Porto Velho (RO) sexta-feira, 5 de junho de 2020
×
Gente de Opinião

Osmar Silva

CONFÚCIO, O INCOMPETENTE - Por Osmar Silva


 
- Confesso que sou incompetente!

Teria dito Confúcio Moura, recentemente, para o prefeito Hildon Chaves ao oferecer-lhe o projeto e os R$ 40 milhões que guardou para construir a Rodoviária da Capital.

- Lhe dou tudo e você faz. Confesso que sou mesmo incompetente para construir essa rodoviária, reafirmou denotando uma certa frustração.

Sobre a gestão desse confesso incompetente Confúcio Moura no Estado de Rondônia, eu disse no artigo “A grande obra”, publicado em 3 de agosto de 2015, que “a maior obra de qualquer governo é, ao sair, deixar em condições melhor o que recebeu”.

Afirmei na ocasião, que “somos um dos cinco estados que estão com sua economia em azul” e que “aqui os salários continuam caindo na conta dos servidores uma semana antes do final do mês. Metade do 13º já foi para o bolso dos trabalhadores do estado”. Reafirmo hoje, sem retoques, estas afirmações.

Discorri, naquele artigo, sobre o conjunto de ações que compunham, ao meu ver, a grande obra do governador que iniciava o seu segundo mandato. Naquela ocasião o Brasil estava com juros de 15% ao mês, inflação de dois dígitos e nove milhões de desempregados. Mas Rondônia crescia a 4% ao ano.

Hoje, os juros e a inflação caíram e o emprego está voltando. Mas ainda temos 13 milhões de desempregados e 26 milhões vivendo de subemprego e um rombo de 159 bilhões de reais para pagar.
Mesmo assim, continuamos crescendo 4% ao ano em função de boas políticas públicas e de iniciativas indutoras de um governante que bate nos 80% de aprovação popular.

Foi o que constatou pesquisa do Portal G1, da Globo. Por ela, Confúcio Moura lidera o ranking dos governadores que mais cumprem o que prometeram na campanha. Bom para quem almeja uma cadeira no Senado da República.

Mas ele não tem uma obra física que seja retrato desse sucesso. Icônico seria inaugurar o Heuro, Hospital de Urgência e Emergência, com o qual tanto sonhou e pelo qual tanto lutou.

Entretanto, mal as fundações do Heuro saíram do chão, parou envolvido em falhas técnicas de projeto e rigor dos órgãos de controle. Desde então, a obra se arrasta, numa burocracia intervencionista sem fim. Até parece de propósito. Igual a rodoviária, cujo terreno comprado na avenida Rio de Janeiro, o governo não conseguiu pagar. E não foi por falta de dinheiro.

Como se observa, nem o melhor governador do Brasil pode tudo.

OsmarSilva – Jornalista – Presidente da Associação da Imprensa de Rondônia-AIRON.

 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Osmar Silva

Moro sai e o diabo dá cambalhotas

Moro sai e o diabo dá cambalhotas

O rombo no casco do navio do governo do presidente Jair Bolsonaro é grande. A saída do ministro da Justiça e da Segurança Pública, o jurista Sérgio

Mundo de ponta cabeça

Mundo de ponta cabeça

Quem imaginaria ver as praças de Roma, os bares e as gôndolas de Veneza, os cafés de Paris, os estádios e as igrejas centenárias do mundo, vazias?

Tempos estranhos no Estado burro

Tempos estranhos no Estado burro

Estamos vivendo tempos estranhos. Saímos do governo do ‘dou um tostão, levo um milhão” e embarcamos noutro que vem protagonizando várias confusões. Em

Lixo, merda e água contaminada não é ‘missão de Deus’

Lixo, merda e água contaminada não é ‘missão de Deus’

- Governar é missão de Deus! Disse o governador de Rondônia, Marcos Rocha, em recente evento público. A sentença é correta, segundo os princípios cr