Porto Velho (RO) domingo, 16 de dezembro de 2018
×
Gente de Opinião

Osmar Silva

GOVERNO ROCHA - OS 12 DESAFIOS


 GOVERNO ROCHA - OS 12 DESAFIOS - Gente de Opinião

Continua na moita o governador eleito Marcos Rocha, sua Comissão de Transição e os seus (ainda desconhecidos) assessores e conselheiros mais diretos. Tudo bem. O seu meio milhão de eleitores e os demais cidadãos além da imprensa, estão esperando. Já meios impacientes, mas aguardam breve manifestação que não os desaponte. Só assim estará justificada a quietude prolongada.

Enquanto isso, corre solto o livre pensar. E assim, me remeto aos famosos doze trabalhos de Hércules, lá na terra e no tempo dos Deuses do Olimpo, para dizer que o coronel Rocha tem que provar que é realmente resistente e forte como uma rocha. Também terá, no mínimo, doze desafios para realizar. Se até o final do mandato conseguir o feito, será digno de aprovação e até de um segundo mandato como prêmio. Caso contrário, se extinguirá como um sonho de verão.

A verdade é que Rondônia espera um governador capaz de materializar o sonho de ver a BR-364 duplicada de Vilhena a Porto Velho; de conseguir trafegar em via asfaltada e pontes sobre rios e riachos de Porto Velho para Manaus; de ver o canal navegável do Rio Madeira desobstruído de Porto Velho a Manaus; de embarcar no Aeroporto Jorge Teixeira, pessoas e mercadorias, para qualquer lugar do mundo, incluindo a Bolívia aqui do nosso lado; e fazendo a mesma coisa através dos portos hidroviários do Madeirão.

Um governador que demonstra ter um presidente da República como parceiro, como parece ser o caso, pode muito. Jorge Teixeira é bom exemplo disso. Só fez o que fez porque teve João Figueiredo como aliado de toda hora.

Assim, é lícito que desejemos que o governo que assumirá em 1º de janeiro próximo, possa dar conta de fazer sair a ponte binacional Brasil/Bolívia de Guajará/Guayra Mirim; começar a hidrelétrica de Tabajara; construir a rodoviária da Capital; implantar a rede de esgoto de Porto Velho (uma chaga vergonhosa); construir o Hospital de Urgência e Emergência (Heuro) também de Porto Velho; construir um espaço multieventos que possa abrigar as manifestações populares como carnaval, boi bumbás, Flor do Maracujá, shows populares e ainda contar com  auditório para congressos, simpósios, encontros e outras manifestações.

E ainda tem o arroz com feijão: saúde, educação, segurança e o agronegócio, nossa galinha dos ovos de ouro. Tudo tem que rolar redondinho. Sem atrasar pagamentos de servidores e fornecedores. Gestão firme, enxuta, equilibrada. Único caminho para enfrentar as dívidas do Beron, da Caerd, do Pedise e dos precatórios.

Claro que muitas destas manifestações elencadas só serão concretizadas em parceria com o governo federal e municípios. Principalmente a centenária Porto Velho, que carrega grande atraso na qualidade de vida dos seus moradores em relação às urbes do interior do estado, mais novas e mais modernas.

Se der conta destas tarefas, o governo Rocha provará que é de granito e não de arenito.

A ponte;  a elevação da BR no trecho onde a rodovia foi tomada pelas águas na última grande enchente e o asfaltamento dos perto de 900 quilômetros da BR 39, que liga Porto Velho a Manaus, compõem um trinômio vital para nossa expansão, em todos os sentidos. Uma quarta medida, talvez a principal de todas, por enquanto não passa de um sonho: a duplicação da BR 364, de Vilhena à fronteira com o Acre.

 

NESTA TERÇA, DANIEL SERÁ ELEITO NO SEBRAE

Terça-feira é dia de nova eleição. Só que essa bem mais tranquila, já que há apenas um candidato para o cargo principal. O governador Daniel Pereira deve ser escolhido, por aclamação, pelos 13 representantes de entidades que têm direito a voto, como futuro superintendente do Sebrae em Rondônia. Votam, entre outros, representantes de bancos, do governo estadual, da Universidade Federal de Rondônia e de outras entidades. A disputa mais ferrenha será pelo comando do Conselho da Administração da entidade, já que dois candidatos vão disputar o posto. Um deles é o presidente da Fecomércio, Raniery Coelho, personagem destacada nos meios o comércio do Estado e o outro é Hélio Dias, presidente da Federação dos Trabalhadores da Agricultura, a Fetagro. Também serão eleitos, pelos menos 13 votantes, o novo secretário geral da entidade e o secretário de finanças. O mandato é de três anos, com direito à reeleição e a posse será na segunda quinzena de janeiro, pelo menos duas semanas depois que Daniel Pereira passar o Governo para Marcos Rocha.

OS RUMOS DA ASSEMBLEIA

A próxima eleição, essa sim vital para a política rondoniense e para o próximo governo, acontecerá em 1º de fevereiro, daqui a 77 dias. A movimentação é intensa e já haveria pelo menos três grupos trabalhando para eleger suas chapas. Cada uma delas, dependendo a fonte, com 14 votos já garantidos, ou seja, pelas contas dos pretendentes, seriam 42 os deputados e não apenas 24. Claro que o comentário está eivado de ironia, porque a tradução real é que não importam as mobilizações, porque a tendência é que as coisas se decidam na última hora. O governador Marcos Rocha, que estaria apoiando o deputado José Lebrão, mudou o discurso e disse que a Assembleia é outro poder e ela deve resolver internamente seus problemas e tomar suas decisões. É um discurso normal, embora saiba-se que na verdade o apoio do Palácio Rio Madeira/CPA pode ser decisivo, na Hora H. Mas, até fevereiro, os deputados vão continuar conversando, fazendo acordos e dialogando, coisas que eles gostam de fazer. A decisão, só mesmo na sexta-feira, dia 1º de fevereiro, no final da noite....

OsmarSilva – Jornalista – Presidente da Associação da Imprensa de Rondônia-AIRON

sr.osmarsilva@gmail.comWhatsApp 99265.0362

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Osmar Silva

COMO SERÁ A ELEIÇÃO DA ALE?

COMO SERÁ A ELEIÇÃO DA ALE?

Até à última eleição, sempre foi um ato obscuro

GOVERNO ROCHA – Acho que tem rumo sim

GOVERNO ROCHA – Acho que tem rumo sim

O senador eleito Confúcio Moura instigou a capacidade de gestor do governador eleito, Marcos Rocha, ao dizer: “Ele não sabe o que vai fazer no governo

 A SORTE ESTÁ LANÇADA - Por Osmar Silva

A SORTE ESTÁ LANÇADA - Por Osmar Silva

Alea jacta est, frase proferida por Júlio Cesar quando resolveu enfrentar a condenação de parricida do Senado Romano a quem ousasse atravessar o Rio R

ATÉ QUE ENFIM – O eleitor se libertou

ATÉ QUE ENFIM – O eleitor se libertou

Eleitor livre e independente. Esse foi o fato mais importante que as eleições nos revelaram. É marcante e histórico vermos os eleitores se libertarem