Sábado, 24 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

'Costureiras do Madeira' conquistam renda


'Costureiras do Madeira' conquistam renda   - Gente de Opinião

Um curso básico de corte e costura realizado no início deste ano no reassentamento Novo Engenho Velho, na margem esquerda do rio Madeira, a quatro quilômetros da balsa, foi o passo inicial para a mudança de perspectiva e para a ampliação dos horizontes de muitas moradoras.

Algumas delas costuravam para os vizinhos, fazendo pequenos ajustes ou bainhas, e resolveram fazer o curso para se aprimorar. Outras, ainda não tinham muita experiência com a costura, mas queriam ter uma profissão. Quando o curso terminou, 18 mulheres decidiram se unir e se organizar para a criação do grupo “Costureiras do Madeira”, com os objetivos de melhorar a renda e as condições de vida com trabalhos de ajustes ou de confecção de roupas .

Porém, o sonho de alavancar o grupo esbarrava na falta de recursos financeiros para a aquisição das máquinas de costura. “Percebemos o potencial e o amadurecimento dessas mulheres. Acompanhamos a mobilização do grupo e decidimos investir nas seis novas máquinas. Faremos também um curso de aprimoramento neste segundo semestre para que elas desenvolvam novas técnicas de costura”, explica a analista Socioambiental da Santo Antônio Energia, Marta Silveira.

As máquinas de costura (galoneira, reta, zig zague e overlock) , no valor total de R$ 20 mil, foram entregues pela concessionária durante uma confraternização realizada na última sexta-feira, dia 28. Os cursos foram organizados pela Emater.

As “Costureiras do Madeira” não perderam tempo. Já estão prontas camisas, bolsas, capas para almofadas, macacões infantis e pijamas. Graciluce Silva, de 26 anos, era dona de casa e confessa que nunca costurou sequer um botão em uma camisa. Porém, sempre teve vontade de aprender. “Quando soube do curso eu resolvi aproveitar a oportunidade. Aprendi a fazer roupas e pijamas que vendo aqui mesmo no reassentamento. Agora, com estas máquinas, já estou começando a pegar encomendas. Estou muito feliz porque é uma renda extra para ajudar em casa”, revela.

A gestora do grupo, Marlene Ferreira, explica que o uso das máquinas é revezado entre as costureiras. A produção, a comercialização e os lucros são individuais. “Estamos muito felizes com essa conquista e nossas vendas aumentaram aqui no reassentamento. Somos batalhadoras e este grupo será um sucesso”, conclui.

Fonte: Carla Nascentes

Gente de OpiniãoSábado, 24 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

Programa Social: Novo Bolsa Família cumprirá teto de gastos, diz ministro da Cidadania

Programa Social: Novo Bolsa Família cumprirá teto de gastos, diz ministro da Cidadania

O programa social que pretende substituir o Bolsa Família terá o maior valor possível para o benefício dentro do teto de gastos, disse hoje (9) o mi

Banco do Brasil lança dois programas de desligamento incentivado

Banco do Brasil lança dois programas de desligamento incentivado

O Banco do Brasil (BB) anunciou nesta segunda-feira (11) dois programas de desligamento incentivado. A expectativa é que a adesão chegue a 5 mil fun

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Não há empregos sem empresasEm 1985, a inflação no Brasil atingiu o valor de 242,23%. Em 1986, com receio da aceleração descontrolada da inflação, o g

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

COVID19 no Brasil: cuidadosNa tentativa de conter a disseminação do novo Coronavírus (COVID19), diversos países do mundo reforçaram suas medidas de is

Gente de Opinião Sábado, 24 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)