Sexta-feira, 1 de março de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Consumidor deve evitar compra de passagens em muitas parcelas, diz professor



Alana Gandra 
Agência Brasil 

O professor de Finanças do Ibmec Rio, Nelson Augusto Frederico de Sousa, afirmou, em entrevista à Agência Brasil, que não é interessante para o consumidor brasileiro comprar passagens aéreas parceladas, “a menos que seja uma emergência e que não haja alternativa”. Na maioria das vezes, em parcelamentos prolongados, o valor da passagem pode subir até 150%.

Ele disse que cada companhia aérea tem uma forma de financiar as passagens e de fixar os juros cobrados aos clientes. Em geral, as taxas aeroportuárias são debitadas na primeira parcela.

Sousa considerou que o interessante é que o preço parcelado seja igual ao valor a vista. “Esse seria um financiamento interessante. Os outros são relativamente caros”. Para o consumidor, ele afirmou que o máximo de prestações deveria ser de seis parcelas. “Daí para a frente, começa a encarecer bastante”. Um parcelamento muito longo tem a desvantagem de que a viagem fica esquecida, “mas a conta continua ali na frente dele, todo mês”, ponderou o especialista.

Dependendo da taxa de juros embutida, o valor da passagem pode ficar 30% maior, no caso de juros de 3% cobrados em geral pelas companhias para 12 parcelas, revelou Nelson de Sousa. ”Para 36 parcelas, o valor mais do que dobra. Vai para 120% ou mais”. Conforme o professor do Ibmec Rio, o parcelamento muito extenso pode trazer dificuldades para o usuário.

Para Sousa, a tendência é de que os preços das passagens aéreas subam em um prazo mais curto. “Porque muita gente queantes não tinha acesso a isso está começando a viajar. Há uma demanda maior do que a oferta. Isso é que faz os preços das passagens subirem”.

Gente de OpiniãoSexta-feira, 1 de março de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

Programa Social: Novo Bolsa Família cumprirá teto de gastos, diz ministro da Cidadania

Programa Social: Novo Bolsa Família cumprirá teto de gastos, diz ministro da Cidadania

O programa social que pretende substituir o Bolsa Família terá o maior valor possível para o benefício dentro do teto de gastos, disse hoje (9) o mi

Banco do Brasil lança dois programas de desligamento incentivado

Banco do Brasil lança dois programas de desligamento incentivado

O Banco do Brasil (BB) anunciou nesta segunda-feira (11) dois programas de desligamento incentivado. A expectativa é que a adesão chegue a 5 mil fun

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Não há empregos sem empresasEm 1985, a inflação no Brasil atingiu o valor de 242,23%. Em 1986, com receio da aceleração descontrolada da inflação, o g

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

COVID19 no Brasil: cuidadosNa tentativa de conter a disseminação do novo Coronavírus (COVID19), diversos países do mundo reforçaram suas medidas de is

Gente de Opinião Sexta-feira, 1 de março de 2024 | Porto Velho (RO)