Porto Velho (RO) quinta-feira, 13 de maio de 2021
×
Gente de Opinião

Yêdda Pinheiro Borzacov

O intelectual Gesson Magalhães


O intelectual Gesson Magalhães - Gente de Opinião

A intelectualidade de Rondônia está de luto. Morreu o poeta romântico Gesson Magalhães. Morreu o confrade que ocupou com mérito a cadeira número dois da Academia de Letras de Rondônia, tendo como patrono o grande jornalista Ary de Macedo. 

A imortalidade de Gesson Magalhães se faz presente pela memória de uma existência eu deixou marcas particularizantes. Choramos o seu passamento com lágrimas de imortal saudade, porque as lembranças do seu passado são inextinguíveis, imorredouras.

Conheci e convivi com o Gesson Magalhães e sua esposa Ivete a partir de 1980, com a criação da Secretaria de Cultura, Esportes e Turismo, SECET, quando para prepararmos novos cantores, aprimorar o potencial vocal de coralistas, promover apresentações públicas para fins didáticos e formaturas, o Departamento de Cultura (eu era a Coordenadora), criou o coral infanto-juvenil, com o denominativo “Pequenos Uirapurus”, tendo como regentes os professores Ivete e Gesson Magalhães que homenageou o Estado de Rondônia (sua criação) e o governador Jorge Teixeira, com belíssima apresentação na escadaria do “Palácio Presidente Vargas”. Outras apresentações sucederam-se com brilhantismo, sempre inspiradas em nossas raízes populares. No repertório músicas sacras eram incluídas. Com a extinção da SECET, o “Pequenos Uirapurus” desapareceu.

Revivo pela imaginação a sua emocionante ação cultural: venceu o prêmio do concurso promovido pelo Conselho Cultural em 1984, durante as comemorações durante as comemorações do centenário do nascimento do poeta maranhense Vespasiano Ramos, autor do livro “Cousa Alguma”. Com brilhantismo e rara percepção apresentou o livro “Alguma Cousa”, sonetos que pela sua erudição e contundência lapidar é considerado nesse gênero um dos mais altos valores em nossas letras.

Gentilmente prefaciou o meu livro “Porto Velho: Imagens Culturais”, dedicando-me amorosos versos que guardo com gratidão e afeto em meu coração e memória.

O inspirado Bilac anunciou não ser a morte mais do que simples ilusão e a vida indestrutível e eterna. Ao lembrar essa expressão de Olavo Bilac, evoco a personalidade de Gesson Magalhães, manso, evangelicamente convicto, tolerante, compreensivo, sempre sorridente e bom, a ensinar a língua e literatura brasileira, com esmerada doutrina e exemplo, profundamente querido por discípulos e companheiros, afirmando com sabedoria.

- A História do Mundo sem a das letras e artes, tem um só olho e é incompleta.

Professor Gesson, convicta que o brilho do Eterno Jesus fulge em seu espírito, emitindo raios, despeço-me com saudades e com a consciência plena de que o amigo atingirá o sublime, onde há primavera constante, amor e paz dando-se as mãos, vida verdadeira e abundante

(*) Yêdda Pinheiro Borzacov, do Instituto Histórico e Geográfico de Rondônia, do Instituto de Pesquisa e Estudo “Dr. Ary Tupinambá Penna Pinheiro”, do Memorial Jorge Teixeira, da Academia de Letras de Rondônia e da Academia Militar 17ª Brigada de Infantaria de Selva.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Yêdda Pinheiro Borzacov

Cidade dos Barbadianos

Cidade dos Barbadianos

Nas proximidades do leito da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré surgiram alguns bairros populacionais

Euro Tourinho, o intérprete do nosso jornalismo

Euro Tourinho, o intérprete do nosso jornalismo

O perfil de um homem vai se cinzelando no decorrer dos anos e a poeira do tempo, como procede inexoravelmente, a história, vai laminando as reputaçõ

Conheça a literatura de Porto Velho

Conheça a literatura de Porto Velho

Aplaudo e abraço com afeto, mais uma vez, a professora, escritora e acadêmica Sandra Castiel, amorosa porto-velhense que enobrece e honra a Academia

BAILE DE GALA EM PORTO VELHO - Por Yêdda Pinheiro Borzacov

BAILE DE GALA EM PORTO VELHO - Por Yêdda Pinheiro Borzacov

* Yêdda Pinheiro Borzacov Amando a saudade, ela não machuca Associando-me às homenagens merecidamente prestadas à Loja Maçônica União e Perseverança,