Porto Velho (RO) quinta-feira, 20 de junho de 2019
×
Gente de Opinião

Osmar Silva

Reflexão no Dia da Imprensa


Reflexão no Dia da Imprensa - Gente de Opinião

Em 1999 quando se resolveu trocar a data comemorativa da imprensa brasileira de 10 setembro para 1º de junho, fez-se a opção para comemorar a nascimento da imprensa livre, vigilante e combativa. Foi o dia da primeira circulação do Armazém Literário, como era conhecido, o Correio Braziliense no Brasil.

Era isso que representava o Correio Braziliense de Hipólito da Costa nascido em 1808 em Londres e vinha clandestinamente para o Brasil nos porões dos navios. E, no Rio de Janeiro, ganhava as ruas mostrando os desacertos da Corte brasileira.

O 10 de setembro comemorava a impressão, no Brasil, do jornal Gazeta do Rio de Janeiro, criado pela Corte para comemorar o aniversário de D. João, o Príncipe Regente. Portanto, um jornal chapa branca onde não se publicava nada que ofendesse a elite Real.

Até hoje nos batemos contra a censura. Arma de toda personalidade e governos autoritários. Foi usada com dureza pelos governos militares da ditadura brasileira. O PT, nos 13 anos de poder, tentou implantar marco regulatório sobre a imprensa nacional, tendo à frente, o jornalista Franklin Martins. Nossa resistência e a consciência nacional impediu o intento.

Não podemos cochilar para mantermos vivo e livre, o direito de informar e ser informado. A informação é o bem que move o mundo e determina os destinos de uma nação, de uma comunidade ou de uma pessoa.

Tenho visceral resistência à censura. Deixei de exercer, ao longo da vida, cargos e funções pelo simples pedido ou ordem: ‘quando terminar de escrever, quero ver’. Pegava o chapéu e ia embora. Chame outro. Só a quem me ensina, dou esse direito. Para quem trabalho ou confia em mim, ou não confio nele. Pronto!

Fazer imprensa livre e independente é um dos maiores desafios da democracia. É só mexer no calcanhar de qualquer um que detenha alguma forma de poder e a reação é imediata. Bom quando ocorre nos limites geográficos da lei. De forma educada e civilizada. Mas isso é para poucos.

Infelizmente, é comum o suposto ofendido usar a violência em todas as suas formas, para intimidar e até eliminar o alvo da suposta ofensa.

Por isso, tentam submeter a imprensa desvalorizando seu produto e seus profissionais. As verbas publicitárias são liberadas a conta gotas e com valores aviltados, que é para não engrossar a voz. Os trabalhadores têm baixa remuneração, para não inchar o pescoço. São formas de controle no ambiente público e privado.

Só nos cabe lutar e resistir. Com dignidade e honra.

 

Osmar Silva – Jornalista – Presidente da Associação da Imprensa de Rondônia-AIRON - WhatsApp 99265.0362 – sr.osmarsilva@gmail.com 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Osmar Silva

O meu São João

O meu São João

Uma fogueira, solitária, crepitava naquela rua da Zona Leste de Porto Velho.

OS TROUXAS

OS TROUXAS

Que os eflúvios do Dia das Mães nos dêem, na semana que se inicia, merecidas vitórias

Do que o STF tem medo?

Do que o STF tem medo?

Por que se revira céus e terra para evitar a CPI da Lava Toga?

“É a mãe! É a avó!”

“É a mãe! É a avó!”

O Brasil adora uma crise. Não sabe mais viver sem a crise do momento