Sábado, 24 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Crise financeira gera impacto no Fundeb, alerta Confederação dos Municípios



A queda na arrecadação tributária, em razão da crise financeira, fez com que as estimativas do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) para 2009 fossem revistas. São R$ 9,2 bilhões a menos do que o valor inicialmente estimado, pois a receita total do Fundo caiu de R$ 76,8 bilhões para R$ 67,6 bilhões.

Para a Confederação Nacional de Municípios (CNM), essa situação confirmou a previsão dos prefeitos: o valor estimado para o Fundeb estava discrepante do efetivamente repassado no primeiro semestre de 2009.

Como um efeito cascata, todas as estimativas do Fundeb foram recalculadas, uma vez que o valor por aluno/ano de cada Estado - inclusive o valor mínimo definido nacionalmente - e a distribuição dos R$ 5 bilhões da complementação da União tem como base o volume de recursos movimentados no Fundo.

De acordo com a CNM, o impacto financeiro é generalizado e essa situação afeta principalmente os nove Estados que recebem a complementação da União no Fundeb e que terão novos valores a receber de agosto a dezembro: Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco e Piauí. Um montante de R$ 119,1 milhões terá nova redistribuição nas contas do Fundeb desses Estados.

No novo cálculo, Bahia, Ceará, Maranhão, Pará e Paraíba receberão a menos nas contas do Fundo. Esses mesmos recursos representarão para Alagoas, Amazonas, Pernambuco e Piauí acréscimos nos repasses até o final do ano. Mas apesar dos ganhos nesses Estados, decorrentes do aumento da complementação da União, a estimativa da receita total do Fundeb ainda é menor que a previsão inicial. 


Crise econômica
 

O presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, aponta que "muito antes de o governo federal anunciar o impacto da crise econômica na Educação, os gestores municipais já vinham enfrentando dificuldades por não conseguirem cumprir o planejado e, por esta razão, estão contendo os gastos".

Além disso, nesses oito meses, os prefeitos sofreram cobranças para aplicar os recursos que na verdade não estavam recebendo. “A publicação dos novos valores, apesar de tardia, é muito importante, pois mostra que os repasses para a Educação também foram afetados pela crise”, enfatiza Ziulkoski.

Para finalizar, o presidente da CNM destaca que é importante que os gestores municipais tomem conhecimento das novas estimativas para replanejarem o orçamento da Educação.

Fonte: Confederação dos Municípios

Gente de OpiniãoSábado, 24 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

Programa Social: Novo Bolsa Família cumprirá teto de gastos, diz ministro da Cidadania

Programa Social: Novo Bolsa Família cumprirá teto de gastos, diz ministro da Cidadania

O programa social que pretende substituir o Bolsa Família terá o maior valor possível para o benefício dentro do teto de gastos, disse hoje (9) o mi

Banco do Brasil lança dois programas de desligamento incentivado

Banco do Brasil lança dois programas de desligamento incentivado

O Banco do Brasil (BB) anunciou nesta segunda-feira (11) dois programas de desligamento incentivado. A expectativa é que a adesão chegue a 5 mil fun

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Não há empregos sem empresasEm 1985, a inflação no Brasil atingiu o valor de 242,23%. Em 1986, com receio da aceleração descontrolada da inflação, o g

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

COVID19 no Brasil: cuidadosNa tentativa de conter a disseminação do novo Coronavírus (COVID19), diversos países do mundo reforçaram suas medidas de is

Gente de Opinião Sábado, 24 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)