Porto Velho (RO) quarta-feira, 24 de abril de 2019
×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Guido Mantega critica propostas de Nakano


Martha Beck - Agência O GloboBRASÍLIA - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, criticou nesta terça-feira as propostas do PSDB para a política econômica. Entre as medidas sugeridas por Yoshiaki Nakano, economista de confiança de Geraldo Alckmin, está, por exemplo, um corte drástico nos gastos públicos (3% do PIB já no primeiro ano de governo). Mantega afirmou que a proposta é inviável, pois significa que o governo teria que reduzir despesas com a Previdência Social e as áreas de Saúde e Educação, que têm recursos do orçamento garantidos em lei. Ele também disse que medidas radicais já foram adotadas no passado e só levaram o país a finais infelizes.- Esse corte significa R$ 60 bilhões. Mas isso não tem condições, a não ser que fosse jogada uma bomba e se acabasse com programas sociais e investimentos. Na Previdência, que é nossa maior despesa, você pode não subir (gastos), mas não pode diminuir. A Saúde também tem R$ 45 bilhões de gastos que são regidos por lei. Se não vai fazer reforma da Previdência e não vai cortar gastos sociais, então é impossível - disse.Mantega também ironizou as propostas da oposição:- Eu queria elogiar a atitude de revelar o plano de governo de Alckmin. Isso ajuda a opinião pública. Mas não vejo necessidade de utilizar tratamentos de choque ou movimentos radicais na economia brasileira.Ele também disse que está observando de perto o ajuste fiscal feito por Alckmin no governo de São Paulo. Isso porque, segundo o ministro, esse ajuste foi feito com aumento de receitas, o que implica num aumento da carga tributária.- Estou estudando com um pouco mais de profundidade esse ajuste em São Paulo - afirmou ele.Segundo Nakano, um eventual governo do PSDB também faria uma redução mais acentuada dos juros, desvalorizaria mais o real - para tornar o câmbio mais competitivo para os exportadores - e adotaria uma meta de inflação mais baixa que a atual, de 2% a 4%. No entanto, Mantega disse que essas propostas são divergentes.- Baixar juros e desvalorizar o câmbio exercem pressões inflacionárias. Por isso, você só baixaria a inflação na porrada. Acho que uma meta de 2% a 4% muito conservadora. Acredito que os atuais 4,5% estão de bom tamanho - disse o ministro.Ele também afirmou que é amigo de Nakano, pois os dois são professores do departamento de economia da Fundação Getúlio Vargas em São Paulo. Mas isso não quer dizer que ambos tenham a mesma visão em relação à economia.

Mais Sobre Economia - Nacional

10 direitos dos trabalhadores em caso de demissões depois da reforma trabalhista

10 direitos dos trabalhadores em caso de demissões depois da reforma trabalhista

Apesar da economia já apresentar melhoras, ainda é grande o temor de muitos trabalhadores em relação a possibilidade de serem os próximos demitidos e

Obrigações do MEI - Empréstimo para MEI: Linhas de crédito disponíveis - eSocial começa a receber informações do MEI

Obrigações do MEI - Empréstimo para MEI: Linhas de crédito disponíveis - eSocial começa a receber informações do MEI

*Obrigações do MEI* O Microempreendedor Individual (MEI) é um enquadramento empresarial previsto no SIMPLES Nacional e, por isso, fica isento dos trib

Economia: LDO de 2020 não prevê concursos nem reajuste para servidores

Economia: LDO de 2020 não prevê concursos nem reajuste para servidores

A proposta de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2020, apresentada hoje (15) pelo Ministério da Economia, não prevê concursos não autorizados ne

Equipe econômica do governo Bolsonaro propõe salário mínimo de R$ 1.040 para o próximo ano

Equipe econômica do governo Bolsonaro propõe salário mínimo de R$ 1.040 para o próximo ano

Pela primeira vez, o valor do salário mínimo ultrapassará R$ 1 mil. O governo propôs salário mínimo de R$ 1.040 para 2020, o que representa alta de 4,