Quarta-feira, 28 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Intenção de consumo de Porto Velho cresce pelo 2º mês


A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Rondônia-FECOMÉRCIO/RO, em conjunto com a Confederação Nacional do Comércio-CNC, realizou a Pesquisa de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) das famílias de Porto Velho do mês de abril que, pelo segundo mês consecutivo, teve um crescimento na intenção de consumo subindo de 129,9 pontos em março para 132,0 pontos em abril, ou seja, um aumento de 1,6%. Entre os sete itens pesquisados quatro tiveram um desempenho positivo com destaque para o Nível de Consumo Atual que subiu 19,4% em abril e outro destaque foi a Renda Atual que cresceu 4,6%. Entre os três itens que tiveram desempenho negativo o maior destaque foi o da Perspectiva Profissional que caiu -5,7%. Momento para Duráveis aparece depois com uma leve queda de -0,6%.
 

INDICE

Fev.

Março

 Abril

Variação% Março/Abril

INTENÇÃO DE CONSUMO DAS FAMÍLIAS

126,5

129,9

132,0

           1,6%

  Emprego Atual

137,6

134,7

134,6

         -0,1    

  Perspectiva Profissional

126,3

153,7

145,0

         -5,7

  Renda Atual

134,4

143,3

149,9

          4,6

  Acesso à Credito

140,6

142,2

146,6

          3,1

  Nível de Consumo Atual

   88,6

  93,8

103,6

        10,4

  Perspectiva de Consumo

126,4

119,1

122,4

          2,8

  Momento para Duráveis

123,7

122,8

122,1

        -0,6

Fonte: CNC/Fecomércio-Pesquisa Direta

Os dados da pesquisa de Intenção de Consumo de Porto Velho revelam que com o endividamento caindo, e o maior acesso ao crédito, a intenção de consumo das famílias de Porto Velho voltou a se elevar no sentido contrário a intenção de consumo das famílias brasileiras que caiu -1,2% se situando no patamar de 130,6 pontos, ou seja, a intenção de consumo de Porto Velho é 1,1% maior do que a nacional. Este resultado tem ainda a seu favor o fato de que a Perspectiva de Consumo cresceu de 119,1 para 122,4 pontos, um aumento de 2,8%, o que parece indicar que haverá uma melhoria gradual do comércio nos próximos meses.

Para o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Rondônia, Raniery Araújo Coelho, analisando as condições atuais e as perspectivas futuras da economia, lembrou que a previsão da Divisão Econômica da CNC é de que o volume de vendas do varejo obtenha um crescimento em torno de 6,5%, em 2013, mas, que considerando que as regiões Sul (150,7 pontos) e Norte (149,4 pontos) lideram o ranking regional de otimismo em relação ao consumo, é muito provável, e a previsão é da Divisão Econômica da Fecomércio/RO, o crescimento do varejo deve se situar me torno de 8,5% em relação à 2012. Para Raniery, “É muito positivo o fato de que, pelo segundo mês, a intenção de consumo tenha se elevado e com o menor endividamento é de se esperar que, nos próximos meses, o comércio tenha um faturamento melhor”.

Sobre o ICF

Os resultados do ICF são avaliados sob dois ângulos. O primeiro é o grau de satisfação e insatisfação dos consumidores. O índice abaixo de 100 pontos indica uma percepção de insatisfação, enquanto acima de 100 (com limite de 200 pontos) indica o grau de satisfação em termos de seu emprego, renda e capacidade de consumo. O segundo ângulo é o da tendência do grau de satisfação e insatisfação, por meio das variações mensais do ICF total. O ICF é composto por sete itens. Quatro deles – emprego atual, renda atual, compra a prazo e nível de consumo atual - comparam a expectativa do consumidor em relação a igual período do ano passado. Os demais itens referem-se a perspectivas de melhoria profissional para os próximos seis meses, expectativas de consumo para os próximos três meses e avaliação do momento atual quanto à aquisição de bens duráveis. As informações são obtidas a partir de 500 questionários aplicados em Porto Velho.

 Fonte: Fecomércio
 

Gente de OpiniãoQuarta-feira, 28 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

Programa Social: Novo Bolsa Família cumprirá teto de gastos, diz ministro da Cidadania

Programa Social: Novo Bolsa Família cumprirá teto de gastos, diz ministro da Cidadania

O programa social que pretende substituir o Bolsa Família terá o maior valor possível para o benefício dentro do teto de gastos, disse hoje (9) o mi

Banco do Brasil lança dois programas de desligamento incentivado

Banco do Brasil lança dois programas de desligamento incentivado

O Banco do Brasil (BB) anunciou nesta segunda-feira (11) dois programas de desligamento incentivado. A expectativa é que a adesão chegue a 5 mil fun

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Não há empregos sem empresasEm 1985, a inflação no Brasil atingiu o valor de 242,23%. Em 1986, com receio da aceleração descontrolada da inflação, o g

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

COVID19 no Brasil: cuidadosNa tentativa de conter a disseminação do novo Coronavírus (COVID19), diversos países do mundo reforçaram suas medidas de is

Gente de Opinião Quarta-feira, 28 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)