Porto Velho (RO) quarta-feira, 21 de novembro de 2018
×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

FGV: Dia da Criança terá compras estáveis


Agência O GloboSÃO PAULO - No Dia da Criança (12 de outubro) deste ano, a maioria dos consumidores pretende gastar o mesmo valor em presentes registrado em igual data no ano passado, segundo constatou a pesquisa "Sondagem das Expectativas do Consumidor", usada para cálculo do Índice de Confiançado Consumidor (ICC) da Fundação Getúlio Vargas (FGV) . O levantamento pesquisou 2 mil domicílios, em sete capitais, com entrevistas entre os dias 1 a 21 de setembro.O estudo mostra que 40,1% dos consumidores vão gastar a mesma quantia que no ano passado, 20,6% pretende reduzir os gastos e apenas 8,6% dos entrevistados vão comprar mais. Os consumidores que ganham até R$ 2.100 são os mais propensos às compras.Comparados a outras faixas de renda, apresentam a maior parcela de consumidores que pretende comprar mais presentes para as crianças, 9,2%. Quem ganha entre R$ 2.100 e R$ 4.800 representa 7,7% das pessoas que pretendem gastar mais no Dia das Criança.

Mais Sobre Economia - Nacional

Petrobras - Roberto Castello Branco deve assumir presidência

Petrobras - Roberto Castello Branco deve assumir presidência

O economista Roberto Castello Branco deve assumir o comando da Petrobras por indicação de  Paulo Guedes, confirmado para o Ministério da Economia (q

Receita paga hoje restituições do 6º lote do Imposto de Renda

Receita paga hoje restituições do 6º lote do Imposto de Renda

A Receita Federal paga nesta sexta-feira (16) o sexto lote da restituição do Imposto de Renda Pessoa Física da declaração de 2018. O pagamento també

 O novo papel do contador

O novo papel do contador

O aperfeiçoamento tecnológico não é uma cultura estabelecida no setor

Reforma trabalhista possibilita ganho salarial no comércio  e menos processos e gastos na Justiça do Trabalho

Reforma trabalhista possibilita ganho salarial no comércio e menos processos e gastos na Justiça do Trabalho

Adoção das medidas aprovadas ainda é parcial, mas CNC acredita no avanço rumo a relações de trabalho modernas e respeitadoras