Porto Velho (RO) quinta-feira, 21 de março de 2019
×
Gente de Opinião

Silvio Santos

Dia Nacional da Cultura - Por Zekatraca


 Dia Nacional da Cultura - Por Zekatraca - Gente de Opinião

 O Dia Nacional da Cultura foi comemorado ontem (5), no auditório do CPA com a premiação dos contemplados pelos editais de Musica Autoral; Literatura e Fotografia Danna Merril. A turma depois de algum tempo conseguiu meter a mão na “bufunfa” dos editais. Parabéns.

*********

Porém, a notícia que mais agradou a comunidade artística produtora de Rondônia, foi a anunciada pelo superintendente Rodnei Paes e confirmada pelo presidente da Funcer Fabiano Barros de que, até o final deste mês, será publicado no Diário Oficial, Decreto isentado os artistas produtores do estado de Rondônia de pagamento de qualquer taxa pela utilização do Palácio das Artes.


*********

Até a publicação do Edital, o artista local que quiser utilizar os teatros, têm que pagar no mínimo R$ 4,5 MIL. Foi realmente o melhor presente pelo Dia Nacional da Cultura. Parabéns a todos os artistas em especial ao Rodnei e o Fabiano pela conquista.


********

A partir da publicação do Decreto isentando o pagamento de taxa pela utilização dos teatros, vamos ver se nossos grupos de teatro, têm capacidade para não deixar os espaços Fechados por muito tempo. Também não é para colocar qualquer porcaria em cartaz.

*********

Bonita mesma, foi a comemoração dos 60 anos da escola de samba Os Diplomatas, que aconteceu sábado passado, na praça São José no bairro do Mocambo.


********

Jair Monteiro e toda sua equipe, capricharam na ornamentação e na produção do show que culminou com a apresentação do samba de enredo da escola para o carnaval de 2019.

********

O Hino que vai tentar levar a escola mais antiga da Amazônia (fora o Pará), de volta ao Grupo Especial da Fesec é de autoria do Trio de Ouro – Bainha, Oscar e Zé Baixinho. O refrão levantou a galera.

*********


Apenas devemos alertar o presidente da Escola Os Diplomatas, que não insista em divulgar, que a escola “Esta de volta ao seu berço”. Sabe por que Jair? A Diplomatas jamais foi do Mocambo. Até o ano passado nem mesmo havia ensaiado no bairro.

********

A Diplomatas nasceu no bairro Santa Bárbara e seus primeiros ensaios aconteceram em frente a Casa do presidente Tário de Almeida Café a rua Barão do Rio Branco. Ensaiou até na Baixa da União na casa da Aldenora, mas, jamais foi do Mocambo.


*********

É só dar uma observada na letra do samba do Trio de Ouro que fala de alguns locais, aonde a escola ensaiou nesses seus 60 anos de fundação: CIBEC e Danúbio Azul.

********

Porém concordamos que a escola tenha fechado parceria com o bloco carnavalesco Até Que a Noite Vire Dia (este sim genuinamente do Mocambo) e passe a ensaiar na Praça São José. Foi uma grande sacada da atual diretoria.

********

Quem ficou preocupado após ouvir o samba da Diplomatas para o próximo carnaval, embora tenha sido um dos fundadores da escola foi o CABELEIRA.

*********

Acontece que hoje, ele é o presidente da escola de samba Acadêmicos do Armário Grande e pelo visto, sentiu que o samba do Bainha e Cia. vai levantar o público durante o desfile do próximo ano o que quer dizer, que o Armário (que foi garfado este ano) pode permanecer no Grupo de Acesso.

*********

Não sei se os dois mestres Paulinho Santana e Silfarney estão brigados, ou foi gozação. Acontece que em determinado momento da festa em comemoração aos 60 anos da Diplomatas, Paulinho parou a Bateria para homenagear, segundo ele, a pessoa, o MESTRE que o ensinou os segredos de uma Bateria de Escola de Samba “Meu Mestre/Professor Admilson Knightz – Negão” e entregou a camisa de comemoração dos 60 anos da escola. Lá do outro lado, Silfarney, se não fosse seguro pelo Mamedes, teria pulado o Muro do Cemitério dos Inocentes, procurando uma COVA pra enfiar Paulinho Dentro!

********

“Chegou Diplomatas do Samba chegou e o povo na rua sambou...


Galeria de Imagens


Governo libera teatro
para grupos de Rondônia


Em solenidade no Salão Nobre Rosilda Shoknnes, 11º andar do Palácio Rio Madeira – CPA, na manhã de segunda feira, 05, o Superintendente da Sejucel Rodnei Paes na ocasião representando o governador Daniel Pereira, anunciou, que em comemoração ao Dia Nacional da Cultura, o governador o autorizou a comunicar aos artistas, produtores culturais, grupos de arte cênicas e música, que até o final deste mês de novembro, o governo assinará Decreto autorizando a FUNCER a não mais cobrar qualquer taxa, dos artistas locais pelo uso dos Teatros Rondônia e Guaporé. “Hoje a cobrança de taxas altas tem impedido o uso do teatro, que acaba ficando fechado”, lamentou Rodnei A decisão foi confirmada pelo Presidente da FUNCER Fabiano Barros.

O anúncio aconteceu durante a premiação dos classificados pelos Editais de Música Rondônia Autoral; Prêmio Literatura Rondoniense e Prêmio Fotografia – Danna Marril. Ao todo foram distribuídos R$ 260 mil entre as três categorias.

Foram premiados 19 produtores culturais, cujos projetos receberam entre R$ 10 mil e R$ 20 mil do Fundo Estadual de Desenvolvimento à Cultura (Fedec).

Na categoria Fotografia, foram contemplados com cheques no valor de R$ 10 mil, cada, para organização de exposição, Regina Morão, Washington Kuipers de Moraes, Carlos César Neves da Silva, Elisabete Christofoletti, Nilson Santos e Igor Fotopoulos, enquanto Patrícia Marchi e Andreia Machado receberam R$ 20 mil para atuarem com capacitação e formação de fotógrafos profissionais.

Como parte do Prêmio de Literatura Rondoniense, receberam R$ 10 mil cada, por iniciação literária, Marfiza Calixto França e Monique Santos Pereira; Gustavo Gurgel do Amaral (publicação acadêmica), José Gadelha da Silva Júnior e Simone Gonçalves Norberto, ambos por literatura acadêmica; e Rubens Vaz Cavalcante (reedição de livro).

Marfiza Calixto França, Cristiano Izidio da Silva, Izabela Lima, Anderson Silva e Rogério Madeira foram os contemplados com o Prêmio Música Rondônia Autoral.


CITAÇÕES


O incentivo à cultura, concedido pelo governo rondoniense por meio de editais, foi citado pelos participantes como a forma mais democrática para o repasse de recursos públicos com vistas à disseminação de fatos históricos através de livros, fotografias, músicas e outras expressões culturais. “Esta premiação representa o resultado do esforço e empenho de cada um de nós”, disse José Gadelha, completando que o acesso a toda forma de conhecimento só é possível quando alguém decide socializar, abrindo o caminho.

Já a cantora Marfiza relatou que esteve fora do estado nos últimos anos e ficou surpresa ao retornar e tomar conhecimento dos editais, destacados por ela como de grande importância para a cultura estadual.

Para pró-reitora de Cultura, Extensão e Assuntos Estudantis da Universidade Federal de Rondônia (Unir), professora Marcele Pereira, assim como para o superintendente Rodnei Paes, o compromisso para continuação das políticas culturais deve ser firmado pelos próximos gestores estaduais com vistas à perpetuação da história e costumes da população local. “O dinheiro da premiação é importante. Mas, mais importante ainda para o produtor cultural é o reconhecimento, e isso tem feito o governo de Rondônia, tanto por Confúcio Moura quanto por Daniel Pereira que fizeram gestão junto às secretarias de Finanças e de Planejamento para garantir os recursos desta e de outras premiações já realizadas, de forma transparente e bem justificadas”, observou Rodnei Paes, lembrando que a produção literária será levada às bibliotecas para subsidiar trabalhos de pesquisas.

“Quando conhecemos a história através de relatos, da literatura e da música, é que entendemos melhor a formação de um estado e de seu povo”, afirmou o superintendente, citando que ouvir o Hino Céus de Rondônia hoje é diferente de quando chegou ao estado, pois agora entende melhor o que expressa a letra de Joaquim Araújo Lima, com música de José de Mello e Silva.


Fonte

Redação – Diário da Amazônia (Zekatraca)
Governo de Rondônia via Secom:
Texto: Veronilda Lima
Fotos: Frank Nery

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Silvio Santos

Histórias  da cidade onde nasci e vivo - O alambrado da rua Divisória - TRE-RO realiza exposição  Mulher em Evidência

Histórias da cidade onde nasci e vivo - O alambrado da rua Divisória - TRE-RO realiza exposição Mulher em Evidência

Lenha na FogueiraEstamos chegando ao período dos ensaios dos grupos de danças folclóricas. Aliás, os grupos de dança de quadrilha junina já estão ensa

Lenha na Fogueia: Inscrições para artesãos na Rondônia Rural Show - Boto Rock 2019 terá três palcos e 36 bandas participantes

Lenha na Fogueia: Inscrições para artesãos na Rondônia Rural Show - Boto Rock 2019 terá três palcos e 36 bandas participantes

Lenha na FogueiraAntes da reforma da previdência, cuja aprovação vai garantir no futuro, a aposentadoria de muita gente. Seria melhor dizer, a aposent

Lenha na Fogueira: Sesi Vilhena fica entre  os melhores em Robótica

Lenha na Fogueira: Sesi Vilhena fica entre os melhores em Robótica

Lenha na FogueiraO Movimento Cultural de Porto Velho (Rômulo Pacífico) e o Conselho Municipal de Cultura (Reginaldo Makumbinha) protocolou na última s

Orismar Garcia Alves: Histórias do Teixeirinha – O seringueiro que produziu mais 30 mil toneladas de borracha

Orismar Garcia Alves: Histórias do Teixeirinha – O seringueiro que produziu mais 30 mil toneladas de borracha

"Vim fugido da casa do meu pai porque ele era muito perverso, se a gente desobedecesse a peia comia. Quando estava com 8 anos de idade as punições fic