Porto Velho (RO) segunda-feira, 23 de maio de 2022
×
Gente de Opinião

Silvio Santos

Sandra Maria Feliciano da Silva: Ela foi selecionada para morar no planeta Marte


Rondônia poderá contar até o ano de 2025, com uma representante no planeta MARTE. Trata-se da professora, administradora de empresa, advogada, pós-graduada em segurança pública, e pós-graduada também em banco de dados e escritora Sandra Maria Feliciano da Silva, que está entre as 1.000 pessoas selecionadas no mundo, para fazer a Gente de Opiniãoviagem sem volta ao planeta Marte. “Dos mais 200 mil inscritos, foram selecionados 1058 e entre estes, apenas três brasileiros sendo duas mulheres, Eu e uma engenheira de Santa Catarina. Conhecemos a Sandra no mês de dezembro quando do lançamento do 1° volume do livro “Os Antigos” (são cinco volumes), cujo lançamento aconteceu na livraria Exclusiva. “Até o final deste ano os demais volumes estarão lançados, o 2° sai agora em fevereiro”. Inclusive o primeiro volume já está sendo traduzido para o inglês e deve ser lançado nos Estados Unidos no meio do ano. Quanto a ida para o planeta Marte, é uma opção tomada com muita determinação. “Sabemos que só vai ter a passagem de ida, pois uma vez em Marte em virtude dos efeitos que sofreremos com relação à gravidade, não teremos mais condições de retornar a Terra”. “Pelo menos em Marte demorarei mais a envelhecer, pois lá o ano tem 600 dias”.

Quer saber como a Sandra está se preparando para embarcar rumo a MARTE, acompanha a entrevista que segue

ASSISTA REPERCUSSÃO DA ENTREVISTA DE ZEKATRACA
COM A REPORTAGEM DA REPÓRTER ANTÔNIA LIMA  E A
ENQUETE NO PROGRAMA TEMPO REAL/TV CANDELÁRIA

E N T R E V I S T A

Zk – Quem a Sandra Silva

Sandra Silva – Nasci em Bauru – SP e vim para esta região bem novinha. Primeiro fomos morar em Humaitá e depois viemos para Porto Velho por isso me considero rondoniense, estou com 50 anos de idade, filia de Anisio Feliciano da Silva e de Gersi Maria Rodrigues dos Santos.

Zk – E esse negócio de ir morar em Marte como surgiu?

Sandra Silva – Sempre gostei de ficção científica, aprendi na ler muito cedo, sempre acompanhei ciências. Como professora fundei no colégio Major Guapindáia um clube de ciências pra incentivar às crianças e os adolescentes a gostar da matéria. Ninguém gosta de ciência: biologia, física, matemática, química, então criei o clube e os alunos passaram a ficar interessados. A proposta do clube era: “Todas as perguntas deveriam ser respondidas da melhor forma possível”. Por outro lado sempre tive fascinação por guerra espacial e então surgiu a oportunidade.

Zk – De que maneira?

Sandra Silva – A NASA há algum tempo atrás, tinha uma projeto de exploração de Marte e então todas as indústrias aéreo espaciais passaram a produzir tecnologia para exploração de Marte, só que com a crise econômica de 2008 um pouquinho antes do governo Obama a NASA sofreu muitos cortes e a exploração que deveria estar marcada para 2020, acabou não saindo do papel e as indústrias do setor ficaram com toda a tecnologia a disposição. Imagina milhões aplicados em projetos e de repente ninguém vai fazer mais nada.

Sandra Maria Feliciano da Silva: Ela foi selecionada para morar no planeta Marte - Gente de Opinião

Zk – O que aconteceu?

Sandra Silva – Grupos da iniciativa privada resolveram aproveitar essa oportunidade e colocar gente pra morar em Marte. Desenvolveram um projeto para instalar uma colônia permanente em Marte para no futuro explorar o planeta. Lá existem diversos recursos na área mineral, há diversos recursos que podem permitir que Marte seja formado, para as pessoas poderem ir morar lá. Existem vários grupos dispostos a colonizar Marte.

Zk – Exemplo?

Sandra Silva – Os chineses estão fazendo uma colônia na Lua depois em Marte, os indianos mandaram uma sonda com a intensão de colocar uma colônia lá, a NASA mandou no início de dezembro passado, uma outra sonda retomando o processo de colonização de Marte. Isso quer dizer que Marte é a bola da vez!

Zk – E como você entrou nesse Projeto?

Sandra Silva – Eu já estava acompanhando a exploração espacial de verdade e aí, esse Grupo Mars-One que foi idealizado por um holandês Baslanscort e diversas outras pessoas resolveram agregar a ideia dele, inclusive indústrias da área espacial, começaram a montar um Projeto que tem diversas fases, para colonizar Marte

Zk – Você sabe quanto vai custar esse Projeto?

Sandra Silva – A parte inicial do Projeto vai custar Seis Bilhões de Dólares. Que serão aplicados na construção da sonda, para poder encaminhar os módulos para instalar a primeira parte da colônia. Em 2016 ou 2018 deve ser lançada a primeira sonda que vai levar um satélite de comunicação e levar os primeiros rovers que vão fazer a pesquisa de qual o melhor local para instalar a colônia. Esse satélite vai permitir a comunicação das pessoas de Marte com a Terra.

ZK – Isso quer dizer que vocês não ficarão totalmente isolados na Terra?

Sandra Silva – As pessoas dizem “vocês vão ficar lá isolados, ninguém vai falar com ninguém”. Vai falar sim, existe todo um projeto que vai permitir isso, vai dar um deley entre 17, 20 minutos. Em 2020 vai uma segunda viagem que vai levar os módulos que vão conter os painéis fotovoltaicos, os painéis para alimentação, a estrutura pra geração de energia, água que num primeiro instante não vai ter como extrair e em 2022 irão às primeiras quatro pessoas que provavelmente devem ser engenheiros, para fazer a montagem das estruturas depois disso, serão levados os selecionados sempre em casais, ou seja, dois homens e duas mulheres.

Zk – Qual o critério?

Sandra Silva – São vários, primeiro o comprometimento, o segundo é critério emocional, tem que ter muito equilíbrio, você imagina o seguinte, é uma viagem de sete meses, Você vai passar sete meses num lugar menos que uma sala de escritório, convivendo com mais três pessoas e depois, você vai passar o resto da sua vida, convivendo com essas pessoas. Você não vai mais ver seus parentes, amigos, você pode até conversar eventualmente mas, não vai mais ver, por isso é preciso ter muito equilíbrio emocional.

Sandra Maria Feliciano da Silva: Ela foi selecionada para morar no planeta Marte - Gente de Opinião

Zk – Como ocorreu até agora a seleção dos voluntários?

Sandra Silva – Primeiro passamos pelo critério de equilíbrio, fizeram diversas perguntas a respeito é claro que você tem que ter formação técnica, tem que ter conhecimento, tem que ter vontade. Num segundo momento são os exames médicos que estou fazendo agora. Sua saúde tem que ser muito boa, não pode ter nenhum tipo de infecção, nem problema cardíaco, diabetes, pressão arterial alta, nenhum tipo de doença infectocontagiosa, tem que enxergar bem, ouvir bem, tem que ser psiquiatricamente equilibrado. A partir desses exames é que eles fazem a análise para separar qual grupo mais saldável.

Zk – Você já está em qual etapa?

Sandra Silva – Estamos na etapa dos exames médico. Por que é importante isso? Porque ir ao espaço envolve uma alteração orgânica muito profunda a gente está acostumada com a gravidade da terra e não sabemos o que a gravidade faz no nosso corpo, mas, faz um bem tremendo. Quando você ao espaço está numa situação de micro gravidade, o que acontece com o teu corpo? A primeira coisa, a água que a gente não sabe, que se concentra quase toda na parte de baixo do nosso corpo, passa a se expandir por todo o corpo. Feito isso você vai perder 20 por cento do seu plasma do sangue e o coração vai bater mais devagar e com uma pressão menor, a longo prazo teu músculo cardíaco vai diminuir, teu coração vai diminuir, as tuas veias vão se adensar menos, tua pressão arterial cai um pouco e teus músculos vão diminuir a massa muscular e a massa óssea, porque você não está precisando para sustentar o mesmo peso de quando você vivia na terra.  Diante disso, as pessoas que forem morar em Marte não conseguirão voltar. As alterações orgânicas serão tão profundas que demorariam muito para você voltar a se adaptar. E ainda tem a radiação, sete meses no espaço você pega cem vezes mais radiação do que se você tirasse um Raio X. É perigoso mas, não é suicídio, é perfeitamente viável, há tecnologia disponível para você contornar todos esses problemas.

Zk – Fala mais sobre Marte?

Sandra Silva – A gravidade de marte é muito inferior a da terra, Marte tem uma atmosfera de 92% de CO2, ou seja, não dá pra respirar.

Zk – E como vocês vão conseguir sobreviver?

Sandra Silva – Vamos ficar nos casulos, nos habitat e o oxigênio vai ser retirado a partir de eletrólise, tem muita água em Marte. No verão de Marte que chega a 30º centígrados a camada que fica em cima branca é de CO2 ela sublima, vai para atmosfera e então a água fica exposta e essa água pode ser retirada e pode-se produzir oxigênio a partir de eletrólise. Energia também não é problema, Marte tem uma atmosfera que não filtra muito o sol.

Zk – A opção de embarcarem em cada viagem grupos de dois casais, que dizer que a idéia visa à procriação, a maternidade?

Sandra Silva – Não será possível a geração de filhos, porque ninguém sabe os efeitos da gravidade em uma criança. Para você poder procriar você vai precisar de um homem. O Homem na terra tem uma pressão arterial média de 14 x 9 isso proporciona a ele manter o pênis ereto, no espaço isso não vai ser possível não. Se partirmos para a inseminação artificial que perfeitamente plausível, a gente não sabe os efeitos, primeiro da radiação e depois da gravidade num feto.

Zk – A tua esperança de ser selecionada vai até que nível?

Sandra Silva – Eram mais de 200 mil candidatos. Desses 200 Mil foram selecionados 1058, pelo que sei até agora, só foram selecionadas duas mulheres do Brasil. Eu e a Priscila Justus de Santa Catarina uma engenheira de 28 anos. Eu tenho os requisitos de conhecimento, força de vontade enfim estamos no páreo.

Sandra Maria Feliciano da Silva: Ela foi selecionada para morar no planeta Marte - Gente de Opinião

Zk – Quantos serão realmente selecionados para embarcar rumo a Marte?

Sandra Silva – No final apenas 40 estarão aptos a fazer a viagem para Marte uma viagem que não tem volta. Após a avaliação dos exames médicos que estamos fazendo, passaremos para a terceira fase da seleção e então se formos selecionada partiremos para o treinamento que dura 8 anos e só depois, embarcaremos para Marte. Esse treinamento envolve uma série de conhecimentos, como medicina, engenharia enfim a gente vai ter que conhecer de tudo um pouco, a formação é muito forte, vai exigir muito, tanto como esforço físico como intelectual.

Zk – Como as pessoas reagem quando você fala que vai morar em Marte?

Sandra Silva – Acho interessante que os Estados Unidos foi o país que mais teve pessoas selecionadas até agora, quase um terço e as pessoas lá comemoraram. Aqui no Brasil, Maluca Suicida foi o melhor elogio que recebi, é um negócio incrível a falta de visão do que pode acontecer no futuro. Estamos num planeta que a gente está consumindo 25% de recurso a mais do que deveria consumir por ano. Sete bilhões de pessoas, você acha que as pessoas vão parar de consumir? Não! Então tem que ir pra outro lugar. O que está sendo feito agora não é para se ver o resultado daqui a cinco/dez anos. O processo terra/formação de Marte deve envolver no mínimo 300 anos, é muito tempo, mas, se não começar agora não vai acontecer nunca.

Zk – Você acredita na existência de seres extras terrestre?

Sandra Silva – Sob o ponto de vista da ciência nosso sistema solar é pequeno, mas, a galáxia que a gente está inserido possui 8 bilhões de sóis, alguns são maiores que o nosso sistema solar , recentemente se modificaram algumas teorias de busca por exoplanetas e se descobriu mais de mil planetas que tem possibilidade de vida similar ao da terra, estamos falando apenas de uma galáxia. A galáxia possuiu mais de duzentos milhões de outras galáxias dentro do universo. Você acha que com 8 bilhões de estrelas só na nossa galáxia multiplicado por 200 milhões de galáxias não vai ter nenhum planeta com a vida parecida com a nossa ou que tenha uma tecnologia até mais desenvolvida que a nossa! Agora falar que eles estão aqui a nos visitar ah eu vi um ET aí já não sei.

Zk – Existe algum fato que possa nos levar a acreditar que existam outras civilizações?

Sandra Silva – A Arqueologia recente, tem feito descobertas muito interessantes, descobertas de artefatos que não deveriam existir do ponto de vista da história do homem. Imaginamos que a 15 mil mais ou menos o homem estaria na idade do ferro. Como é que você explica a existência de cidades com 140 mil anos, complexas com construções absurdas desco9bertas recentemente com artefatos que envolve uma tecnologia que a gente supunha que não existia. Na história dos povos, você sempre vai perceber que eles dizem, que obtiveram o conhecimento de alguém que veio do céu.

Zk – Existe algum fato que possa servir como parâmetro para essa afirmação?

Sandra Silva – No Alto Xingu temos uma tribo que é bem interessante, fica perto do Pico da Neblina, eles tem um ritual que fazem uma vez por ano que chamam de     “O retorno dos deuses”. Eles fazem uma roupa de palha que o Tuxaua veste, depois fazem uma cabana parecida com um foguete e o Tuxaua sai daquela cabana e vem dançar com os índios dizendo que os deuses retornaram. Se você vê a roupa parece um astronauta é igualzinho e eles estão esperando, eles acreditam que dentro da montanha, do Pico da Neblina existe uma cidade que foi escondida pelos deuses.

Zk – E a Sandra escritora de ficção. Como está a produção literária?

Sandra Silva – Está em andamento, foram dois anos de pesquisa em cima da teoria do Astronauta Antigo. Quando comecei a escrever a intensão era apenas um livro pra ensinar os meus alunos do Clube de Ciência a escrever ciência e ficção. Sessenta, setenta por cento dos livros que escrevi, toda parte de ciência, arqueologia, astronomia, física, química e biologia é de verdade. Quando falo de uma teoria científica, quando falo de um lugar X ele existe de verdade. Só, que dentro do contexto da ficção que você ler a impressão que dá é de uma coisa fantástica, a ciência é mais fantástica do a gente imagina e deu muito trabalho escrever isso porque, por exemplo, explicar a teoria do multiverso, ou a teoria das cordas, singularidade quânticas do jeito que o leitor entenda sem ficar confuso é muito complicado, eu mesma fiquei um mês quebrando minha cabeça com a teoria das cordas e com a teoria do multiverso pra escrever de uma forma que as pessoas pudessem entender.

Zk – Na realidade quantos volumes dessa história você já escreveu?

Sandra Silva – Cinco volumes. O primeiro foi lançado em dezembro passado, três já estão na editora e o quinto, acabei de revisar e estou enviando para a editora. Até o final deste ano quero lançar todos e fechar essa saga. Já tem um sexto livro a caminho.

Zk – Qual a história?

Sandra Silva – E uma idéia de ficção, que a minha irmã quando criança queria escrever e não acertou. Ela passou pra mim: “Vê se você consegue desenvolver isso aqui”. É sobre uma inteligência artificial de um psicopata um serial killer. Existe uma pesquisa recente na Inglaterra de um PHD em ciência da computação, ele é muito maluco. Ele passou a inserir dentro de circuitos eletrônicos células neurais, fazendo interface entra máquinas e neurônios, começou com células de rato e agora quer utilizar células humanas. O processamento neural é muito mais eficiente do que qualquer chip de computador. Se você conseguir colocar neurônios com chip de computador, você vai conseguir criar uma inteligência muito eficiente. O processamento neural é um processamento quântico. A partir do momento que você tem um androide com a inteligência artificial baseada em neurônios, pode ser que ele venha a desenvolver também uma inteligência que a gente chama de emocional que é um conceito que não é novo.

Zk – Isso realmente já foi testado?

Sandra Silva –  O Isac Acinov quando escreveu um livro de ficção científica em 1963, tem até um filme baseado nisso “Eu Robô”, ele se baseia nisso, que as máquinas no futuro podem ter as mesmas características humanas. Os star trek são máquinas que assimilam seres humanos, esse inglês diz o seguinte: Se você tiver uma máquina que é mais inteligente que você se você der uma ordem pra ela, você acha que ela vai te obedecer? Não ela vai questionar essa ordem! Qual o jeito de você não ter no futuro o enfrentamento entre estruturas cibernéticas máquinas e homens? É você ser a máquina, ele diz que no futuro os seres humanos vão usar chips neurais, é um futuro que não está muito distante, daqui uns trinta quarenta anos isso estará acontecendo. Hoje já existem pessoas que já implantam chip dentro do corpo e controlam a insulina, dão diagnóstico médico etc. Parecem coisas loucas, mas, não são!

Zk – Qual sua formação?

Sandra Silva – Sou formada em administração de empresa, direito sou advogada, tenho pós-graduação em segurança pública, política estratégica e pós-graduada também em banco de dados, estava fazendo mestrado em gestão e tecnologia da informação.

Zk – E se você não for selecionada?

Sandra Silva – Já recebi até um carta do Projeto dizendo, se não for selecionada nessa etapa é pra eu tentar de novo. Até 2050 eles esperam ter em Marte uma colônia de mais de 100 pessoas.

Zk – Se alguma entidade quiser promover palestra a respeito da sua viagem para Marte deve entrar em contato de que maneira?

Sandra Silva –  Pode entrar em contato através do e-mail [email protected]



Postagem atualizada em 11 de janeiro de 2014.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Silvio Santos

Lenha na Fogueira com o filme "O Pecado de Paula" e os Editais da Lei Aldir Blanc

Lenha na Fogueira com o filme "O Pecado de Paula" e os Editais da Lei Aldir Blanc

A Fundação Cultural do Estado de Rondônia (Funcer), realiza neste sábado (16), o ensaio para a gravação do filme em linguagem teatral "O Pecado de Pau

Lenha na Fogueira com o Museu Casa Rondon e a eleição da nova diretoria da FESEC

Lenha na Fogueira com o Museu Casa Rondon e a eleição da nova diretoria da FESEC

Entrega da obra do Museu Casa Rondon, em Vilhena.  A finalidade do Museu é proporcionar e desenvolver o interesse dos moradores pela rica história

Lenha na Fogueira com o Dia de Nossa Senhora Aparecida e o Dia das Crianças

Lenha na Fogueira com o Dia de Nossa Senhora Aparecida e o Dia das Crianças

Hoje os católicos celebram o Dia de Nossa Senhora Aparecida a padroeira do Brasil. Em Porto Velho as celebrações vão acontecer no Santuário de Apareci

Jorgiley – Porquinho o comunicador que faz a diferença no rádio de Porto Velho

Jorgiley – Porquinho o comunicador que faz a diferença no rádio de Porto Velho

Tenho uma maneira própria de medir a audiência de um programa de rádio. É o seguinte: quando o programa ecoa na rua por onde você está passando, dando