Porto Velho (RO) quinta-feira, 21 de junho de 2018
×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Câmbio não será afetado por medidas do BC, dizem analistas


Juliana Rangel - Agência O GloboRIO - A decisão do Banco Central de permitir que pessoas físicas e jurídicas passem a investir no mercado de ações e de derivativos no exterior representa mais um passo na regulamentação do mercado de câmbio, mas na opinião de analistas não mexerá nas cotações.Atualmente, para aplicar no mercado exterior, como a Bolsa de Nova York, por exemplo, o investidor precisa ter uma conta em um banco no país onde pretende investir. Com a resolução do CMN, as próprias corretoras brasileiras poderão fazer a transação.Segundo o diretor superintendente do Banco Prosper, Edson Figueiredo Menezes, investidores com potencial para mexer nas cotações do dólar já investem no exterior.- Ninguém que tenha volume de recursos capaz de mexer no câmbio vai passar a investir somente agora em função das alterações nas regras. Na prática, quem tem que fazer isso, já faz - avalia.O gerente da mesa de câmbio da corretora Liquidez, Francisco Carvalho, concorda:- Na prática, esses investidores já estão todos lá fora, investindo em ADRs (American Depositary Receipts). Em tese, isso esvaziaria o mercado de ações brasileiro, mas não acredito que isso vá acontecer - diz.Para o analista de investimentos do banco Modal, Eduardo Roche, a medida também não beneficia pequenos investidores, que não estejam acostumados com estes mercados.- A medida é positiva porque você abre novas perspectivas. Mas também não há risco de uma fuga de capitais porque as pessoas dificilmente se arriscam em mercados que não conhecem. Existem, por exemplo, BDRs da Telefónica no Brasil, mas esses papéis quase não têm liquidez porque é difícil para o investidor brasileiro acompanhar as oscilações do mercado espanhol - explica.

Mais Sobre Economia - Nacional

Publicada lei que altera juros de fundos constitucionais

A lei que altera o cálculo dos juros dos fundos constitucionais de financiamento foi publicada na edição de hoje (20) do Diário Oficial da União.

CNI: confiança do empresário industrial tem maior queda desde 2010

Índice caiu 5,9 pontos em junho frente a maio

Copom inicia hoje reunião para definir taxa Selic

Para instituições financeiras consultadas pelo BC, a Selic deve ser mantida no atual patamar – 6,5% ao ano até o final de 2018

Salmão e filé mignon recebem benefícios fiscais

Salmão e filé mignon recebem benefícios fiscais

O secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, afirma, em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, que a estritura tributárias do país sofre com muita