Porto Velho (RO) sexta-feira, 19 de julho de 2019
×
Gente de Opinião

Cultura

Festival Música na Estrada abre inscrições gratuitas para cinco oficinas instrumentais em Porto Velho


Festival Música na Estrada abre inscrições gratuitas para cinco oficinas instrumentais em Porto Velho - Gente de Opinião

Estão abertas as inscrições para as oficinas instrumentais da 8ª edição do Festival Música na Estrada. As aulas são gratuitas e acontecem nos dias 08, 09 e 10 de abril, das 18h30 às 21h, no Centro de Formação dos Profissionais da Educação de Porto Velho - ao lado do Teatro Banzeiros, ministradas pelos músicos do Quarteto Radamés Gnatalli e um professor local.

 

Neste ano, as oficinas que integram a programação são: Violino (duas turmas), com Carla Rincon e Pancho Roa; Viola, com Renato Bandel; Violoncelo, com Robert Suetholz; e Flauta Transversal, com Maurício Rodrigues.

 

As inscrições devem ser feitas previamente no site http://musicanaestrada.art.br/ e as vagas são limitadas. Podem se inscrever músicos de todas as idades, tendo como único requisito saber ler partituras.

 

Além das oficinas, o festival traz a Porto Velho, no dia 06 (sábado), a apresentação do espetáculo infanto juvenil O Pequeno Príncipe Preto, direção e texto de Rodrigo França, que contará com interprete de Libras, e concerto do Quarteto Radamés Gnatalli, no dia 07, domingo. As apresentações também são gratuitas e acontecem às 17h no Teatro Guaporé, com distribuição de senhas uma hora antes das apresentações no local.

 

O Música na Estrada privilegia a música clássica e as artes cênicas, além da formação de plateia por meio das oficinas musicais, já tradicionais por onde passa, sendo considerado um dos mais relevantes eventos culturais da Região Norte.

 

Com realização do Governo Federal por meio do Ministério da Cidadania, Secretaria Especial de Cultura, através da Lei Rouanet e da Kommitment Produções Artísticas, o festival é apresentado pela Caixa Seguradora em toda a região.

 

Confira a programação completa:

Teatro Guaporé

Rua Tabajara, 148 – Olaria

 

6/04 – sábado – 17h

O Pequeno Príncipe Preto

Texto e Direção: Rodrigo França

 

07/04 – domingo – 17h

Quarteto Radamés Gnatalli

Uma homenagem a Villa-Lobos

Carla Rincon, Violino

Pancho Roa, Violino

Renato Bandel, Viola

Robert Suetholz, Violoncelo

 

Associação Pestalozzi de Porto Velho

Rua Libero Badaró, 3429 – Costa e Silva

 

09/04 – quarta-feira – 10h

Quarteto Radamés Gnatalli

Uma homenagem a Villa-Lobos

Carla Rincon, Violino

Pancho Roa, Violino

Renato Bandel, Viola

Robert Suetholz, Violoncelo

 

Apresentação dedicada ao público interno

 

Oficinas Musicais

8 a 10/04

 

Centro de Formação de Profissionais da Educação de Porto Velho

Rua José do Patrocínio, 110, Centro (ao lado do Teatro Banzeiros)

 

De 8 a 10 de abril

Das 18h30 às 21h

 

Carla Rincon, Violino

Pancho Roa, Violino

Renato Bandel, Viola

Robert Suetholz, Violoncelo

Maurício Rodrigues, Flauta Transversal 

Galeria de Imagens

Mais Sobre Cultura

Ceron valoriza cultura regional e apoia o Flor de Maracujá

Ceron valoriza cultura regional e apoia o Flor de Maracujá

Valorizar a cultura regional e as pessoas são alguns dos compromissos da Ceron, empresa do grupo Energisa. Por isso a empresa é uma das patrocinador

Bloco Até Que Noite Vire Dia realiza Open Bar e show com cantor baiano no Bairro Mocambo

Bloco Até Que Noite Vire Dia realiza Open Bar e show com cantor baiano no Bairro Mocambo

Dirigentes do Bloco Até Que a Noite Vire Dia e da escola de Samba Os Diplomatas vão realizar no dia 03 de agosto o 1º Open Bar com atração nacional,

Cia Evolução participa de projeto de incentivo a leitura

Cia Evolução participa de projeto de incentivo a leitura

Na manhã de domingo, (14), a Cia de Artes Evolução participou de uma ação social realizada na Biblioteca Comunitária Era Uma Vez, no bairro Ayrton S

Cineamazonia Itinerante - 16ª Edição: cinema e arte para a Amazônia

Cineamazonia Itinerante - 16ª Edição: cinema e arte para a Amazônia

A 16ª Edição do Cineamazonia Itinerante, mais do que levar cinema e arte a populações ribeirinhas do Vale do Guaporé, uniu pessoas, trocou conheciment