Porto Velho (RO) quarta-feira, 24 de abril de 2019
×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Com queda de preços, computador deve ser a grande estrela de vendas do Natal


Agência O Globo RIO - Depois da febre de celulares e DVDs nos últimos anos, os computadores deverão ser as grandes estrelas de vendas neste Natal, ao lado de aparelhos MP3, como os iPods, e máquinas fotográficas digitais, que já se destacaram em 2005.A isenção de impostos para o setor de informática, o recuo do dólar em relação ao real, o aumento da renda e a maior concorrência, com a entrada de novos fabricantes no mercado - como Positivo e CCE - fizeram os preços dos computadores caírem cerca de 20% em 12 meses. Com isso, grandes redes varejistas estão vendendo computadores básicos de mesa com preços em torno de R$ 1.000.Os notebooks já estão com vendas muito expressivas este ano. Só no primeiro semestre, houve aumento de 113% no segmento em relação ao mesmo período de 2005. Foram vendidas 216 mil unidades entre janeiro e junho, contra 275 mil em todo o ano passado, quando as vendas já haviam crescido 47%.Para o Natal, a popular rede de supermercados Extra, por exemplo, está prevendo um aumento de 70% nas vendas de itens de informática, puxadas especialmente pelos notebooks, cujo acréscimo previsto é de nada menos que 400%.A expansão dos financiamentos, com parcelamento em até 15 vezes, também ajuda a ampliar as vendas.A rede Insinuante ampliou em 30% as encomendas de computadores neste fim de ano em relação a 2005. No Nordeste, a Lojas Maia ampliou em 60% os pedidos de computadores para o fim do ano. No Sul, nas Lojas Berlanda, de Santa Catarina, os volumes encomendados de computadores de mesa cresceram 200%. Varejo OnlineCom o crescimento das vendas de computadores, mais gente está fazendo compras online. Com a proximidade do último mês do ano, as lojas virtuais já começam a se preparar para o Natal, responsável por cerca de 18% do faturamento do ano inteiro. Segundo a consultoria em comércio eletrônico e-bit, a expectativa de vendas para o período, compreendido entre 15 de novembro e 23 de dezembro, é de R$ 755 milhões, um aumento de 64% em relação ao ano anterior, quando o Natal movimentou R$ 458 milhões. O comércio eletrônico deverá atingir em 2006 um faturamento na casa dos R$ 4,3 bilhões, o que resulta em um crescimento nominal de mais de 70% em relação a 2005, quando o setor faturou R$ 2,5 bilhões. A princípio, esperava-se um faturamento de R$ 3,9 bilhões para o final do ano, porém, com o aumento da venda de computadores e o crescimento do número de e-consumidores, a previsão foi ampliada.Para Pedro Guasti, diretor geral da e-bit, a nova previsão está baseada principalmente nas vantagens que o e-consumidor tem ao fazer compras pela internet, especialmente com o crescimento das conexões em banda larga .- Além da popularização dos computadores e da inserção da classe C no mundo digital, as vendas devem aumentar devido à praticidade e velocidade de comparar preços em um curto período de tempo e de evitar os congestionamentos característicos em datas comemorativas como o Natal - explica.No ranking dos produtos mais vendidos, a expectativa é que CDs, DVDs e vídeos percam a liderança na tabela, ocupando o 3° lugar e abrindo espaço para que produtos eletrônicos, como televisores, MP3 players, aparelhos de som e DVDs, além de câmeras digitais, assumam a primeira posição.

Mais Sobre Economia - Nacional

10 direitos dos trabalhadores em caso de demissões depois da reforma trabalhista

10 direitos dos trabalhadores em caso de demissões depois da reforma trabalhista

Apesar da economia já apresentar melhoras, ainda é grande o temor de muitos trabalhadores em relação a possibilidade de serem os próximos demitidos e

Obrigações do MEI - Empréstimo para MEI: Linhas de crédito disponíveis - eSocial começa a receber informações do MEI

Obrigações do MEI - Empréstimo para MEI: Linhas de crédito disponíveis - eSocial começa a receber informações do MEI

*Obrigações do MEI* O Microempreendedor Individual (MEI) é um enquadramento empresarial previsto no SIMPLES Nacional e, por isso, fica isento dos trib

Economia: LDO de 2020 não prevê concursos nem reajuste para servidores

Economia: LDO de 2020 não prevê concursos nem reajuste para servidores

A proposta de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2020, apresentada hoje (15) pelo Ministério da Economia, não prevê concursos não autorizados ne

Equipe econômica do governo Bolsonaro propõe salário mínimo de R$ 1.040 para o próximo ano

Equipe econômica do governo Bolsonaro propõe salário mínimo de R$ 1.040 para o próximo ano

Pela primeira vez, o valor do salário mínimo ultrapassará R$ 1 mil. O governo propôs salário mínimo de R$ 1.040 para 2020, o que representa alta de 4,