Porto Velho (RO) terça-feira, 24 de novembro de 2020
×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

GM: país tem de crescer 5% ao ano para não afugentar capital


Plínio Teodoro - Agência O Globo SÃO PAULO - O presidente da General Motors do Brasil (GMB), Ray Young, afirmou nesta segunda-feira que o próximo governo deve implementar políticas de crescimento sustentável que faça o país crescer ao menos 5% ao ano para não afugentar investidores e deu prazo até 2007 para que a expectativa se concretize. - O próximo governo precisa implementar políticas para o país crescer ao menos 5% ao ano. Não há alternativas. Se o Brasil não crescer 5% acho que vamos perder investimentos, porque os investidores estrangeiros têm paciência, mas temos paciência até um período, até um ano. Nós temos uma expectativa que até 2007 o Brasil vai focalizar o crescimento sustentável- disse Young. O executivo criticou o crescimento "pífio" do Produto Interno Bruto (PIB), de 0,5% no último trimestre, anunciado na última semana. Ele disse que o índice pode afetar a previsão de crescimento da indústria automotiva no mercado interno em 2006, projetado em 7% pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Apesar da indústria ter registrado aumento de cerca de 10% no número de automóveis comercializados no país até o mês de agosto, o executivo acredita que a confiança dos consumidores foi abalada com o anúncio e afirmou que as vendas do setor podem crescer abaixo da expectativa de comercialização de 1,84 milhões de automóveis neste ano, caso o PIB não atinja o índice projetado em 3,5%. - Se o país crescer menos, a indústria pode crescer menos de 7%. O anúncio do PIB causou um efeito psicológico e a confiança dos consumidores foi abalada- disse Young, em entrevista, após ministrar palestra no simpósio Tendências na Indústria Automobilística, realizado pela Sociedade de Engenheiros de Mobilidade (SAE Brasil), em São Paulo.

Mais Sobre Economia - Nacional

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Não há empregos sem empresasEm 1985, a inflação no Brasil atingiu o valor de 242,23%. Em 1986, com receio da aceleração descontrolada da inflação, o g

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

COVID19 no Brasil: cuidadosNa tentativa de conter a disseminação do novo Coronavírus (COVID19), diversos países do mundo reforçaram suas medidas de is

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Um documento enviado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) aos governadores brasileiros revela que o corte de 50%

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia informa que identificou a falta de prestação das informações sobre admissões