Porto Velho (RO) quinta-feira, 4 de junho de 2020
×
Gente de Opinião

Economia - Nacional

Analistas prevêem alta de 6% em investimentos


Luciana Rodrigues - Agência O Globo RIO - Se o resultado do PIB de 2006 pode decepcionar - o IBGE apresenta os números finais depois de amanhã - o desempenho dos investimentos no ano passado será favorável, avaliam os economistas. O Itaú prevê que a chamada formação bruta de capital fixo (produção de máquinas e equipamentos, somada à construção civil, que juntos representam os investimentos feitos para ampliar a capacidade produtiva da economia) teve alta de 6% em 2006, ou seja, bem acima do 1,6% registrado em 2005. O banco estima que, no último trimestre, os investimentos cresceram 1,2% frente ao terceiro trimestre, já com ajuste sazonal. O Unibanco também calcula que a formação bruta de capital fixo cresceu 6% em 2006. Já a LCA Consultores tem uma projeção ainda mais otimista: alta de 8,5% nos investimentos em 2006, com avanço de 3,2% para construção civil e de 17,2% para máquinas e equipamentos.

Mais Sobre Economia - Nacional

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Entre vinhos e lagostas Lewandowski instaura o caos + Não há empregos sem empresas

Não há empregos sem empresasEm 1985, a inflação no Brasil atingiu o valor de 242,23%. Em 1986, com receio da aceleração descontrolada da inflação, o g

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

MEI: Quem terá direito ao vale de R$600 e como pedir? + COVID19 no Brasil: cuidados

COVID19 no Brasil: cuidadosNa tentativa de conter a disseminação do novo Coronavírus (COVID19), diversos países do mundo reforçaram suas medidas de is

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Corte de recursos do Sistema S pode causar fechamento de unidades e demissão de dez mil

Um documento enviado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) aos governadores brasileiros revela que o corte de 50%

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

Empresas não prestaram informações sobre admissões e demissões referentes a janeiro e fevereiro

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia informa que identificou a falta de prestação das informações sobre admissões