Porto Velho (RO) sexta-feira, 26 de abril de 2019
×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Inflação pelo IGP-10 acelera para 1,02% em novembro, puxada por alimentos


Agência O GloboRIO - A inflação pelo Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) acelerou para 1,02% em novembro, ante 0,21% em outubro, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta terça-feira. A alta este mês segue a tendência já verificada em outros índices de preços, especialmente por causa da pressão de produtos agrícolas.O Índice de Preços por Atacado (IPA) - que tem o maior peso no índice - avançou 1,45%, depois da alta de 0,26% em outubro. Os preços dos produtos agrícolas subiram 5,42% no atacado, contra 2,08% no mês anterior. Os produtos industriais tiveram alta de 0,21%, contra deflação de 0,29% em outubro.O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou variação de 0,20%, frente à alta de 0,10% no mês anterior."O grupo Alimentação foi a classe de despesa que mais contribuiu para a aceleração do IPC'', apontou a FGV. Os preços desse grupo aumentaram 0,63%, depois de terem caído 0,36% em outubro.O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 0,23%, ante avanço de 0,14% em outubro.O IGP-10 é calculado com a mesma metodologia do IGP-M, que é usado para corrigir contratos de aluguel e das tarifas de energia elétrica. Porém o período de apuração é diferente, tendo como base os preços coletados entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência.No ano, o IGP-10 acumula alta de 3,56%. Nos últimos 12 meses, o avanço é de 3,62%.CopomSegundo economistas, a tendência de alta dos preços é temporária e de forma alguma ameaça o cumprimento da meta de inflação deste ano medida pelo IPCA, que é de 4,5%. Todas as previsões indicam que a inflação fechará o ano abaixo do centro da meta. E também não significaria maiores riscos para o cumprimento da meta de 2007, que também é de 4,5%.A alta superior a 5% nos preços agrícolas no atacado em novembro depois de outra alta na casa de 2% em outubro é vista como uma correção depois de quedas expressivas ao longo dos últimos 12 meses. Mas pode acender um sinal de alerta no Banco Central, que poderia começar a considerar uma desaceleração no ritmo de queda dos juros básicos para observar o comportamento da inflação e da demanda nos próximos meses, de forma a não estimular qualquer ameaça ao cumprimento da meta de 2007.O Comitê de Política Monetária (Copom) se reúne na semana que vem e a previsão do mercado, ponderada em pesquisa do BC feita na semana passada - é de corte de 0,5 ponto percentual na taxa básica de juros.

Mais Sobre Economia - Nacional

10 direitos dos trabalhadores em caso de demissões depois da reforma trabalhista

10 direitos dos trabalhadores em caso de demissões depois da reforma trabalhista

Apesar da economia já apresentar melhoras, ainda é grande o temor de muitos trabalhadores em relação a possibilidade de serem os próximos demitidos e

Obrigações do MEI - Empréstimo para MEI: Linhas de crédito disponíveis - eSocial começa a receber informações do MEI

Obrigações do MEI - Empréstimo para MEI: Linhas de crédito disponíveis - eSocial começa a receber informações do MEI

*Obrigações do MEI* O Microempreendedor Individual (MEI) é um enquadramento empresarial previsto no SIMPLES Nacional e, por isso, fica isento dos trib

Economia: LDO de 2020 não prevê concursos nem reajuste para servidores

Economia: LDO de 2020 não prevê concursos nem reajuste para servidores

A proposta de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2020, apresentada hoje (15) pelo Ministério da Economia, não prevê concursos não autorizados ne

Equipe econômica do governo Bolsonaro propõe salário mínimo de R$ 1.040 para o próximo ano

Equipe econômica do governo Bolsonaro propõe salário mínimo de R$ 1.040 para o próximo ano

Pela primeira vez, o valor do salário mínimo ultrapassará R$ 1 mil. O governo propôs salário mínimo de R$ 1.040 para 2020, o que representa alta de 4,