Quarta-feira, 21 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Intenção de consumo de Porto Velho fica menor que a nacional


 

A Pesquisa de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) das famílias de Porto Velho, no mês de outubro, elaborada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Rondônia-FECOMÉRCIO/RO em conjunto com a Confederação Nacional do Comércio-CNC, este ano, pela primeira vez, apresenta uma situação incomum: a intenção de consumo da capital de Rondônia ficou um pouco menor que a média nacional. Em outubro a Intenção de Consumo das Famílias de Porto Velho caiu de 129,7 pontos para 125,9 pontos, ou seja, uma queda de -2,9%. Como a intenção de consumo nacional subiu ligeiramente de 0,1% (126,3 pontos) na comparação com o mês imediatamente anterior, agora, é 0,24% maior que a de Porto Velho. A intenção de consumo de Porto Velho é 2,9% menor que a de outubro do ano passado enquanto a nacional é 6,3% menor. Entre os sete itens pesquisados cinco tiveram um desempenho negativo, com destaque para o Momento para Duráveis que, por conta do fim dos incentivos à linha branca, teve uma queda de -12,5% depois apenas o Emprego Atual também caindo -3,8% apresentou alguma alteração significativa. Com todos estes resultados ainda assim o Nível de Consumo Atual apresentou um crescimento de 3,2% e a Perspectiva Profissional foi levemente positiva com um aumento de 1,1%.
 

INTENÇÃO DE CONSUMO DAS FAMÍLIAS DE PORTO VELHO- Outubro de 2013

 INDICE

Agosto

Setembro

 Outubro

Variação% Setembro/Outubro

INTENÇÃO DE CONSUMO DAS FAMÍLIAS

129,9

129,2

125,9

    -2,9     

  Emprego Atual

142,3

134,0

128,9

    -3,8 

  Perspectiva Profissional

140,8

132,2

133,6

     1,1 

  Renda Atual

146,0

145,2

142,7

    -1,7

  Acesso à Credito

140,5

136,1

134,6

    -1,1

  Nível de Consumo Atual

101,0

104,5

107,8

     3,2

  Perspectiva de Consumo

119,2

126,2

123,6

    -2,1

  Momento para Duráveis

119,7

126,4

110,6

    -12,5

Fonte: CNC/Fecomércio-Pesquisa Direta
 

Para o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Rondônia, Raniery Araújo Coelho, os resultados refletem os problemas advindos da greve dos bancários, que impactou negativamente as vendas do Dia das Crianças, impedindo que houvesse uma expectativa mais positiva das famílias e dos empresários. De forma que, mesmo com as perspectivas de uma inflação menor, o aumento do custo do crédito e o otimismo quase estável em relação ao emprego e da renda atual influíram decisivamente sobre a intenção de consumo mesmo com o aumento do nível de consumo atual. Para Raniery “O mês de novembro deve, com a retomada da normalidade do setor bancário, aquecer o comércio, de forma que se, em nível nacional se espera um aumento de 5%¨nas vendas de fim de ano, em Porto Velho, é possível que este aumento vá girar em torno de 6 a 7%, o que considerando as circunstâncias será um bom crescimento”, concluiu.

Fonte: Ascom / Fecomércio
 

Gente de OpiniãoQuarta-feira, 21 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

Programa Social: Novo Bolsa Família cumprirá teto de gastos, diz ministro da Cidadania

Programa Social: Novo Bolsa Família cumprirá teto de gastos, diz ministro da Cidadania

O programa social que pretende substituir o Bolsa Família terá o maior valor possível para o benefício dentro do teto de gastos, disse hoje (9) o mi

Banco do Brasil lança dois programas de desligamento incentivado

Banco do Brasil lança dois programas de desligamento incentivado

O Banco do Brasil (BB) anunciou nesta segunda-feira (11) dois programas de desligamento incentivado. A expectativa é que a adesão chegue a 5 mil fun

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Não há empregos sem empresasEm 1985, a inflação no Brasil atingiu o valor de 242,23%. Em 1986, com receio da aceleração descontrolada da inflação, o g

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

COVID19 no Brasil: cuidadosNa tentativa de conter a disseminação do novo Coronavírus (COVID19), diversos países do mundo reforçaram suas medidas de is

Gente de Opinião Quarta-feira, 21 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)