Porto Velho (RO) quinta-feira, 9 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Banco da Amazônia financia maior shopping do Amapá


Na próxima terça-feira, dia 30 de julho, será inaugurado em Macapá (AP) o Amapá Garden Shopping, do Grupo Tenco Shopping Centers, de Minas Gerais, financiado pelo Banco da Amazônia, empreendimento que é o maior do setor no estado do Amapá.

O novo shopping possui 46.5 mil metros quadrados de área construída, distribuídos por 160 lojas, sendo cinco lojas âncoras, sete mega lojas, 117 lojas satélites, 19 de alimentação, 9 lojas de serviços, oito salas de cinema, parque infantil, games, hipermercado e estacionamento com 1.700 vagas.

Com mais esse financiamento, o Banco da Amazônia, além de contribuir para a expansão do comércio local, está colaborando para a geração de empregos e para a dinamização do turismo regional, tendo em vista que um empreendimento do porte do Amapá Garden Shopping cria e agrega valor a toda cadeia produtiva do setor já existente nesse Estado.

“A parceria com o grupo Tenco vem para consolidar, ainda mais, o compromisso de nossa Instituição para com o desenvolvimento integrado e sustentável da Região Amazônica. Cotidianamente trabalhamos para reduzir as desigualdades intra e interregionais, no sentido de melhorar a qualidade de vida das populações locais e, com a implantação desse empreendimento, que já é o maior shopping do Amapá e tem compromisso socioambiental, temos a convicção de que cumprimos com nossa missão”, afirma Marilene de Sena Ribeiro, gerente executiva de Grandes Clientes do Banco da Amazônia.

O grupo Tenco acessou a linha de financiamento FNO Amazônia Sustentável, criada pelo Banco da Amazônia para contribuir com o desenvolvimento econômico e social da Região Norte, em bases sustentáveis. Essa linha apoia empreendimentos rurais e não rurais, mediante a concessão de financiamentos adequados às reais necessidades dos setores produtivos.

Criado pela Constituição Federal de 1988 e regulamentado pela Lei n.º 7.827/89, o Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO) é o principal crédito de fomento da região, responsável por 70% dos investimentos na Amazônia. Para o exercício de 2013 serão disponibilizados para aplicação, através do FNO, recursos na ordem de R$ 6,4 bilhões, sendo que, desse total, R$ 4,6 bilhões são para fomento através desse Fundo, representando 83,4% do montante da dotação dos recursos disponíveis, o que demonstra a importância dessa fonte como instrumento propulsor do desenvolvimento regional.

Com isso, o Banco da Amazônia espera alcançar significativos resultados socioeconômicos em benefício da população regional e de contribuição para o desenvolvimento sustentável dos estados amazônicos, com destaque para a ampliação da base produtiva, da arrecadação fiscal e da infraestrutura econômica e social dos estados, agregação de valor à produção estadual e elevação do Produto Interno Bruto dos estados, bem como o aumento da oportunidade de emprego, de ocupação de mão de obra e da massa salarial.

Fonte: Claudia Alamar Aguilla
 

Mais Sobre Economia - Nacional

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Não há empregos sem empresasEm 1985, a inflação no Brasil atingiu o valor de 242,23%. Em 1986, com receio da aceleração descontrolada da inflação, o g

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

COVID19 no Brasil: cuidadosNa tentativa de conter a disseminação do novo Coronavírus (COVID19), diversos países do mundo reforçaram suas medidas de is

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Um documento enviado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) aos governadores brasileiros revela que o corte de 50%

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia informa que identificou a falta de prestação das informações sobre admissões