Porto Velho (RO) sábado, 28 de março de 2020
×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

G-7 vê crescimento forte com riscos de inflação e protecionismo


Agência o Globo CINGAPURA - Apesar da aparente desaceleração da economia nos Estados Unidos, os países mais industrializados do mundo registraram o impulso mais forte no crescimento econômico em 30 anos, mas enfrentam o risco de expectativas inflacionárias crescentes, mercados de energia apertados e propagação de protecionismo, apontou um comunicado do G-7 (grupo dos sete países mais ricos do mundo). Divulgado neste sábado após as conversações em Cingapura entre ministros das Finanças e presidentes de bancos centrais do G-7, o comunicado do G-7 pedia a retomada da Rodada de Doha de negociações de livre comércio da Organização Mundial de Comércio (OMC), mas não especificou iniciativas de políticas concretas para conter esses riscos. Ao contrário, o grupo se limitou a um comentário generalizado sobre intenções, junto com um pedido para que países asiáticos e nações produtoras de petróleo façam mais para reduzir seus grandes superávits comerciais. "Nós reafirmamos nosso forte compromisso em buscar políticas firmes e pedimos que outros se juntem a nós para cumprir a responsabilidade compartilhada de ajustar de forma ordenada os desequilíbrios globais", disse o comunicado. O encontro dos representantes dos Estados Unidos, Canadá, Grã-Bretanha, França, Alemanha, Itália e Japão, coincide com a Assembléia Anual conjunta do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial - onde Brasil, Índia, Egito e Argentina pedem revisão do plano de cotas do fundo. No mesmo comunicado, os países fazem também um pedido para que os países da Ásia deixem suas moedas subirem mais rapidamente para ajudar a reduzir os desequilíbrios econômicos globais - em especial a China, que mantém controle sobre o iuan. As deliberações do G-7 - composto por Estados Unidos, Japão, Alemanha, Grã-Bretanha, França, Itália e Canadá - coincide com o encontro anual do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial, que acontecem este ano em Cingapura.

Mais Sobre Economia - Nacional

Ajuda ao MEi será de R$600,  diz presidente Bolsonaro

Ajuda ao MEi será de R$600, diz presidente Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro afirmou hoje (26) que o auxílio emergencial para os trabalhadores informais durante a pandemia do novo coronavírus será de

Coronavírus: Caixa anuncia novas medidas de estímulo à economia brasileira

Coronavírus: Caixa anuncia novas medidas de estímulo à economia brasileira

A CAIXA anuncia nesta quinta-feira (26) uma série de medidas para ajudar a combater o efeito do novo coronavírus na economia e reforçar a liquidez.

MEIs puxam recorde histórico de novas empresas em 2019 e Região Norte tem crescimento de 30,7%, o maior do país, revela Serasa Experian

MEIs puxam recorde histórico de novas empresas em 2019 e Região Norte tem crescimento de 30,7%, o maior do país, revela Serasa Experian

O Indicador de Nascimento de Empresas da Serasa Experian registrou 3,1 milhões de novos empreendimentos em 2019, o maior número desde o início da séri

Gasolina: Petrobras espera que queda de preço chegue aos postos

Gasolina: Petrobras espera que queda de preço chegue aos postos

A Petrobras informou que, com uma nova redução de 15% a partir desta quarta-feira (25), o preço médio da gasolina nas refinarias passa a ser R$ 1,14