Porto Velho (RO) segunda-feira, 15 de agosto de 2022
×
Gente de Opinião

Serpa do Amaral

Livro contará a trajetória política de Eduardo Valverde



A vida do falecido deputado Eduardo Valverde será contada em obra literária biográfica que está sendo produzida sob o comando da viúva e militante petista Mara Valverde. A trajetória política de Valverde foi subitamente interrompida com sua morte em 11 de março de 2011, juntamente com o falecimento do também integrante do Partido dos Trabalhadores, Ely Bezerra, ambos envolvidos num grave acidente de trânsito na saída de Ji-Paraná para Ouro Preto, quando ambos se dirigiam ao município de Costa Marque para cumprir agenda partidária.  Jones Alves de Souza foi o único sobrevivente do desastre.

Sobre a morte dos petistas escreveu o jornalista Serpa do Amaral: “Na curva da vida dois militantes do Partido dos Trabalhadores encontraram a morte: Eduardo Valverde, uma das maiores lideranças do PT no Estado, e Ely Bezerra, um dedicado e histórico militante, com muitos serviços prestados ao partido e suas bandeiras de luta. Seus corpos, moribundos e quixotescos, exibidos sensacionalisticamente por alguns jornais virtuais, espalharam uma nova onda de dor e sofrimento à comunidade rondoniense, como se fosse o reciclo de uma funesta tsunami revirando de cabeça pra baixo os corações de nossa gente. Morreram como dois construtores de novos horizontes, dois organizadores de comunas, politizadores de trabalhadores do campo e da cidade, dois sonhadores, dois caminhantes, sem dúvida, mas não eram cavaleiros tão errantes assim. E até eram, na medida em que misturavam nos seus corações poções de utopias que antes se tinha por irreconciliáveis: política e religião, o cristianismo e o marxismo. Deus no céu e o homem na terra como único fazedor da sua História. A fé da devoção e a prática histórica da transformação.

A ação política em busca do justo obrigava Valverde e Ely a peregrinarem pelos mais diversos recantos do Estado. E foi assim, como socialistas cristãos, acendendo uma vela pra Deus e outra para o marxismo-leninismo, que os dois tombaram na curva da estrada, em meio ao caminho que os levava ao exercício da política, uma cachaça com sabor de credo que lhes embriagava a alma e incendiava seus corações de agentes transformadores da realidade humana.

Faleceram em missão como dois soldados da democracia, dois leais escudeiros do PT, dois brasileiros procurando as pessoas do povo, seus iguais, camaradas, companheiros e companheiras, campesinos e campesinas, rondonianos e rondonianas, para compartilhar com eles o pão da esperança por dias melhores – melhor para o homem e para a mulher que têm a garganta ressecada pela sede de justiça social, melhor para o trabalhador e para a trabalhadora que mercadejam, de sol a sol, para sobreviver, o ânima de seus corpos explorados, utilizados como matéria-prima na produção dos bens da vida.”

Fundador do PT, à época Coordenador da Bancada de Rondônia na Câmara Federal e também candidato ao governo, Valverde despontou como uma das fortes lideranças no universo político de Rondônia, tendo se destacado pela atuação em defesa dos povos indígenas, da política de sustentabilidade econômica, do Programa Habitacional Minha Casa, Minha Vida e da figura do microempreendedor, dentre outras bandeiras sociais.  Ele chegou a ganhar uma vaga de senador, devido a cassação do ex-senador Ernandes Amorim, condenado por abuso do poder econômico nas eleições de 1994, mas a comemoração durou pouco. Uma liminar concedida por Nelson Jobim, então presidente do Tribunal Superior Eleitoral, atrasou em pelo menos um mês a posse do senador petista e manteve, ao final, o suplente Matusalém Fernandes no cargo. Disputou com Roberto Sobrinho a hegemonia do partido em Rondônia, tendo Sobrinho levado a melhor.

Ainda sem nome, o livro que vai contar a história da vida pessoal e política do mais importante líder do PT no estado pretende ser uma contribuição à formação da memória política de Rondônia e terá a rubrica do jornalista e escritor Antônio Serpa do Amaral Filho, que já vem fazendo o trabalho de pesquisa com o vista ao lançamento da obra até o final deste ano. Em tempos de crise de referências moral, administrava e programática por que passa o cenário político rondoniense, os apontamentos literários sobre as ideias, a obra política e os ideais de Eduardo Valverde servem como um alento para as atuais gerações de militantes políticos, como um exemplo positivo de agente público que soube se comportar com altivez, dignidade e compromisso na investidura do mandato de deputado federal.  A comunidade rondoniense aguarda com avidez a biografia de Valverde, tanto para prestar-lhe reverência quanto alimentar a esperança de que nem tudo está perdido no reino da política regional e nacional.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Serpa do Amaral

Os Trapezistas do Circo da Fuleragem Assaltaram o Mercado Cultural

Os Trapezistas do Circo da Fuleragem Assaltaram o Mercado Cultural

O bafo sonoro do berimbau de lata repercutiu azedo e cativante ao mesmo tempo, enquanto Dom Lauro verbalizava um canto tribal, tomando para si o cocar

Manifesto de repúdio ao índex rondoniense

Manifesto de repúdio ao índex rondoniense

“No fundo do mato-virgem nasceu Macunaíma, herói de nossa gente”.

Governo de Rondônia revive a Idade Média e cria Index de livros banidos

Governo de Rondônia revive a Idade Média e cria Index de livros banidos

Arvorando-se Papa da Idade Média, o secretário de Educação do Governo de Rondônia, Suamy Vivecananda Lacerda de Abreu, teria enviado para as agências

Nós vamos invadir sua praia!

Nós vamos invadir sua praia!

Sintético e instigante, eloquente e politizado, o curta Praia do Futuro, filme produzido em terras rondonienses por Joeser Alvarez e sua equipe, será