Porto Velho (RO) quarta-feira, 27 de maio de 2020
×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Índice de Confiança do Empresário Industrial aumenta em janeiro


Índice de Confiança do Empresário Industrial aumenta em janeiro O Globo Online BRASÍLIA - Os empresários da indústria brasileira começam o ano mais confiantes com a economia. É o que mostra a pesquisa Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) divulgada nesta quarta-feira pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), feita antes do anúncio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), anunciado na segunda-feira pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo o documento, o Icei alcançou em janeiro 59 pontos, melhor patamar dos últimos dois anos. Em outubro do ano passado, quando estava em 55 pontos, o indicador já sinalizava uma melhora. A avaliação dos empresários foi influenciada pelas vendas de fim de ano e perspectivas otimistas com o início do novo mandato.

- Em geral sempre há um aumento do índice de confiança no início do ano. No entanto, ao observarmos o comportamento de dois anos atrás, verificaremos que o índice era muito maior - afirma o gerente-executivo da Unidade de Pesquisa da CNI, Renato da Fonseca. O gerente-executivo avalia que, apesar desse avanço de quatro pontos, o aumento da confiança do empresário não é suficiente para determinar mudanças no ritmo de crescimento da indústria.

- Empresários mais confiantes geralmente investem mais. Porém, não é possível afirmar se haverá mudança no ritmo de crescimento. A tendência é que a recuperação econômica se mantenha lenta - reforça da Fonseca. O maior índice de confiança do empresário industrial, 64,9 pontos, foi registrado em janeiro de 2005. Segundo o gerente-executivo, a avaliação refletiu o bom desempenho da indústria no ano anterior. - Em 2004 tivemos um crescimento industrial, incentivado principalmente pelo freio por parte do governo em termos de taxas de juros - lembra.

Entre as pequenas e médias empresas o indicador atingiu 58 pontos em janeiro, contra 53,2 em outubro de 2006. Nas empresas de grande porte, também houve aumento. O índice passou de 58,4 pontos em outubro do ano passado para 60,8 pontos em janeiro. A pesquisa da CNI foi realizada no período de 2 a 19 de janeiro com 189 empresas de grande porte e 1.137 pequenas e médias indústrias. O levantamento é realizado trimestralmente.

Mais Sobre Economia - Nacional

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Não há empregos sem empresasEm 1985, a inflação no Brasil atingiu o valor de 242,23%. Em 1986, com receio da aceleração descontrolada da inflação, o g

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

COVID19 no Brasil: cuidadosNa tentativa de conter a disseminação do novo Coronavírus (COVID19), diversos países do mundo reforçaram suas medidas de is

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Um documento enviado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) aos governadores brasileiros revela que o corte de 50%

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia informa que identificou a falta de prestação das informações sobre admissões