Quarta-feira, 21 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Banco Central libera compulsório e pode injetar até R$ 100 bilhões no mercado



Kelly Oliveira e Stênio Ribeiro
Agência Brasil

Brasília - O Banco Central anunciou hoje (13) outras medidas para flexibilização dos depósitos compulsórios, recursos que as instituições financeiras são obrigadas a recolher à autoridade monetária. Essas medidas são resultado da decisão, também anunciada hoje pelo BC, de implementação de um programa de liberação integral de depósitos compulsórios.

Segundo o Banco Central, as liberações serão efetuadas de acordo com as necessidades de recursos (liquidez) dos mercados e podem chegar a até R$ 100 bilhões.

Uma das medidas foi o aumento da dedução da compulsório adicional sobre depósito à vista, a prazo e poupança, que passou de R$ 300 milhões para R$ 1 bilhão. O impacto dessa medida é de cerca de R$ 8 bilhões. A regra vale a partir de hoje.

Também foi alterado a dedução do compulsório sobre depósitos a prazo de R$ 700 milhões para R$ 2 bilhões, o que deve causar impacto de mais R$ 13,1 bilhões pelas contas do BC. Essa medida vale a partir de sexta-feira (17).

A autoridade monetária também mudou as regras para a compra de carteiras de crédito. Anteriormente, o valor de patrimônio dos bancos vendedores das carteiras tinha que ser de no máximo R$ 2,5 bilhões. Agora passou para R$ 7 bilhões.

O Banco Central já tinha autorizado as instituições financeiras a deduzir do compulsório sobre os depósitos a prazo das carteiras de crédito adquiridas de outras instituições. O percentual do abatimento subiu de 40% para 70%. O impacto desse medida é de R$ 6 bilhões, com validade a partir de sexta-feira (17).

O Banco Central informou que além das carteiras de crédito, os bancos também poderão comprar direitos creditórios.
 

Gente de OpiniãoQuarta-feira, 21 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

Programa Social: Novo Bolsa Família cumprirá teto de gastos, diz ministro da Cidadania

Programa Social: Novo Bolsa Família cumprirá teto de gastos, diz ministro da Cidadania

O programa social que pretende substituir o Bolsa Família terá o maior valor possível para o benefício dentro do teto de gastos, disse hoje (9) o mi

Banco do Brasil lança dois programas de desligamento incentivado

Banco do Brasil lança dois programas de desligamento incentivado

O Banco do Brasil (BB) anunciou nesta segunda-feira (11) dois programas de desligamento incentivado. A expectativa é que a adesão chegue a 5 mil fun

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Não há empregos sem empresasEm 1985, a inflação no Brasil atingiu o valor de 242,23%. Em 1986, com receio da aceleração descontrolada da inflação, o g

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

COVID19 no Brasil: cuidadosNa tentativa de conter a disseminação do novo Coronavírus (COVID19), diversos países do mundo reforçaram suas medidas de is

Gente de Opinião Quarta-feira, 21 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)