Porto Velho (RO) sábado, 24 de outubro de 2020
×
Gente de Opinião

Silvio Santos

Surgimento da Banda do Só Vai Quem Quer – III


Surgimento da Banda do Só Vai Quem Quer – III - Gente de Opinião

Criada a Banda do Só Vai Quem Quer

Manoel Mendonça é o presidente

 

O DIA DA CRIAÇÃO DA BANDA 

Muito se tem falado e contado histórias sobre a Banda do Só Vai Quem Quer, porém, jamais se ouviu falar na data daquela farra que começou na noite de sexta feira dia 23 e terminou no sábado dia 24 de janeiro, de 1981.

Então decidimos que a data da fundação ficaria o DIA 24 DE JANEIRO DE 1981 Feriado da Instalação do Município de Porto Velho. Feriado Municipal. Por isso, nossa farra começou na sexta à noite e amanheceu o sábado.

 

DOMINGO NO SÍTIO

Depois daquela reunião no Chopão, voltamos (eu, Emilzinho, Narciso Freire e Manelão) a nos encontrar, no domingo dia 25, no sítio do Manelão na Colônia Três Buritis (ou Viçosa) na Estrada do Japonês, com as famílias presentes, assim como a Eliana, Lika  e seu Cláudio Carvalho. Foi o dia todo de muita brincadeira, música ao vivo com Jorge Andrade ao violão, banho de igarapé e galinha caipira no almoço.

O interessante, foi que durante o dia todo, ninguém comentou sobre a reunião de sábado, quando foi criada a Banda do Só Vai Quem Quer, portanto, Manelão não ficou sabendo que tinha sido eleito presidente do Bloco.

 

MANCHETE DO JORNAL O GUAPORÉ

 

Terça feira 27 de janeiro, na hora do almoço, fui até o Chaveiro Gold que ficava na Galeria do Ferroviário e assim que entrei, Manelão com o Jornal O Guaporé na mão perguntou:

“Que história é essa de ser presidente dessa Banda que vocês criaram? ”.

Acontece que o Evamar Mesquita que participou da reunião de criação da Banda, era o Editor Chefe do O Guaporé e na edição de terça feira, estampou a seguinte manchete na capa do jornal:

Criada a Banda do Só Vai Quem Quer - Empresário Manoel Mendonça – Manelão foi eleito Presidente.

 

Bom, diante da surpresa do Manelão respondi: É isso mesmo, você foi eleito por unanimidade, presidente da Banda do Só Vai Quem Quer e entre a gente ficou acertado, que não aceitaríamos sua renúncia, o que quer dizer meu amigo, que queira ou não, você agora é o Presidente da Banda!



Surgimento da Banda do Só Vai Quem Quer – III - Gente de Opinião

MANELÃO O VAIDOSO

Diante de minhas explicações, Manelão admitiu assumir a presidência do Bloco e segundo ele, seu nome como empresário e da sua empresa, a partir daquela Manchete do jornal O Guaporé, ficaram expostos, ele teria que fazer alguma coisa, para não cair em descrédito perante a sociedade portovelhense.

Pegou o telefone e ligou para a Empresa Gold em São Paulo da qual era freguês e na qual havia aprendido o oficio de Abridor de Cofre e Chaveiro e solicitou à sua direção, que localizasse uma empresa que trabalhasse com confecção de CAMISETA com ESTAMPA específica. A resposta veio após três dias. Só pediram para enviar o layout da estampa.

J. PINTO – AUTOR DA ESTAMPA DA 1ª CAMISETA

João Otávio Pinto arquiteto respeitadíssimo e carnavalesco por excelência, inclusive, era o responsável pelas alegorias da Escola de Samba Os Pobres do Caiari, foi procurado por Manelão para criar a Estampa da CAMISETA e aceitou.

Pinto desenhou numa Base Amarela, UMA TUBA da qual saiam MULHERES peladas brincando carnaval. Quer dizer, a Banda já nasceu irreverente, pelo menos no que diz respeito a Estampa da Camiseta.

HINO DA BANDA

Naquele tempo eu trabalhava no Cartório de Imóveis que ficava na Galeria Central. Meu chefe era nada mais, nada menos, que o Narciso Freire.

Segunda feira dia 26 janeiro de 1981, assim que cheguei no Cartório ele em voz alta, para todos ouvirem falou: “Silvio sua missão na Banda do Só Vai Quem Quer é fazer (compor) a marchinha HINO”. Nesse interim o Gilson Macêdo Dias que trabalhava com a gente, virou e disse: “Narciso, essa música não vai ser feita, pois, a CACHAÇA já comeu o cérebro do Sílvio em consequência, ele não tem mais condição de compor nada”.

Aquelas palavras soaram como uma avalanche de decepção, fiquei realmente chateado com o Gilson, mas, não disse nada, apenas prometi pra mim mesmo, que iria provar que ainda era capaz de compor uma música. Resultado, sexta feira daquela semana, no final do expediente, convidei o Gilson para uma reuniãozinha na mesa do Narciso e cantei a marchinha Hino da Banda: Chegou a Banda a Banda a Banda; A Banda do Vai Quem Quer. Nós não temos preconceito, Na brincadeira entra quem quiser... a turma aplaudiu e eu virei pro Gilson e falei: Tenho ou não condição de compor uma música?

 

No próximo capítulo – O primeiro desfile da Banda do Só Vai Quem Quer

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Silvio Santos

Lenha na Fogueira com a Lei Aldir Blanc e  a Live do Boi-bumbá Diamante Negro

Lenha na Fogueira com a Lei Aldir Blanc e a Live do Boi-bumbá Diamante Negro

Lenha na Fogueira LEI ALDIR BLANC – Lei de emergência cultural em Rondônia. A Sejucel lançou na tarde de ontem os Editais que socorrerão a cultura em

Lenha na Fogueira com a Lei Aldir Blanc e o Dia dos Finados

Lenha na Fogueira com a Lei Aldir Blanc e o Dia dos Finados

Lenha na Fogueira Funcultural de Porto Velho, publica o primeiro Edital de Chamada Pública cujo recursos são de origem da Lei Aldir Blanc.***********A

Lenha na Fogueira com a Seresta Cultural Virtual e o Livro sobre o Mundo pós-pandemia

Lenha na Fogueira com a Seresta Cultural Virtual e o Livro sobre o Mundo pós-pandemia

Lenha na Fogueira Governo estadual abre Concorrência Pública Nº 004/2020/CEL/SUPEL/RO PROCESSO ELETRÔNICO N° 0038.034863/2020-13 OBJETO:***********Con

Lenha na Fogueira com a Lei Aldir Blanc e a missão especial do Exército no Memorial Rondon

Lenha na Fogueira com a Lei Aldir Blanc e a missão especial do Exército no Memorial Rondon

Lenha na Fogueira Decreto que altera dispositivos e atende diretamente setor cultural, publicado pelo governo estadual, não agrada comunidade cultural