade de estabelecermos acordos em alguns setores que foram mais afetados. Fiquei muito satisfeito porque senti que os empresários assumiram de corpo e alma a responsabilidade de ajudar o país a enfrentar essa crise."

Em relação à retomada de crescimento da economia norte-americana, Lula avaliou que o país vive "um vazio de poder" uma vez que o recém-eleito presidente Barack Obama toma posse apenas no dia 20 de janeiro.

"Esperamos que, assim que ele tomar posse, tome todas as medidas para incentivar o setor produtivo americano para que a economia volte, dentro de pouco tempo, a funcionar normalmente. Uma coisa é certa: a economia mundial nunca mais será a mesma. O sistema financeiro vai ter um certo controle porque não é possível a ciranda financeira tomar conta da economia mundial como tomou. E quando quebra, quem paga são os trabalhadores e é o Estado quem tem que colocar dinheiro."

 

Gente de OpiniãoQuinta-feira, 22 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

Programa Social: Novo Bolsa Família cumprirá teto de gastos, diz ministro da Cidadania

Programa Social: Novo Bolsa Família cumprirá teto de gastos, diz ministro da Cidadania

O programa social que pretende substituir o Bolsa Família terá o maior valor possível para o benefício dentro do teto de gastos, disse hoje (9) o mi

Banco do Brasil lança dois programas de desligamento incentivado

Banco do Brasil lança dois programas de desligamento incentivado

O Banco do Brasil (BB) anunciou nesta segunda-feira (11) dois programas de desligamento incentivado. A expectativa é que a adesão chegue a 5 mil fun

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Não há empregos sem empresasEm 1985, a inflação no Brasil atingiu o valor de 242,23%. Em 1986, com receio da aceleração descontrolada da inflação, o g

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

COVID19 no Brasil: cuidadosNa tentativa de conter a disseminação do novo Coronavírus (COVID19), diversos países do mundo reforçaram suas medidas de is

Gente de Opinião Quinta-feira, 22 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)