Porto Velho (RO) terça-feira, 27 de outubro de 2020
×
Gente de Opinião

Osmar Silva

Moro sai e o diabo dá cambalhotas


Moro sai e o diabo dá cambalhotas - Gente de Opinião

O rombo no casco do navio do governo do presidente Jair Bolsonaro é grande. A saída do ministro da Justiça e da Segurança Pública, o jurista Sérgio Moro, um dos pilares garantidores do executivo federal, enfraquece substancialmente o projeto Brasil Acima de Tudo, Deus acima de Todos. E fortalece, exacerbadamente, sua Oposição composta, na maioria, por lideranças desonradas por crimes e condenações judiciais.

Ferir a autonomia da Polícia Federal com demissão sem causa, nomeação política para proteger políticos que deveriam estar presos e o rompimento na confiança da palavra dada pelo presidente no ao então juiz para assumir o ministério, foi demais para o ético Sérgio Moro.

Ele preferiu pagar um alto preço para conservar sua biografia de honestidade e honradez conquistada no mundo inteiro com 22 anos de atuação na magistratura brasileira.

É fato. Ser honesto no Brasil não é uma virtude para ser aplaudida. Ao contrário. Nestes tempos obscuros, se transformou num fardo pesado. Uma conduta que gera inimigos e pelo qual se paga um alto preço.

Infelizmente, o doutor Sérgio Moro está descobrindo essa verdade, tomando da taça amarga e ficando à mercê dos inimigos que o desejam morto. Pior ainda: sem a garantia da segurança que tinha como magistrado e como ministro para si e sua família.

Moro é, agora, mais um desempregado no mercado de trabalho impactado pela Pandemia do Covid-19. Frágil e só. Embora tenha o aplauso da absoluta maioria dos brasileiros de bem, que respiram aliviados ao constatar que, mesmo parecendo impossível, o Brasil ainda pode contar com verdadeiros patriotas. E o Sérgio, é uma destas honrosas exceções.

Imaginem, as caras de gozo orgásmicos do ex-presidente Lula, da ex-presidente Dilma Roussef, do José Dirceu, do advogado Zanin e demais membros desta periculosa organização com a renúncia de Moro ao cargo de ministro da Justiça!!!  O Diabo está dando cambalhotas!

E eles têm razão para comemorar! Com um ato só, do próprio adversário, se livraram do Moro, Bolsonaro fica mais enfraquecido e a tese do impeachmente ganhará força. E ainda, de lambuja, o PT e os seus partidos acessórios se fortalecem. Com essa gente, qual o futuro do Brasil?

E não é só. Pois os conflitos do presidente Bolsonaro com o ministro Paulo Guedes, da Fazenda, não são mais ocultos. Todos já sabem. Se esse pegar o boné, adeus viola! Não há quem conserte o rombo no navio.

Mais verdade ainda, é o fato de que o presidente nem precisa de Oposição. Ele e os seus filhos dão conta desse papel com muito mais eficiência.

Moro vai, mais daqui a dois anos volta por cima, pelos braços dos brasileiros, para onde quiser. A menos que renegue a política.

 

Osmar Silva – Jornalista – Presidente da Federação Nacional dos Comunicadores Seccional Rondônia e da Associação da Imprensa de Rondônia – WhatsApp 69.99265.0362 – sr.osmarsilva@gmail.com 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Osmar Silva

Vale arriscar?

Vale arriscar?

O projeto de lei do governo estadual criando um Refaz que beneficia grandes empresas com grandes dívidas tributárias em Rondônia, ainda vai dá muito

Mundo de ponta cabeça

Mundo de ponta cabeça

Quem imaginaria ver as praças de Roma, os bares e as gôndolas de Veneza, os cafés de Paris, os estádios e as igrejas centenárias do mundo, vazias?

Tempos estranhos no Estado burro

Tempos estranhos no Estado burro

Estamos vivendo tempos estranhos. Saímos do governo do ‘dou um tostão, levo um milhão” e embarcamos noutro que vem protagonizando várias confusões. Em

Lixo, merda e água contaminada não é ‘missão de Deus’

Lixo, merda e água contaminada não é ‘missão de Deus’

- Governar é missão de Deus! Disse o governador de Rondônia, Marcos Rocha, em recente evento público. A sentença é correta, segundo os princípios cr