Porto Velho (RO) domingo, 25 de outubro de 2020
×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

FGV: IGP-10 de março deve desacelerar novamente


Agência O Globo RIO - O Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) de março deverá apresentar uma taxa inferior à observada em fevereiro, de 0,28%, segundo previsão do coordenador de análises econômicas da fundação, Salomão Quadros. "A tendência é de que a inflação diminua", afirmou. Segundo Quadros, a colheita da safra agrícola prevista para este mês, combinada à queda dos preços da indústria, são os principais fatores para tal projeção. Para Quadros, a desaceleração do IGP-10 neste mês indica que os outros dois índices gerais de preços de fevereiro a serem divulgados - IGP-M e IGP-DI - também devem apresentar desaceleração. O IGP-10 de janeiro havia subido 0,39%. Já os IGP-M e o IGP-DI de janeiro tiveram altas de 0,50% e 0,43%, respectivamente. De acordo com Quadros, os preços dos bens finais da indústria caíram 0,26% em fevereiro, mostrando a ausência de pressões sobre os preços ao consumidor. "Não existe nada na indústria para pressionar o varejo. A desaceleração do IPC tem tudo para prosseguir", disse. O índice de Preços ao Consumidor (IPC), na divulgação do IGP-10 de fevereiro, subiu 0,54% após alta de 0,75% no mês anterior. Quadros alerta, entretanto, para as pressões que podem ser exercidas pela soja e pelo milho a partir de março. O milho tem apresentado maior demanda no mercado internacional devido ao crescimento da produção de etanol com base no grão pelos Estados Unidos. Com isso, os produtores brasileiros podem passar a exportar mais o produto, diminuindo a oferta interna. Além disso, os preços internos podem sofrer influência da cotação internacional, em trajetória de alta. No caso da soja, a previsão é da possibilidade de um efeito secundário, ao ter uma parte do seu plantio substituída pelo milho no Brasil, causando uma queda na oferta. (Ana Paula Grabois/Valor Online)

Mais Sobre Economia - Nacional

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Não há empregos sem empresasEm 1985, a inflação no Brasil atingiu o valor de 242,23%. Em 1986, com receio da aceleração descontrolada da inflação, o g

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

COVID19 no Brasil: cuidadosNa tentativa de conter a disseminação do novo Coronavírus (COVID19), diversos países do mundo reforçaram suas medidas de is

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Um documento enviado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) aos governadores brasileiros revela que o corte de 50%

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia informa que identificou a falta de prestação das informações sobre admissões