Porto Velho (RO) segunda-feira, 14 de outubro de 2019
×
Gente de Opinião

Osmar Silva

Reflexão no Dia da Imprensa


Reflexão no Dia da Imprensa - Gente de Opinião

Em 1999 quando se resolveu trocar a data comemorativa da imprensa brasileira de 10 setembro para 1º de junho, fez-se a opção para comemorar a nascimento da imprensa livre, vigilante e combativa. Foi o dia da primeira circulação do Armazém Literário, como era conhecido, o Correio Braziliense no Brasil.

Era isso que representava o Correio Braziliense de Hipólito da Costa nascido em 1808 em Londres e vinha clandestinamente para o Brasil nos porões dos navios. E, no Rio de Janeiro, ganhava as ruas mostrando os desacertos da Corte brasileira.

O 10 de setembro comemorava a impressão, no Brasil, do jornal Gazeta do Rio de Janeiro, criado pela Corte para comemorar o aniversário de D. João, o Príncipe Regente. Portanto, um jornal chapa branca onde não se publicava nada que ofendesse a elite Real.

Até hoje nos batemos contra a censura. Arma de toda personalidade e governos autoritários. Foi usada com dureza pelos governos militares da ditadura brasileira. O PT, nos 13 anos de poder, tentou implantar marco regulatório sobre a imprensa nacional, tendo à frente, o jornalista Franklin Martins. Nossa resistência e a consciência nacional impediu o intento.

Não podemos cochilar para mantermos vivo e livre, o direito de informar e ser informado. A informação é o bem que move o mundo e determina os destinos de uma nação, de uma comunidade ou de uma pessoa.

Tenho visceral resistência à censura. Deixei de exercer, ao longo da vida, cargos e funções pelo simples pedido ou ordem: ‘quando terminar de escrever, quero ver’. Pegava o chapéu e ia embora. Chame outro. Só a quem me ensina, dou esse direito. Para quem trabalho ou confia em mim, ou não confio nele. Pronto!

Fazer imprensa livre e independente é um dos maiores desafios da democracia. É só mexer no calcanhar de qualquer um que detenha alguma forma de poder e a reação é imediata. Bom quando ocorre nos limites geográficos da lei. De forma educada e civilizada. Mas isso é para poucos.

Infelizmente, é comum o suposto ofendido usar a violência em todas as suas formas, para intimidar e até eliminar o alvo da suposta ofensa.

Por isso, tentam submeter a imprensa desvalorizando seu produto e seus profissionais. As verbas publicitárias são liberadas a conta gotas e com valores aviltados, que é para não engrossar a voz. Os trabalhadores têm baixa remuneração, para não inchar o pescoço. São formas de controle no ambiente público e privado.

Só nos cabe lutar e resistir. Com dignidade e honra.

 

Osmar Silva – Jornalista – Presidente da Associação da Imprensa de Rondônia-AIRON - WhatsApp 99265.0362 – sr.osmarsilva@gmail.com 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Osmar Silva

42º ANIVERSÁRIO – Um olhar sobre Ariquemes

42º ANIVERSÁRIO – Um olhar sobre Ariquemes

Quando entrei no salão do segundo piso do Banco do Brasil na tarde de quinta-feira do dia 3 de outubro deste ano de 2019, foi como entrar na cápsula

Hora da sensatez

Hora da sensatez

Jair Bolsonaro substituiu a belicosidade das suas últimas declarações por um tom mais amistoso

As perdas de Rondônia

As perdas de Rondônia

Está perdendo o que custou muita luta e suor

O bruxo e o PSL

O bruxo e o PSL

O maior problema da política brasileira é a falta de credibilidade