Porto Velho (RO) segunda-feira, 18 de junho de 2018
×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Cenários externo e interno afetam mercado e risco-país dispara. Bolsa cai


Rui Pizarro - Agência O GloboRIO - As incertezas em relação ao grau de desaquecimento da economia americana ea instabilidade no cenário político interno continuam preocupando os investidores e afetando os mercados.De acordo com o economista Sílvio Campos Neto, do banco Schahin, a tendência, quando as crises se acentuam, é de que os recursos saiam desses mercados emergentes e se direcionem para títulos americanos, considerados mais seguros.Assim, por volta das 15h23min, o risco-país disparava 6,14%. A Bolsa de Valores de São Paulo, recuava 1,05%, aos 34.826 pontos e volume de R$ 2,006 bilhões. O noticiário corporativo negativo e o fraco desempenho industrial nos EUA derrubaram as bolsas americanas, afetando igualmente a Bovespa.Já o dólar subia 1,01%, cotado a R$ 2,200 para venda e refletindo, em especial, a deterioração do quadro político interno, com mais um escândalo envolvendo integrantes do governo. A queda do preço das commodities no mercado internacional também contribui para alta do dólar no Brasil.

Mais Sobre Economia - Nacional

Salmão e filé mignon recebem benefícios fiscais

Salmão e filé mignon recebem benefícios fiscais

O secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, afirma, em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, que a estritura tributárias do país sofre com muita

Tabelar frete é ilegal, diz Cade

Tabelar frete é ilegal, diz Cade

O caos do Pedro Parente aliado ao caos gerencial do governo continua a deixar um rastro de desorganização generalizada na logística de transportes e n

Saques do PIS/Pasep colocarão R$ 34,3 bilhões na economia

A partir de hoje (18), os brasileiros com mais de 57 anos, que são titulares de contas inativas dos fundos dos programas de Integração Social (PIS) e

Brasil deixou de arrecadar R$ 354,7 bi com renúncias fiscais em 2017

Brasil deixou de arrecadar R$ 354,7 bi com renúncias fiscais em 2017

Com meta de déficit primário de R$ 159 bilhões neste ano e com um teto de gastos por 20 anos, o governo teria melhores condições de sanear as contas p